A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Nutrição e disturbios hidroeletrolíticos

Pré-visualização | Página 1 de 6

DISTÚRBIOS HIDROELETROLÍTICOS
INTRODUÇÃO Slide02 – um dos maiores desafios na assistência pré e pos cirúrgico é fazer essa
correção. É necessário para isso o conhecimentod os mecanismos que :
 regula a composição dos liq corporais
 regula o volume dos liq corporais
 regula o equilíbrio ácido-basico
03 – a maior parte do nosso peso corporal é constituído de água – varia em torno de 45 – 80% do
peso. e essa variação se da pela constituição física – qnto mais gordura menos água. Varia com a
idade ( bebe tem mto mais água). varia com sexo -> um pouco mais de gordura , um pouco menos
de água. 
O homem, em média tem em torno de 60% de seu peso constituída por água
Essa água é divido em compartimento inrta celular e compartimetno extracelular.
2/3 da água ta no liq intra celular. ( 40% do peso ) . 
1/3 da água corporal está no compartimento extracelular, que é dividio em interstício e intravascular
75% do compartimento da água extracelular está no compartimento intersticial. e 25% está no intra
vascular ( ou seja 15% do peso e 5% do peso respectivamente)
A secreção gastrointestinal, pertence ao compartimento extra cel, mas ta em mto peq qntd
A composição eletrolítica dos componentes são diferentes. depende da permeabildiade seletiva da
memb celular. O comp extracelular, tem basicamente sódio e cloro, com peq porções de K, fosfato,
Ca, Mg, bicarbonato, prot e AC orgânicos
Existe diferença entre interstício e intra vascular qndo se fala em proteínas
perdi
Como a água se difunde livremente entre intra e extracelular a concentração total de solutos é
idêntica. LIC = LEC na questão da osmolaridade. Se diluir o comp extar cel ( diminuir conc total de
solutos ) vai passar liq do intra para o extracel. A água tem livre passagem pela memb cel. Sempre
vai deixar a concentarção do extra = do intracelular.
slide 11 – 90 a 92% dos cátions do LEC é do sódio. Então a osmolaridade desse compartimento se
altera grosseiramente quando muda o sódio. Através do mecanismo da sede filtração e reabs tubular
do rim mantém esse sódio equivalente
ver slide. 
Caso o paciente não tenha diabetes nem nenhuma doença renal, (glicose/18 + Nureico/2,8 =
constante de 10). 
O organismo mantem concentração sérica do sódio, entre 135 – 145 mEq/L, através da sede e do
ADH. 
12 – quando existe uma diminuição da concentração sérica de sódio ( diluição do LEC), o que ta
acontecendo na realidade é excesso de água nesse compartimento. Se tem Na>145 ; tem na vdd uma
deficiência de água
A manutenção da qntd de líquidos e a composição eletrolítica nesse liq, é função do rim. o Na pode
ser retido/excretado pela filtração e reabsorção tubular do rim, na dependência de ingesta do sódio. 
O equilíbrio hídrico ( o volume de líquidos que esse organismo vai ter, depende basicamente da
secreção do ADH). Caso consiga fazer uma analise do volume, e da composição da urina, isso vai
dar pistas valiosas do diturbio eletrolítico que pode estar ocorrendo. 
A produção diária de ácido que o organismo produz é em torno de 15 mil a 20 mil mEq voláteis, na
forma de CO2, pela oxidação de carboidrato e gordura. 
+- 60 a 70mEq de ácidos fixos não voláteis – pela oxidação de aa , que contem enxofre e dos
carboidratos/gorduras incompletamente oxidados. Se não tivesse tampão, ia reduzir mto o pH e o
organismo morreira. Os tampões, por atividade pulmonar e renal consegue tamponar essa
quantidade de ácidos produzidas diariamente
Tampões – slide 14
Do ponto de vista práticovo que importa extracelularmente é o sistema tampão bicarbonato – AC
carbônico
slide 15 – Valores normais da Gasometria arterial 
slide 16 – 
Organismo tenta manter o equilíbrio acido básico mantendo a relação bicarbonato/AC carbônico de
20 :1 . sempre que tem altearçao nisso ( aumento dessa relação ) , gera alcalose. ( se tem redução
dessa relação, o que ocorre é acidose). 
No ponto de vista biológico esse tampão é extremamente eficaz. – 
slide 17 – se adicionarmos acido no sistema, o organismo de maneira rápida, aumenta vent
pulmonar, tentando eliminar maior qntd de CO2 possivel, tentando manter bicar/AC carbônico em
20:1 – tenta reter bicarbonato e tentar eliminar maior qntd de acido possível pelo rim. ( qdo adiciona
acido a relação bic/accarb cai. na tentativa de equilibrarr, ele vai eliminar maior qntd de AC
carbônico ( + rápido). e de maneira mais lenta mas mais eficaz, o rim absorve mais bicarbonato e
elimina maior qntd de ácido. ) 
Caso acrescente bas e- de maneira rápida, o organismo tenta reter maior qntd possível de CO2, mas
a retenção é limitada pela demanda de oxigênio pelo organismo. vai então , aumentar qntd de CO2,
e de maneira mais lenta, tentar eliminar maior qntd possivle de bicarbonato e reter maior qnt
possível de ácido. 
CLASSIFICAÇÃO
De acordo com esses mecanismos podemos classificar o distúrbio hidroeletrolitico em
1. Disturbios de volume
2. distúrbios da composição
3. distúrbios de eq acido básico
em um mesmo paciente pode ter os 3, mas geralmente predomina 1, que ´eo que vai tratar
DISTURBIO DE VOLUME
Pode ter sobrecarga ou déficit de volume
A sobrecarga de volume é o distúrbio mais comum no período pos opetratório imediato. Isso pq se
da mta ênfase em manter pcte hiperexpandido, tanto no trans operatório e no pos operatório
imediato – isso para evitar que haja algum choque hipovolêmico no intra operatório, e também para
garantir maior diurese possível. 
Isso por vezes leva a uma sobrecarga de volume
Expansão isotônica do LEC. são soluções salinas, isotônicas ( SF ; ringer lactato... ) Quando vai
expandir, expande princip o LEC. qndo não tm variação de tonicidade dos compartimentos, são
isosmóticos, não há pasasgem de água do compartimento do extracel pro intra cel. então o volume
intra cel permanece inalterado. Conforme vai diluindo o extra cel, pode cair concentração de
hemoglobina, cair o Ht, e conc de prot, mas a concentração do sódio fica alterada, pq vc ta dando na
msm concentração do plasma. 
Comum no poso p imediato . NO período de poso p imediato, é onde ocorre a maior secreção de
ADH devido ao estresse cirúrgico. rim tende a reter maior qntd de sódio e água nesses pacientes.
Estão em qntd de volume normal ou expandida. 
Para grande maioria das pessoas, essa expansão do comp extra cel não tem importância. Mas para
algumas pessoas é danoso -> para idosos ; alteração cardioresp pode desenvolver edema agudo de
pulmão 
nas craniotomias edema encefálico 
pneumectomia edema de pulmão 
Ta dando mais volume do que ele excreta – 
Sinais 
 aumento do peso corporal. Mas é esperado perda de peso 100 – 250 g de peso dos pacientes,
no pos op. Se o pcte ta apresentando aumento de peso ta apresentando sobrecarga de volume
 Por isso que tds pctes recebendo terapia EV, eles devem ser pesados diariamente, e fazer
balanço hídrico. tudo que é injetado/excretado no paciente tem que ser medido e avaliado
diariamente
 conforme vai expandindo o comp extracel, começa a aparecer edemasperiférico – tornozelo,
MMII,, se for medir a PVC vai tar aumentada, aumento na pressao de pulso, aumento no
DC.
 conforme vai expandindo , edema vai generalizando – aparecendo pálpebras edemaciadas,
rouquidão e cianose. E por fim pode ter edema pulmonoar- dispneia, tosse , turgencia jgular,
cianose.
TRATAMENTO da sobrecarga de volume. – ver slide 22. 
 restringir volume
 diurético ( 10 a 20mg de furosemide)
 pctes idosos, já com comprometimento cardíaco, associar um digitálico
 se pcte tem probelma renal vai fazer diálise peritoneal ( não da pra fzer geralmente qdo faz
na cav peritoneal a cirurgia), e hemodiálise. 
DEFICIT DE VOLUME
Princip em pctes com grandes traumatismos, em que há perda de solução isotônica pro 3º espaço.
Mas é menos frequente aparecer esse déficit. Se caracteriza por retração isotônica do LEC. como
vai ser perdido subst isotônicas, não há alteração

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.