Psicologia da Saúde - EMOÇÕES

Psicologia da Saúde - EMOÇÕES


DisciplinaPsicologia da Saúde2.119 materiais10.941 seguidores
Pré-visualização1 página
EMOÇÕES
Psicologia da Saúde
Razão ou Coração?
Tradicionalmente as emoções foram vistas como algo indigno, impróprio e até mesmo desprezível. Não podiam ser o objeto de estudo cientifico. O homem civilizado era aquele que controlava (eliminava) suas emoções.
O QUE É EMOÇÃO?
Não é fácil conceituar emoção. Não podemos observá-la diretamente. Inferimos sua existência através do comportamento. Contudo, a maioria dos autores concorda em que as emoções são complexos estados de excitação de que participa o organismo todo.
MANIFESTAÇÃO DAS EMOÇÕES
Há três indicadores que são utilizados para identificar as emoções:
Relatos verbais. 
Observação do comportamento.
Indicadores fisiológicos.
DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL
São as emoções inatas ou adquiridas?
O desenvolvimento emocional começa no nascimento e mesmo antes dele. Embora haja divergências referentes a que respostas especificas estão presentes, já na ocasião do nascimento, todos aceitam o que o recém-nascido apresenta reações que denotam sentimentos de prazer e desprazer.
EMOÇÃO E MOTIVAÇÃO
As palavras emoção e motivação provem de um mesmo verbo latino \u201cmovere\u201d que significa mover-se. Ambas indicam um estado de despertar do organismo.
TÓPICOS REFERENTES ÀS EMOÇÕES
As pesquisas no campo das emoções tem produzido um bom numero de conclusões interessantes, sendo algumas as elencadas a seguir:
Diferenças Individuas e Culturais: Cada sociedade desenvolve maneiras que considera adequadas para demonstrar determinada emoção.
Emoção e Ajustamento: O controle e racionalidade são vistos como virtudes.
Emoção e desempenho: As emoções melhoram ou pioram o desempenho de determinada tarefa?
DETECTOR DE MENTIRAS: inventado por Leonard Keller, em 1920.
O CÉREBRO E AS EMOÇÕES: o hipotálamo.
Tipos de emoções.
Referências 
BRAGHIROLLI, Elaine Maria; Guy Paulo Bisi; Luiz Antonio Rizon e Ugo Nicoletto. Psicologia Geral. 30ª ed. \u2013 Petropólis, RJ: Vozes, 2010. 219 p.