A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
EXERCÍCIOS HISTORIA COC

Pré-visualização | Página 7 de 50

entre os aris-
tocratas e camponeses;
d) a economia era baseada na agricultura e na criação, atividades vinculadas a um com-
plexo sistema de irrigação;
e) a arquitetura funerária representava a religiosidade dos egípcios. As pirâmides eram
usadas como túmulo para toda a população.
45. UFPE Em relação à arte do Egito Antigo, assinale a alternativa correta.
a) Visava à valorização individual do artista.
b) Manifestava as idéias estéticas com representações da natureza, evitando a represen-
tação da figura humana.
c) Estava destinada à glorificação do faraó e à representação da vida de além-túmulo.
d) Aproveitava os hieróglifos como ornamentação.
e) Era uma arte abstrata de difícil interpretação.
HISTÓRIA - O modo de produção asiático, Grécia antiga e mundo romano
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
15
46. U.E. Ponta Grossa-PR
“De todas as cidades é provavelmente a pólis, cidade-estado grega, a que mais claramente
expressa a dimensão política do urbano. Do ponto de vista territorial, uma pólis se divide em duas
partes: a acrópole (...) e a ágora (...) No entanto, se perguntássemos a um grego da época clássica
o que era a pólis, provavelmente esta não seria sua definição: para ele a pólis não designava um
lugar geográfico, mas uma prática política exercida pela comunidade de seus cidadãos. Da mesma
forma se referiam os romanos à civitas, a cidade no sentido da participação dos cidadãos na vida
pública. Se no caso da polis ou da civitas o conceito de cidade não se referia à dimensão espacial
da cidade e sim à sua dimensão política, o conceito de cidadão não se refere ao morador da
cidade, mas ao indivíduo que, por direito, pode participar da vida política.”
ROLNIK, Raquel. O que é cidade.
Sobre o assunto tratado neste texto, assinale o que for correto.
01. A cidadania, direito de participar da vida pública, atingia a todos os habitantes da
cidade-estado.
02. A soberania dos cidadãos dotados de plenos direitos era fundamental para a existên-
cia da cidade-estado.
04. Nas cidades-estados gregas, a cidadania estava relacionada à propriedade de lotes
agrícolas no território que constituía a cidade.
08. Como a polis grega, a civitas romana era considerada, acima de tudo, como uma
coletividade (conjunto de cidadãos), e não como um sítio geográfico.
16. No mundo greco-romano, campo e cidade, embora autônomos, conviveram de for-
ma equilibrada em toda a trajetória política das cidades-estados.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
47. U. Caxias do Sul-RS
“A constituição que no rege nada tem a invejar a dos outros povos; serve a eles de modelo e
não os imita. Recebe o nome de democracia, porque o seu intuito é o interesse do maior número
e não de uma minoria. Nos negócios privados, todos são iguais perante a lei; mas a consideração
não se outorga senão àqueles que se distinguem por algum talento. É o mérito pessoal, muito
mais do que as distinções sociais, que franqueia o caminho das honras.”
Discurso de Péricles. Apud: TUCÍDIDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília:
Editora Universidade Brasília, 1987, p. 98 - Texto adaptado.
O texto acima refere-se aos princípios ideais da democracia grega, em especial, da ate-
niense no século V a.C. Estes ideais, quando aplicados à prática política, revelavam-se.
a) amplamente participativos, porque garantiam os direitos políticos a todos os habitan-
tes da pólis, independentemente da classe social a que pertenciam.
b) contraditórios, porque os escravos só poderiam participar da vida política depois que
quitassem a dívida que os havia levado a tal condição.
c) participativos, uma vez que o único critério de exclusão da vida política, assim como
hoje em dia, era a alfabetização.
d) excludentes, porque os direitos políticos eram privilégios dos cidadãos e vetados aos
estrangeiros, escravos e mulheres.
e) restritivos, porque limitavam a participação política aos habitantes da cidade, em de-
trimento dos moradores do campo.
48. Mackenzie-SP A crise do Império Romano foi marcada por um processo que:
a) alterou as relações sociais e políticas determinando novos vínculos, assentados, prin-
cipalmente, na posse de terras.
b) foi responsável pela consolidação e expansão das instituições políticas e sociais ro-
manas por toda a Europa.
c) criou novas atividades econômicas e intensificou as relações comerciais entre o Impé-
rio Romano do Ocidente e o Império Romano do Oriente.
d) favoreceu o crescimento das cidades, devido ao êxodo rural provocado pelos constan-
tes ataques dos invasores bárbaros.
e) transformou as terras de cultivo em pastagens cercadas, tornando-as propriedades pri-
vadas, o que ocasionou a marginalização dos agricultores.
HISTÓRIA - O modo de produção asiático, Grécia antiga e mundo romano
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
16
49. UFMT Tendo como base o texto, julgue os itens; colocando V, se for verdadeiro ou F se
for falso.
“Nossa constituição não segue as leis de outras cidades, antes lhes serve de exemplo. Nosso
governo se chama democracia, porque a administração serve aos interesses de uma maioria e não
de uma minoria.”
AQUINO, Rubim S.L. e outros. Trechos do discurso de Péricles.
In: História das sociedades – das comunidades primitivas às sociedades medievais. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1980, p.
201.
( ) O autor do discurso citado foi um líder oligárquico que impôs o seu predomínio
militar a toda a Grécia durante o século III d. C.
( ) Péricles governou Atenas por trinta anos durante os quais a cidade viveu seu auge
econômico, militar, político e cultural.
( ) A democracia, modelo de organização política desenvolvido nessa época e adapta-
do para o mundo contemporâneo, permitia a participação de aproximadamente dez
por cento, apenas, da população de Atenas.
( ) O que permitiu a Atenas desenvolver a democracia foi a sua condição de centro
hegemônico do mundo grego, conquistada após as Guerras Médicas.
50. Uniderp-MS Em Atenas, na Grécia antiga, durante os séculos VI e V a. C., sob os
governos de Clístenes e de Péricles, desenvolveu-se plenamente o regime político deno-
minado:
a) Tirania. d) Monarquia.
b) Aristocracia. e) Democracia.
c) Oligarquia.
51. UFCE Leia com atenção as afirmativas abaixo sobre as condições sociais, políticas e
econômicas da Mesopotâmia.
I. As condições ecológicas explicam porque a agricultura de irrigação era praticada
através de uma organização individualista.
II. Na economia da baixa Mesopotâmia, as fomes e crises de subsistência eram freqüen-
tes, causadas pela irregularidade das cheias e também pelas guerras.
III. Na Suméria, os templos e ziggurats foram construídos graças à riqueza que os sacer-
dotes administravam à custa do trabalho de grande parte da população.
IV. A presença dos rios Tigre e Eufrates possibilitou o desenvolvimento da agricultura e
da pecuária e também a formação do primeiro reino unificado da História.
Sobre as afirmativas acima, é correto afirmar:
a) I e II são verdadeiras;
b) III e IV são verdadeiras;
c) I e IV são verdadeiras;
d) I e III são verdadeiras;
e) II e III são verdadeiras.
52. UFSE As sociedades orientais da Antigüidade, especialmente a egípcia e a mesopotâ-
mica, desenvolveram-se em regiões, semi-áridas, que necessitam de grandes obras hi-
dráulicas para cultivo agrícola. Nessas sociedades,
a) desenvolveu-se o modo de produção escravista intimamente relacionado ao caráter
bélico e expansionista desses povos.
b) o Estado constituía o principal instrumento de poder das camadas populares, assegu-
rando e ampliando seu domínio sobre os outros grupos.
c) a superação das comunidades levou ao surgimento da propriedade privada e, conse-
qüentemente , à utilização da mão-de-obra escrava.
d) predominava a servidão coletiva, onde o indivíduo explorava a terra como membro da
comunidade e servia ao