A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
252 pág.
Direito Processual Civil

Pré-visualização | Página 44 de 50

conhecimento ou execução. Será 
distribuída normalmente, caso contrário, será distribuída por dependência a ação 
principal. 
 
Art. 846. A produção antecipada da prova pode consistir em interrogatório da parte, 
inquirição de testemunhas e exame pericial. 
 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
179 
 Se a dívida for exigível, é Cautelar Preparatória; se não for exigível, será a Cautelar 
Incidental. 
 
 Após promovida a cautelar, o autor terá 30 dias para propor a Ação de 
Conhecimento de Execução. Depois de deferida a liminar, o autor terá o prazo de 30 
dias. No Perigo da Demora, deve ser demonstrada que a coisa poderá ser 
deteriorada, poderá sumir, pode haver busca e apreensão da pessoa e da coisa. 
 
 Poder Geral de Cautela  Poder discricionário que o juiz tem de substituir uma 
cautela por outra, quando defere uma cautela diferente da que o autor pediu na 
inicial. 
 
 
VI - RELAÇÃO PROCESSUAL CAUTELAR: 
 
1. Legitimidade  Qualquer pessoa interessada em resguardar o seu direito de 
ação futura ou em andamento. Tanto autor quanto réu pode promover a ação; 
 
2. Competência: 
a. Art. 800 do CPC; 
b. Prevenção; 
 
3. Intervenção de Terceiros: 
a. Assistência (Art. 50 a 55 do CPC); 
b. Nomeação à autoria (arts. 62 e 63 do CPC); 
Art. 50. Pendendo uma causa entre duas ou mais pessoas, o terceiro, que tiver interesse 
jurídico em que a sentença seja favorável a uma delas, poderá intervir no processo para assisti-
la. 
Parágrafo único. A assistência tem lugar em qualquer dos tipos de procedimento e em todos os 
graus da jurisdição; mas o assistente recebe o processo no estado em que se encontra. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
180 
Art. 51. Não havendo impugnação dentro de 5 (cinco) dias, o pedido do assistente será 
deferido. Se qualquer das partes alegar, no entanto, que falece ao assistente interesse jurídico 
para intervir a bem do assistido, o juiz: 
I - determinará, sem suspensão do processo, o desentranhamento da petição e da impugnação, 
a fim de serem autuadas em apenso; 
II - autorizará a produção de provas; 
III - decidirá, dentro de 5 (cinco) dias, o incidente. 
Art. 52. O assistente atuará como auxiliar da parte principal, exercerá os mesmos poderes e 
sujeitar-se-á aos mesmos ônus processuais que o assistido. 
Parágrafo único. Sendo revel o assistido, o assistente será considerado seu gestor de negócios. 
Art. 53. A assistência não obsta a que a parte principal reconheça a procedência do pedido, 
desista da ação ou transija sobre direitos controvertidos; casos em que, terminando o processo, 
cessa a intervenção do assistente. 
Art. 54. Considera-se litisconsorte da parte principal o assistente, toda vez que a sentença 
houver de influir na relação jurídica entre ele e o adversário do assistido. 
Parágrafo único. Aplica-se ao assistente litisconsorcial, quanto ao pedido de intervenção, sua 
impugnação e julgamento do incidente, o disposto no art. 51. 
Art. 55. Transitada em julgado a sentença, na causa em que interveio o assistente, este não 
poderá, em processo posterior, discutir a justiça da decisão, salvo se alegar e provar que: 
I - pelo estado em que recebera o processo, ou pelas declarações e atos do assistido, fora 
impedido de produzir provas suscetíveis de influir na sentença; 
II - desconhecia a existência de alegações ou de provas, de que o assistido, por dolo ou culpa, 
não se valeu. 
 
Art. 62. Aquele que detiver a coisa em nome alheio, sendo-lhe demandada em nome próprio, 
deverá nomear à autoria o proprietário ou o possuidor. 
Art. 63. Aplica-se também o disposto no artigo antecedente à ação de indenização, intentada 
pelo proprietário ou pelo titular de um direito sobre a coisa, toda vez que o responsável pelos 
prejuízos alegar que praticou o ato por ordem, ou em cumprimento de instruções de terceiro. 
 
4. Procedimento Cautelar: 
a. Ação autônoma; 
b. Fases. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
181 
 
 Legitimidade  Qualquer pessoa interessada em resguardar o seu direito de ação 
futura ou em andamento. Via de regra, quem sempre promove a cautelar é o autor, 
mas nada impede que o réu também promova. 
 
 O juiz competente será o prevento para julgar a causa principal. A cautelar 
antecederá a ação principal que deverá ser interposta no prazo de 30 dias. Esse é o 
juiz que receberá a inicial da cautelar. 
 
 Proposta a cautelar, formará o juiz prevento. A prevenção se forma antes ou 
durante o processo. 
 
 A liminar é uma decisão interlocutória, não fazendo coisa julgada, sendo atacado 
por agravo retido ou de instrumento. 
 
 A intervenção de terceiro só é possível no caso da assistência: quando o terceiro 
tem interesse na solução do litígio (ex. Credor), pede para ser habilitado como 
assistente. No processo cautelar não há o juízo de cognição, só há na ação de 
conhecimento. O assistente receberá o processo na fase em que se encontra, é uma 
nova lide dentro do processo, sujeita o assistente à sucumbência processual. 
 
 Nomeação à Autoria  Ao invés de responder a ação, nomeia um terceiro, ocorre 
sempre na pessoa do preposto (representante). O autor é intimado para aceitar ou 
não a nomeação à autoria. 
 
 No processo de execução, não cabe a intervenção de terceiro. A execução 
hipotecária segue rito próprio. 
 
 Cautelar  Tida como autônoma, pois será promovida por autos próprios, petição 
inicial (art. 282, 283 e 801 do CPC). Com a citação do réu, cognição sumária (célere, 
rito sumário), se desenvolve independente de outra ação, mas perde a sua eficácia se 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
182 
o autor não ajuizar a ação principal no prazo de 30 dias. Se o juiz indeferir a tutela, o 
autor não terá prazo para ajuizar a ação principal. 
 
VII - FASES DO PROCEDIMENTO CAUTELAR: 
 Fase Postulatória (inicial e contestação / impugnação à contestação – quando 
o réu alegar preliminar – matéria que exclui, modifica o fato alegado pelo 
autor); 
 Fase de Pedido e Requerimento; Fase Saneatória (vícios e nulidades sanáveis; 
é um mero procedimento pelo juiz); 
 Fase Instrutória (dilação probatória, provas e audiência sumária; o juiz poderá 
mudar o rito para ordinário); 
 Fase Decisória (profere sentença em audiência ou no prazo de 10 dias. Cabe 
recurso de apelação – prazo: art. 508 do CPC – no prazo de 15 dias). 
 
Art. 508. Na apelação, nos embargos infringentes, no recurso ordinário, no recurso especial, 
no recurso extraordinário e nos embargos de divergência, o prazo para interpor e para 
responder é de 15 (quinze) dias. 
 
 Petição Inicial  Requisitos dos arts. 282, 283 e 801 do CPC. A petição deve ser 
escrita. Na medida cautelar não cabe petição oral. 
 
 Requisitos  Art. 801, c/c 282 e 283 do CPC; 
 Valor da causa; 
 Pedido de citação (aplicar por analogia os artigos 282 e 283). 
 Partes e autoridade; 
 Lide e seu fundamento (é a demonstração genérica do perigo da demora caso 
não seja deferida a liminar); 
 
 Liminar  Medida urgente que o juiz determina que se cumpra em favor do 
autor. 
 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
183 
 Antecipação da Tutela  Objeto da ação principal. 
 
 Lide  Resistência apresentada pelo réu. 
 
 Exposição sumária do direito ameaçado  É a demonstração de que a 
fundamentação está ligada a prática (não precisa se aprofundar), basta apresentar o 
perigo da demora e a fumaça do bom direito. 
 
 Provas  O autor apresentará as provas que