Discursiva de Libras e pratica profisional a escola
1 pág.

Discursiva de Libras e pratica profisional a escola


DisciplinaLibras e Pratica Profissional A Escola129 materiais351 seguidores
Pré-visualização1 página
Libras
Prática Profissional - A Escola
	Data de início:
	01/06/2015 09:20

	Prazo máximo entrega:
	01/06/2015 10:35

	Data de entrega:
	01/06/2015 10:33

Questão 1/5
Leia o fragmento de texto.
A concepção de que a articulação e a percepção envolvem a mesma interface (representação fonética) é controversa, e os problemas obscuros relacionados à interface C-I (conceptual-intencional) é ainda mais. O termo \u201carticulatório\u201d é tão restrito que sugere que a faculdade da linguagem apresenta uma modalidade específica, com uma relação especial aos órgãos vocais. O trabalho nos últimos anos em língua de sinais evidencia que essa é muito restrita. Eu continuarei a usar o termo, mas sem quaisquer implicações sobre a especificidade do sistema de output, mantendo o caso das línguas faladas. (Chomsky, 1995ª, p. 434,nota 4)
QUADROS, Ronice Muller de. KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira: Estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004. p.29.
Compreendendo a língua natural como uma faculdade de linguagem   explique de acordo com os conteúdos abordados nas aulas e livro- base,  o que  é uma língua natural.
Nota: 16.0
	Espera-se que o aluno compreenda a língua natural como um sistema construído socialmente por determinada comunidade.
As línguas de sinais são consideradas línguas naturais para os estudos linguísticos, pois, possuem a capacidade de gerar um número infinito de sentenças através do seu sistema convencional finito de regras. Língua natural aqui deve ser entendida como uma língua que foi criada e é utilizada por uma comunidade específica [...] livro-base p.17.
.

Questão 2/5
Leia o fragmento abaixo:                                  
A Libras como as diversas línguas naturais e humanas existentes, é composta por níveis linguísticos como: fonologia, morfologia, sintaxe e semântica. Da mesma forma que nas línguas orais-auditivas existem palavras, nas línguas de sinais também existem itens lexicais, que recebem o nome de sinais. A diferença é sua modalidade de articulação, a saber, visual-espacial, ou cinésico-visual, para outros. Assim sendo, para se comunicar em Libras, não basta apenas conhecer sinais. É necessário conhecer a sua gramática para combinar as frases, estabelecendo comunicação. Os sinais surgem da combinação de configurações de mão, movimentos e de pontos de articulação \u2014 locais no espaço ou no corpo onde os sinais são feitos, os quais, juntos compõem as unidades básicas dessa Língua.
BERNARDES, Rosiani Corsini; ARAÚJO, Elaine Cristina N. \u2013 LIBRAS Sinais de Inclusão/Cartilha UNIFENAS. Minas Gerais: Alfenas, 2010. p.16
Todas as línguas possuem suas variações. Considerando os aspectos variáveis das Línguas de sinais apresente no mínimo dois modelos de variação da Libras.
Nota: 16.0
	Espera-se que o aluno escolha os aspectos das variações regionais, sociais e históricas para exemplificar.
Tutor (gabarito)
Modelo de resposta:
A variação da Libras pode ser regional, de acordo com cada região do país. A palavra VERDE, por exemplo, sofre forte diferentes variações nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Dependendo dos costumes da geração [...] livro-base p.95.

Questão 3/5
Leia o texto abaixo:
    O estágio de um sinal inicia por volta dos 12 meses da criança surda e percorre um período até por volta dos dois anos. Karnopp (1994) cita estudos que apontam o início do estágio de um sinal por volta dos seis meses em bebês de pais surdos adquirindo língua de sinais.
QUADROS, Ronice Mueller de. Educação de surdos: A aquisição da linguagem. \u2013 Porto Alegre: Artmed, 1997. p. 71.
O processo de aquisição da língua ocorre de maneiras diferentes em crianças surdas de pais surdos e crianças surdas de pais ouvintes. Os ambientes dessa aquisição também são diferentes. Discorra sobre a educação de crianças surdas filhos de pais ouvintes.
Nota: 20.0
	Espera-se que aluno contemple em sua resposta que a educação e aquisição da língua pelo surdo (pais ouvintes) na maioria das vezes ocorrem na escola e o convívio pode ser restrito às pessoas ouvintes.
 
Modelo de resposta:
 
Principalmente no caso de surdos filhos de pais ouvintes, o contato com adultos surdos e aquisição da língua de sinais só ocorre na escola. Livro-base p. 86.
E como ela nunca viu um adulto surdo a quem possa ter vínculo identificatório [...] livro-base p. 87.
 
QUADROS, Ronice Mueller de. Educação de surdos: A aquisição da linguagem. \u2013 Porto Alegre: Artmed, 1997. p. 71.
.

Questão 4/5
De acordo com Grochoska (2011), \u201c[...] o projeto político pedagógico é o elemento fundamental para a organização da escola. É nele que se define o trabalho pedagógico, a missão da escola, as questões curriculares e metodológicas, as concepções, a avaliação, o tipo de gestão adotada, o perfil do aluno e do professor e outros pressupostos que definem a dinâmica escolar\u201d. Nesse contexto, discorra sobre o projeto político pedagógico da escola, e a construção do mesmo.
Nota: 20.0
	Grochoska (2011, p.55, citando VEIGA) diz que o PPP exige profunda reflexão sobre as finalidades da escola, assim como a explicação do seu papel social e a clara definição de caminhos, formas operacionais e ações a serem empreendidas por todos os envolvidos com o processo educativo. O PPP é fruto de uma construção coletiva e define o rumo educacional da escola. Parte de muito estudo, muita discussão e muita reflexão até que as especificidades da instituição sejam identificadas e a identidade intensificada. É o resultado de uma discussão que transmite a realidade da escola e vai além dos pressupostos pedagógicos.
O processo de construção do projeto pedagógico é dinâmico e exige esforço coletivo e comprometimento. Não se resume, portanto, à elaboração de um documento escrito por um grupo de pessoas para que se cumpra uma formalidade (VEIGA, 2003, p.14). Assim, o PPP deixa de ser um simples documento para apenas garantir a autorização de funcionamento da escola GROCHOSKA (2011, p.57).
GROCHOSKA (2011, p. 58) diz que a construção do PPP deve ser um processo participativo de decisões e que toda a comunidade escolar deve ser instigada a participar para que seja de fato um projeto coletivo, baseado nos princípios solidários entre os membros da instituição e de autonomia da escola.

Questão 5/5
Segundo Grochoska (2011), o papel do gestor escolar depende de alguns fatores determinantes para a organização escolar, quais são eles?
Nota: 16.0
	O gestor escolar deve ter disciplina para ter uma postura individual que respeita as normatizações do sistema (p. 33).
Fernanda
Fernanda fez um comentário
Foi útil, obrigada ;)
1 aprovações
Carregar mais