unidade motora e placa motora
6 pág.

unidade motora e placa motora


DisciplinaFisiologia I24.335 materiais196.791 seguidores
Pré-visualização1 página
O que é a unidade motora?
Para entendermos o que é a unidade motora, devemos saber que ela é composta pelo grupo de fibras musculares que são coordenadas por um único neurónio motor. Este neurónio motor é responsável por transmitir a informação ao cérebro de que o músculo precisa para contrair ou relaxar.
Já que existem um maior número fibras musculares do que neurónios motores, os axónios \u2013 parte do neurônio com a responsabilidade de conduzir os impulsos elétricos \u2013 ramificam-se de forma que podem realizar a comunicação com as diferentes fibras musculares.
 A Unidade Motora é considerada a via motora final comum voluntária e involuntária descrita por Charles Sherrington. As estruturas que estão envolvidas em uma unidade motora são compostas de dois componentes: sendo um muscular e outro sendo neural. O primeiro contém: o músculo, o sarcômero, o sistema T e o retículo sarcoplasmático; e o segundo: o fuso muscular, a unidade motora propriamente dita, o órgão neurotendíneo de Golgi, células de Renshaw, miótomos, o nervo periférico, a junção neuromuscular e a asa anterior da medula espinhal.
A unidade motora classifica-se de acordo com dois parâmetros: 
a) o tempo necessário para desenvolver a força máxima (isso ocorre devido ao processo de recrutamento iniciado pelos motoneurônios pequenos); e
 b) a frequência de estimulação na qual ocorre fadiga. Todas as fibras musculares pertencentes à unidade motora possuem as mesmas propriedades funcionais e bioquímicas. De acordo com isso existem três tipos de unidade motora:
 1) unidades fatigáveis e de contração rápida (FR);
 2) unidades resistentes à fadiga e de contração lenta (RL); 
 3) unidades resistentes à fadiga e de contração rápida (RR). 
Unidades fatigáveis e de contração rápida (FR) - São constituídas de motoneurônios \u3b1 grandes, de alta velocidade de condução, com hiperpolarização póspotencial breve que lhes permitem disparar em alta frequência. As fibras musculares são grossas e possuem pouca mioglobina, daí a sua denominação de pálida ou branca; alcançam sua contração máxima em pouco tempo, desenvolvem muita força e fadigam-se rapidamente. A relação de inervação é grande com exceção nos músculos extrínsecos dos olhos. Por exemplo, na miastenia gravis o paciente não consegue manter os olhos elevados em posição tônica por mais de 30 seg. 
Unidades resistentes à fadiga e de contração lenta (RL) - são formadas por motoneurônios pequenos, de baixa velocidade de condução, com hiperpolarização póspotencial prolongada que os impedem de disparar em alta frequência. Suas fibras musculares são de menores diâmetros do que as pálidas, ricas em mioglobina e mitocôndrias, bem vascularizadas, portanto, denominadas de vermelhas. Contraem-se lentamente, desenvolvem pouca força e são resistentes à fadiga. Sua relação de inervação é menor do que a das FR.
Patologias
Doença do Neurônio Motor são uma desordem progressiva na qual a degeneração do neurônio motor superior e/ou inferior causa fraqueza bulbar progressiva, dos membros, tórax e dos músculos abdominais, com relativa preservação dos músculos oculomotores e da função esfincteriana.
Atrofia Muscular Progressiva 
Paralisia Bulbar Progressiva 
Esclerose Lateral Primária 
Esclerose Lateral Amiotrófica
Aplicação na musculação
Percebendo como funciona o nosso corpo e, mais precisamente, os nossos músculos, fica mais fácil traçar as nossas rotinas de treino. O sistema nervoso vai responder aos estímulos provocados pelo nosso treino adaptando-se, de forma a poder responder melhor ao treino da próxima vez.
Esta adaptação ocorre essencialmente através do processo de hipertrofia sarcoplasmática. Este processo consiste no aumento de alguns componentes e estruturas das fibras musculares, como as mitocôndrias, a mioglobina e os capilares sanguíneos.
Se eu quero ganhar força, então tenho de fazer um treino que estimule as fibras de contração rápida, de modo a obrigar o corpo a torná-las mais eficientes. Se o meu treino de musculação consistir em séries de poucas repetições com muita carga, a hipertrofia ocorrerá essencialmente ao nível das fibras musculares de contração rápida. O número de mitocôndrias nestas fibras aumentará, o que com o passar do tempo irá permitir o aumento das cargas que levanto.
Mais interessante ainda é que o próprio sistema nervoso também é estimulado com o treino. Conforme demonstram alguns estudos científicos, o sistema nervoso torna-se mais eficiente com o treino e consegue recrutar mais unidades motoras para o exercício.
Um só neurônio motor estabelece contato com uma média de 150 fibras musculares . isto significa que a ativação de um neurônio provoca a contração simultânea de umas 150 fibras musculares. Todas as fibras musculares de uma unidade motora se contraem e relaxam ao mesmo tempo. Os músculos que controlam movimentos precisos como o músculo ocular extrínseco, tem menos de 10 fibras musculares para a cada unidade motora.
Entretanto, os três tipos básicos de fibras musculares da unidade motora diferem com referência à velocidade e força de contração, características metabólicas e fadiga. Diferenças nas propriedades contráteis entre unidades motoras são devidas a diferenças nos neurônios motores que estão inervados nos fibras musculares bem como diferenças contráteis dentro dessas fibras musculares.
Então podemos resumir o impulso na unidade motora passa pelo neurônio, e passa também pela junção neuromuscular para estimular a fibra muscular, que é sua porção final. A unidade motora muscular é formada pelo neurônio, axônio deste neurônio, pelas terminações nervosas do neurônio e pelas fibras musculares inervadas por estas terminações.
Já placa motora é a região do sarcolema(membrana da célula muscular) que fica mais próxima da terminação do axônio.
Placa motora
 
Falando em Placa motora ,também conhecida como junção mioneural é a região da superfície de uma fibra muscular onde um ramo de um axônio forma uma sinapse com a fibra. Neste local um impulso nervoso que chega pelo axônio pode resultar em uma contração muscular.
Na região da célula muscular em que se situa a placa motora há uma pequena depressão na superfície celular e há pequenas pregas da membrana plasmática da fibra muscular, observadas ao microscópio eletrônico de transmissão.
Cada fibra muscular estriada esquelética tem somente uma placa motora, frequentemente situada no meio da fibra.
 
A figura mostra um preparado total de uma fibra muscular. Colocando-se o cursor sobre a imagem nota-se:
uma delgada fibra nervosa que chega próximo à fibra muscular e se divide em delgados filamentos;
os filamentos terminam em um local em que há pequenos botões escuros na superfície da fibra muscular (delimitado por uma elipse). Estes botões representam os locais de sinapse neuromuscular.
 
 
	
	
A placa motora é o local em que um estímulo elétrico tem de ser transformado em movimento, através de alguns mediadores químicos, o principal dos quais a acetilcolina, permitem essa transformação.
Referências Bibliográficas :
http://tafitness.net/unidades-motoras-musculacao/
Acessado em: 23 de fevereiro de 2016, às 18:47
https://questoesdefisiocomentadas.wordpress.com/tag/unidade-motora/
Acessado em: 23 de fevereiro de 2016, às 19:25
http://www.neurologiapaulobrito.com/pdf/pdf_programa_residencia/sistema_motor/unidade_motora_e_suas_sindromes.pdf
Acessado em: 26 de fevereiro de 2016, às 16:45
https://www.neurofepar.com/doenca_neuronio_motor-2.pdf.html> 
Acesso em: 27 de Fevereiro de 2016,às 18:35
https://www.sobiologia.com.br/conteudos/histologia/epitelio22.php.html
Acesso em : 27 de Fevereiro de 2016, às 20:31
Elisangela Alves Soares
Elisangela Alves Soares fez um comentário
ola obrigada fiquei feliz me ajudou muito.
0 aprovações
Carregar mais