Introdução à Microbiologia
67 pág.

Introdução à Microbiologia


DisciplinaMicrobiologia17.140 materiais311.241 seguidores
Pré-visualização19 páginas
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
INSTITUTO DE FÍSICA DE SÃO CARLOS
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS EXATAS
DISCIPLINA BIOLOGIA 3
INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA
Nelma R. Segnini Bossolan
2002
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO 1
1.1 POSIÇÃO DOS MICRORGANISMOS NO MUNDO VIVO 2
1.2 DISTRIBUIÇÃO DOS MICRORGANISMOS NA NATUREZA 3
1.3 ÁREAS DE APLICAÇÃO DA MICROBIOLOGIA 4
1.4 A EVOLUÇÃO DA MICROBIOLOGIA 5
1.4.1 GERAÇÃO ESPONTÂNEA VERSUS BIOGÊNESE 5
1.4.2 TEORIA MICROBIANA DAS DOENÇAS 7
1.5 CARACTERIZAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DOS MICRORGANISMOS 8
2 BACTÉRIAS 10
2.1 MORFOLOGIA E ULTRA-ESTRUTURA DAS BACTÉRIAS 10
2.1.1 ESTRUTURAS BACTERIANAS 13
2.2 CULTIVO DAS BACTÉRIAS 17
2.2.1 TIPOS NUTRITIVOS DAS BACTÉRIAS 17
2.2.2 MEIOS BACTERIOLÓGICOS 19
2.2.3 CONDIÇÕES FÍSICAS NECESSÁRIAS AO CRESCIMENTO 20
2.3 REPRODUÇÃO E CRESCIMENTO 21
2.3.1 REPRODUÇÃO 21
2.3.2 CRESCIMENTO 23
2.4 PRINCIPAIS GRUPOS DE BACTÉRIAS 24
2.4.1 BACTÉRIAS PATOGÊNICAS 25
3 FUNGOS 28
3.1 INTRODUÇÃO 28
3.2 CARACTERÍSTICAS PRÓPRIAS DOS FUNGOS 28
3.2.1 REPRODUÇÃO NOS FUNGOS 30
3.2.2 FISIOLOGIA E NUTRIÇÃO DOS FUNGOS 31
3.3 CLASSIFICAÇÃO DOS FUNGOS 32
3.3.1 ZYGOMYCETES 33
3.3.2 ASCOMYCETES 34
3.3.3 BASIDIOMYCETES 36
3.3.4 DEUTEROMYCETES 37
3.4 FUNGOS E SUAS ASSOCIAÇÕES COM OUTROS ORGANISMOS 38
3.4.1 LIQUENS 38
3.4.2 MICORRIZAS 39
3.4.3 TRUFAS 39
3.5 FUNGOS ECONOMICAMENTE IMPORTANTES 39
3.5.1 FUNGOS PATOGÊNICOS 40
4 VÍRUS 43
4.1 INTRODUÇÃO 43
4.2 HISTÓRICO 43
4.3 ESTRUTURA DOS VÍRUS 44
4.4 CLASSIFICAÇÃO DOS VÍRUS ANIMAIS E DE PLANTAS 45
4.5 REPLICAÇÃO DO VÍRUS 47
4.6 BACTERIÓFAGOS 50
4.7 ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DO VÍRUS 51
4.8 AGENTES INFECCIOSOS SEMELHANTES A VÍRUS 51
5 CONTROLE DOS MICRORGANISMOS 53
5.1 FUNDAMENTOS 53
5.2 CONDIÇÕES QUE INFLUENCIAM A AÇÃO ANTIMICROBIANA 54
5.3 MODO DE AÇÃO DOS AGENTES ANTIMICROBIANOS 54
5.4 CONTROLE PELOS AGENTES FÍSICOS 54
5.4.1 APLICAÇÃO DAS ALTAS TEMPERATURAS 54
5.4.2 APLICAÇÃO DE BAIXAS TEMPERATURAS 55
5.4.3 RADIAÇÕES 56
5.5 CONTROLE PELOS AGENTES QUÍMICOS 57
5.5.1 ESCOLHA DO AGENTE QUÍMICO ANTIMICROBIANO 57
5.5.2 PRINCIPAIS GRUPOS DE DESINFETANTES E ANTI-SÉPTICOS 58
5.6 ANTIBIÓTICOS E OUTROS AGENTES QUIMIOTERÁPICOS 59
6 BIBLIOGRAFIA 64
IFSC / LCE / Biologia 3 \u2013 Microbiologia
_____________________________________________________________________________________________ 1
1 Introdução
A ciência da Microbiologia [do grego: mikros (\u201cpequeno\u201d), bios (\u201cvida\u201d) e
logos (\u201cciência\u201d)] é o estudo dos organismos microscópicos e de suas atividades.
Preocupa-se com a forma, a estrutura, a reprodução, a fisiologia, o metabolismo e a
identificação dos seres microscópicos. Inclui o estudo da sua distribuição natural, suas
relações recíprocas e com outros seres vivos, seus efeitos benéficos e prejudiciais sobre
os homens e as alterações físicas e químicas que provocam em seu meio ambiente.
Em sua maior parte, a Microbiologia trata com organismos microscópicos
unicelulares. Nas assim chamadas formas superiores de vida, os organismos são
compostos de muitas células, que constituem tecidos altamente especializados e órgãos
destinados a exercer funções específicas. Nos indivíduos unicelulares, todos os
processos vitais são realizados numa única célula. Independentemente da complexidade
de um organismo, a célula é, na realidade, a unidade básica da vida.
Todas as células vivas são basicamente semelhantes. Conforme já foi visto, elas
compõem-se de protoplasma (do grego: a primeira substância formada), um complexo
orgânico coloidal constituído principalmente de proteínas, lipídeos e ácidos nucleicos; o
conjunto é circundado por membranas limitantes ou parede celular, e todos contêm um
núcleo ou uma substância nuclear equivalente.
Todos os sistemas biológicos têm as seguintes características comuns: 1)
habilidade de reprodução; 2) capacidade de ingestão ou assimilação de substâncias
alimentares, metabolizando-as para suas necessidades de energia e de crescimento; 3)
habilidade de excreção de produtos de escória; 4) capacidade de reagir a alterações do
meio ambiente (algumas vezes chamada de "irritabilidade"), e 5) suscetibilidade à
mutação.
Os princípios da Biologia podem ser demonstrados através do estudo da
Microbiologia, pois os microrganismos têm muitas características que os tornam
instrumentos ideais para a pesquisa dos fenômenos biológicos. Os microrganismos
fornecem sistemas específicos para a investigação das reações fisiológicas, genéticas e
bioquímicas, que são a base da vida. Eles podem crescer, de maneira conveniente, em
tubos de ensaio ou frascos, exigindo, assim, menos espaço e cuidados de manutenção do
que as plantas superiores e os animais. Além disso, crescem rapidamente e se
reproduzem num ritmo muito alto; algumas espécies bacterianas demonstram quase 100
gerações num período de 24 horas. Os processos metabólicos dos microrganismos
seguem os padrões que ocorrem nos vegetais superiores e nos animais. As leveduras,
por exemplo, utilizam a glicose, basicamente do mesmo modo que as células dos tecidos
de mamíferos, revelando que o mesmo sistema enzimático está presente nestes
organismos tão diversos.
Em Microbiologia pode-se estudar os organismos em grande detalhe e observar
seus processos vitais durante o crescimento, a reprodução, o envelhecimento e a morte.
Modificando-se a composição do meio ambiente, é possível alterar as atividades
metabólicas, regular o crescimento e, até alterar alguns detalhes do padrão genético,
tudo sem causar a destruição do microrganismo.
Os principais grupos de microrganismos são os protozoários, fungos, algas e
bactérias. Os vírus, apesar de não serem considerados vivos, têm algumas características
de células vivas e por isso são estudados como microrganismos. Este texto irá abordar
IFSC / LCE / Biologia 3 \u2013 Microbiologia
_____________________________________________________________________________________________ 2
temas sobre bactérias, fungos e vírus, uma vez que algas e protozoários já foram vistos
em etapa anterior.
1.1 Posição dos microrganismos no mundo vivo
A Microbiologia estuda alguns organismos que são predominantemente
semelhantes ao vegetais , outros que são similares aos animais e, um terceiro grupo que
tem características aos animais e vegetais. Visto que não existem organismos que não
pertencem, naturalmente, a nenhum destes dois reinos, foi proposta a criação de novos
reinos que os pudessem incluir.
Uma dessas primeiras proposições foi feita em 1866 pelo zoólogo alemão E. H.
Haeckel. Este autor sugeriu que um terceiro reino incluísse os microrganismos que,
tipicamente não poderiam ser classificados como vegetais ou animais. Esses organismos
foram chamados de protistas e colocados no reino Protista, constituído unicamente por
seres unicelulares. Assim, ao se falar de modo geral em protistas, compreendem-se
bactérias, algas, fungos e protozoários, excluindo-se os vírus que não são organismos
celulares.
Mediante os progressos do conhecimento da ultra-estrutura celular, os
microrganismos puderam ser divididos em duas categorias: procariotos e eucariotos.
Esta divisão baseia-se nas diferenças de organização da maquinaria celular, já vistas
neste curso. As algas azuis (cianofíceas) e as bactérias são organismos procariotos.
Ana Sofia
Ana Sofia fez um comentário
um saco não dá pra imprimir direto do site
0 aprovações
daniele
daniele fez um comentário
COMO FACO PARA IMPRIMIR
1 aprovações
Juliana
Juliana fez um comentário
Ótimo material ..muito obrigada!
1 aprovações
Candida
Candida fez um comentário
o padrão na montagem direta em KOH apresentado pela espécie T.soudanense é denominado
0 aprovações
Eliana
Eliana fez um comentário
relatório de bactéria está floco usar áureos
0 aprovações
Carregar mais