material80
2 pág.

material80


DisciplinaResponsabilidade Civil e Dano A Pessoa8 materiais337 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1) Em relação ao ato administrativo, o Poder Judiciário _________. Das opções
abaixo, qual a que preenche melhor o sentido da frase?

A( ) Tanto pode anulá-lo como revogá-lo;

B( ) Só pode anulá-lo;

C( ) Só pode revogá-lo;

D( ) Só pode anulá-lo, desde que não seja ato discricionário.

2) Invalidou-se a nomeação de um Juiz para o Tribunal Regional do Trabalho,
por ilegalidade, produzindo efeitos ex-tunc. Pergunta-se: do ponto de vista
jurídico este ato foi?

A( ) revogado.

B( ) anulado.

C( ) cassado.

D( ) invalidado.

3) (Analista TRT/2ª Região - FCC/2014) De acordo com a separação de
poderes constitucionalmente estabelecida, a função de administrar incumbe
ao Poder Executivo. A Administração Pública, no desempenho das tarefas
inerentes a essa função

A( ) submete-se ao controle externo do Poder Judiciário, vedada
interferência de outros órgãos ou entes, ainda que da mesma
esfera de governo, em especial quando se tratar de atuação
discricionária.

B( ) admite controle interno de outros órgãos, entes ou Poderes,
vedado o controle externo no que se refere aos aspectos
discricionários da atuação.

C( ) admite controle do poder externo, tanto dos órgãos que integram
a estrutura da Administração, quanto do Tribunal de Contas, cuja
análise de mérito é mais restrita que o controle desempenhado
pelo Poder Judiciário, que o faz sem distinção.

D( ) submete-se a controle externo exercido pelo Legislativo, com
auxílio do Tribunal de Contas, que pode abranger análise de
critérios que excedem a legalidade, tal como economicidade.

4) (Analista \u2013 TRT/23ª Região \u2013 2007 \u2013 FCC) No que se refere à
responsabilidade civil do Estado, a Constituição Federal de 1988

A( ) acolheu a teoria da responsabilidade objetiva do Estado e da
responsabilidade subjetiva do servidor, pois assegurou o direito
de regresso contra o agente causador só nos casos de dolo.

B( ) acolheu a teoria da responsabilidade subjetiva do Estado e da
responsabilidade objetiva do funcionário público.

C( ) acolheu a teoria da responsabilidade objetiva do Estado e da
responsabilidade subjetiva do servidor, pois assegurou o direito
de regresso contra o agente causador nos casos de dolo ou culpa.

D( ) determina que para a responsabilidade por culpa do servidor é
essencial a existência da culpa administrativa, mesmo que
levíssima.

5) O excesso de tensão no restabelecimento do fornecimento de energia
elétrica, após blecaute, causou danos a bens de consumidores. Nessa
hipótese, sabendo-se que é normal haver excesso de tensão após blecaute,
a concessionária do serviço de distribuição de energia elétrica, empresa
privada,

A( ) responde pelos danos, porque a concessionária de serviço tem
responsabilidade civil.

B( ) não responde pelos danos, porque não houve culpa da
concessionária.

C( ) responde pelos danos, porque houve defeito na prestação de um
serviço público de titularidade da concessionária, ainda que
empresa privada.

D( ) não responde pelos danos, porque a concessionária é empresa
privada.

6) Responsabilidade objetiva do Estado aperfeiçoa-se com a concorrência
conjunta dos seguintes requisitos:

A( ) nexo de causa e efeito entre o ato administrativo e a ausência de
dolo ou de culpa do agente público.

B( ) ato administrativo e ausência de culpa da vítima.

C( ) ação administrativa, dano e nexo causal.

D( ) serviço público e ocorrência de causa excludente de
responsabilidade estatal.

7) O Estado poderá ser condenado a indenizar a mãe de um preso assassinado
dentro da própria cela por outro detento?

A( ) Sim, ante a responsabilidade objetiva do Estado.

B( ) Não, porque o dano não foi causado por agente estatal.

C( ) Sim, desde que provada culpa dos agentes penitenciários na
fiscalização dos detentos.

D( ) Não, porque não há vínculo causal entre o evento danoso e o
comportamento estatal.

8) Na forma da Constituição Federal vigente, as pessoas jurídicas de direito
público respondem pelos danos que seus agentes, nessa qualidade,
causarem a terceiros. Em face disso, diz-se que:

A( ) a responsabilidade objetiva alcança a conduta do funcionário
ainda que fora do âmbito de suas funções.

B( ) o requisito de subjetividade é reservado apenas para a ação
regressiva contra o agente público responsável.

C( ) a responsabilidade objetiva do Estado, no Direito brasileiro,
alcança todos os danos decorrentes de atividade ou omissão
estatal, desde que, neste último caso, fique comprovada a culpa
concorrente da vítima.

D( ) todas as pessoas jurídicas de direito público respondem sempre
por todos os danos causados pelos seus agentes públicos,
independentemente de aferição da culpa e da existência de nexo
de causalidade com o dano.

9) No campo da responsabilidade extracontratual do Estado, diz-se que este
não se converte em segurador universal, visto que o Direito brasileiro, como
regra geral, não adota a teoria:

A( ) do risco administrativo.

B( ) da responsabilidade objetiva nos casos de nexo causal.

C( ) do risco integral.

D( ) da responsabilidade subjetiva por condutas comissivas.

10) Vítima da chamada "bala perdida" teria mais condições de ser indenizada
pelo Estado brasileiro se nossa Constituição adotasse a teoria da
responsabilidade:

A( ) subjetiva do risco integral.

B( ) objetiva do risco administrativo.

C( ) subjetiva do risco administrativo.

D( ) objetiva do risco integral.

11) Josué, condenado por latrocínio e estelionato, cumprindo pena em regime
aberto, fugiu diversas vezes do estabelecimento prisional. Embora sempre
localizado e novamente detido pelas autoridades policiais, ele não foi
submetido a regressão de regime prisional. Durante a oitava fuga, Josué
praticou estupro contra criança de 12 anos de idade. Tendo por base essa
situação hipotética, assinale a opção correta acerca da responsabilidade do
Estado.

A( ) Configura-se, no caso, a responsabilidade subjetiva do Estado em
face do fato de Josué não ter sido submetido à regressão de
regime prisional e ter cometido o crime em ocasião em que deveria
estar preso.

B( ) Nesse caso, é impossível a configuração do nexo causal, pois não
houve uma conduta positiva, ou seja, um agir, por parte da
administração pública.

C( ) Na situação apresentada, sequer cabe discutir a
responsabilização do Estado, pois o ato danoso praticado foi
realizado por um particular Josué e, não por um agente público.

D( ) A situação apresentada é aplicável a teoria do risco integral.

12) Sobre a Responsabilidade Civil do Estado é incorreto afirmar que:

A( ) o Estado pode responder pelos danos causados em virtude de
atos judiciais.

B( ) as empresas públicas e sociedade de economia mista respondem
pelos danos que seus agentes causarem a terceiros.

C( ) o Estado responde por danos causados a alunos de escola
pública, causado por colega na dependência do estabelecimento.

D( ) o Estado não responde pelos danos causados por ato do Poder
Legislativo no exercício de sua função primordial.

13) Para que alguém obtenha indenização do Estado por danos que lhe tenham
sido causados por atos comissivos de seus agentes, é necessário provar,
além do dano, o nexo de causalidade entre o dano e a atuação...

A( ) dolosa ou culposa do agente.

B( ) dolosa do agente.

C( ) do agente.

D( ) ilegal do agente.

14) A teoria da responsabilidade objetiva do Estado consiste em que ele
responde pelos danos causados por seus agentes a terceiros, ...

A( ) sendo restrita às pessoas jurídicas de direito público.

B( ) depende de prévia prova de dolo ou culpa daqueles servidores.

C( ) não se admitindo excludente, por culpa do paciente (vítima).

D( ) independente de prévia prova