Psicanálise - Conceitos Fundamentais
11 pág.

Psicanálise - Conceitos Fundamentais

Disciplina:Psicanálise: Conceitos Fundamentais1 materiais97 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Psicanálise: Conceitos Fundamentais
Conceitos: O que é? Como Surgiu? Pra que Serve?
Para Freud a Psicanálise existe para dar conta das neuroses.
Neuroses: Histeria - Fobia - Toc - Depressão - Pânico
Obra 1895-1939: 44 anos de produção = impossível imaginar que ele pensou a mesma coisa desde o início. “Evolução”!
Não é porque ele* muda que ele não é firme! (*percepção-Freud).

Quem dá o motivo é a teoria.

Eu, Isso & Super-Eu (ego, id & super ego)
Freud: Aparelho Psíquico: Alma funciona em três níveis: consciente, pré-consciente & inconsciente.
A psicanálise se aproxima mais de um pensamento Aristotélico (Alma [psyché]: Vegetativa – Sensitiva/Desejante – Racional)

Especificidade Humana = Racional
Há fatores que interferem no processo “normal” do psiquismo (psiquismo danificado).

Texto: A história do movimento Psicanalítico (1ª parte)

Roteiro de Textos
Neurologista (médico)
↑

1888: Algumas Considerações para um Estudo Comparativo das Paralisias Motoras Orgânicas e Histéricas (anestesia, analgesias, contraturas)
1895: Estudos Sobre a Histeria

1900: A Interpretação dos Sonhos (O Grande Texto de Freud)

1905: Três Ensaios sobre a Sexualidade

1911: Formulação Sobre os Dois Princípios do Funcionamento Psíquico

1914: A História do Movimento Psicanalítico

1915: Artigos Sobre Metapsicologia

1920: Além do Princípio do Prazer

1923: O Eu e o Isso

1930: O Mal-Estar na Civilização

1939: Esboço da Psicanálise

↓

Psicanalista

Termos/Conceitos: Regressão; Conversão; Hipnose; Catarse; Ab-reação; Sugestão; Defesa; Recalque; Resistência

1888: Algumas Considerações para um Estudo Comparativo das Paralisias Motoras Orgânicas e Histéricas (anestesia, analgesias, contraturas)

“Desculpem-me, mas vou ter que ir para a psicologia, para resolver um problema que a neurologia não explicou (não deu conta).” S. Freud

Fisiologia
Periférico - Medular (em projeção)

- As lesões (anestesia, analgesias, contraturas) são individualizadas (fibras, músculo)

#lesão no dedo
Cerebral (em representação)

- Em massa (todo um membro, extremidade)
- Funções mais complexas comprometidas primeiras

- Quanto maior a distância, maior o compredimento

		#lesão no braço

Fato: Senhora → diz →lesão →braço Médico→ diz → assina → aqui Senhora→ assina Médico→ ???????????

Tudo começa com a suspeita de que há uma lesão, pois existe uma paralisia (todos vêem), mas ela não está na fisiologia (medula, encéfalo)

Para Freud: Há sintomas e há lesão em algum lugar

Para Neurologista da época: Há sintoma e não há lesão

A teoria não esta errada, é que há algo “além” nas paralisias histéricas (pag 21)

Deve-se acrescentar algo na teoria anatômica (212)

�

=

A teoria anatômica não está errada. Mas para compreender a histeria é preciso outra “perspectiva”

Qual a natureza da lesão?

R: Ideativa, conceitual

Há dois sistemas: A Neurologia olha para um (sistema Anatômico); A Psicanálise olha para outro (sistema verbal, conceitual, representacional)

Exemplo: Um rei cumprimenta um plebeu; O plebeu nunca mais lava a mão; Ou seja, é colocado na mão um afeto, um sentido; Mudou a importância da mão.
Da mesma forma a paralisia, é colocado no órgão (pelo sistema) um afeto, um sentido em tudo que há ligação.
A histeria investe em partes do corpo com algum afeto

Histeria

Mão peito

 Barriga seios

Ligação

Para Freud: Se eu invisto essa representação de mão com um afeto nojento, se corta a ligação!

Se a mão fez alguma coisa que “não gostei”, então não tenho mais a mão. Corto a ligação.
A histérica não dá a mínima para a mão, pois ela sabe que o importa é a representação.
Algo biológico pode ser “travado” por algo não biológico

Essa associação das representações envolve o corpo

Elimina a associação da representação (pag 213)

Trabalho do Psicanalista: chegar/resgatar a representação (o que “significa” para a pessoa, em particular)

Freud postulou um modo diferente de entender e tratar as neuroses

“Sintomas Orgânicos tem explicação orgânica, e alguns Sintomas Orgânicos tem explicação psíquica.”

Neurologia: Epilepsia é um conjunto comum e diversificado de desordens neurológicas caracterizadas por descargas elétricas anormais dos neurônios, as quais podem gerar convulsões.. Não avisa quando vai acontecer. Durante o ataque há muita contração. Morde a língua. Não se recorda de nada. Perde a orientação, fica abobada – volta ao normal.

Psicanálise: Epilepsia é Histeria. “Avisa” quando vai acontecer. Durante o ataque há muita contração. Não morte a língua. Recorda-se de algumas coisas. Tem alucinações – volta ao normal. Como pode haver um comprometimento proximal grave se a porção distal esta funcionando até bem. Anomalia Funcional provocado por um mecanismo
Esquema: Trauma →Lesão→Sintoma/Ataque
Neurologia: Pancada→ Fratura Cranial→Sintoma/Ataque
Psicanálise: (História)→Associações→Sintoma/Ataque

Freud: Afeto→ Rompimento Associativo → Psicológico

Pag 211

Para a Neurologia o que interessa é Sarar/Resolver a lesão no tecido
Para a Psicanálise o que interessa é Sarar/Resolver a lesão na associação

“Uma (História) que eu não sei que eu não lembro” – Paciente

Trauma é quando a força que vem de fora rompe a capacidade defensiva. Evento carregado de alguma coisa ruim que o sujeito não reagiu. Ordem do impulso que não é satisfeita.
Depende da capacidade Psíquica a resistência a traumas pag 214
Tudo que estiver associado ao objeto que deposito o afeto é atingido pelo meu afeto.
O Psicanalista deve: Descobrir a natureza do trauma.

 Perceber a parte lesionada.

 Descobrir porque que fica apagado na memória? E Porque esqueço um evento traumático?

Quanto mais deposito afeto no objeto, mais o privo de receber outros afetos
Meio Apropriado: Recordar a história

Para um trauma “funcionar” não precisa ser lembrado

Processo: Trauma & afeto “escapa” do consciente

Se investigar o sintoma você chega às cadeias associativas que os determinam

Trauma→ desagradável →não se liga aos outros ‘pensamentos’ (estão esquecidos, pois ele está interrompido/impossibilitado de fazer associações)
Enquanto o mecanismo de defesa esta agrupando o psiquismo você não adoece apesar do trauma

Recalque/Repressão: Mecanismo de defesa típico das neuroses: Defende-me de lembranças desagradáveis: Meu pai batia na minha mãe

Quando o recalque começa apresentar falhas, os traumas de alguma forma vão aparecer → Sintomas (paralisia, perda de sono, agressividade, TOC) → “Representantes dos traumas”
Sintomas→Produto camuflado da associação

Quando o recalque falha → Terapia (aos poucos romper a barreira do consciente. Faz então: Associação do Consciente & Inconsciente

Mas, porque o Inconsciente? Porque determinadas experiências ficam esquecidas?

Temos a capacidade de estabelecer relações/vínculos entre determinadas idéia→ Redes de Raciocínio

Charcot e Janet: Hereditariamente o histérico tem uma constituição que faz com que tal capacidade de relacionar não funciona muito bem ABSURDA / Não lembro de algumas coisas pois a minha capacidade re relacionas pode estar comprometida/ o vinculo pode ser quebrado
Breuer: O ser humano funciona oscilando (ora lá, ora cá) entre dois modos de interação com o mundo:

- Estado Normal

- Estado Hipnóide (dormindo acordado: alguém passa em sua frente e você não vê, você está avoado: sem ligações: contas pra pagar)

Teoria: O trauma aconteceu enquanto a pessoa estava em estados hipnoides
Terapia: Voltar ao estado hipnoides através da hipnose

Se algum fato ocorrer enquanto você estivar no estado hipnóide ela terá características de tal: perde a capacidade associativa. No entanto um neurótico passa mais tempo no estado de hipnóide, logo terá mais fatos ocorridos durante esse processo e maior probabilidade de adoecer de tal.
Surge então a hipnose:
Moisés Tomás Moisés fez um comentário
  • Como faço pra ter o aplicativo?
    0 aprovações
    Carregar mais