quimica - 4
7 pág.

quimica - 4

Disciplina:Química Geral Experimental669 materiais10.281 seguidores
Pré-visualização1 página
UFF - Universidade Federal Fluminense

PUVR – Pólo Universitário de Volta Redonda

Prática nº. 03: Reações Químicas
26/10/2011

Disciplina: Química Experimental I

Turma:VC
Nomes:

Arthur Coelho Abrantes
Vinícius de Almeida Barreto

Professor: Gilmar Clemente Silva

Introdução

	O cálculo das quantidades das substancias envolvidas numa reação química é chamado estequiometria.
	Para efetuar os cálculos estequiométricos, devem-se conhecer as proporções existentes entre os elementos que formam as diferentes substâncias, ou seja, a relação estequiométrica entre produtos e reagentes permite calcular a massa de produto através da massa do reagente.

Objetivo

Analisar aspectos qualitativos e quantitativos das reações químicas, mostrando que através do cálculo estequiométrico determinam-se as quantidades de reagentes consumidos e de produtos formados nas reações químicas.

Parte Experimental

Materiais e reagentes utilizados

	Os materiais que foram utilizados para os experimentos foram:

-3 béqueres de 100mL
-pipeta de 25mL
-pipeta de 10mL
-pisseta
-conta gotas

-tubo de ensaio

-papel de filtro

-funil de vidro

	Os reagentes usados para os experimentos foram:

-10mL de cloreto de bário
-10mL de ácido sulfúrico

-água

Procedimento Experimental

Na primeira parte do experimento, pega-se um tubo de ensaio e coloca-se aproximadamente 5mL de água. Em seguida adiciona-se 15 gotas de ácido sulfúrico concentrado.

Então pega-se outro tubo de ensaio e coloca-se aproximadamente 5mL de água. Em seguida adiciona-se 3 pérolas de hidróxido de sódio.
Dividi-se a solução preparada com ácido sulfúrico, em duas partes iguais. E em seguida em um dos tubos adicione 2 gotas de fenolftaleína e no outro a mesma quantidade de alaranjado de metila.
Então dividi-se a solução preparada com hidróxido de sódio, em duas partes iguais. E em seguida em um dos tubos adicione 2 gotas de fenolftaleína e no outro a mesma quantidade de alaranjado de metila.
Pegue dois tubos de ensaio. Coloque em um deles pequena quantidade de cloreto de amônio. No outro coloque quantidade idêntica de nitrato de sódio. Em ambos os tubos foi adicionado em torno de 5 mL de água.
Na segunda parte é colocado em um tubo de ensaio, ácido clorídrico diluído mais solução de nitrato de prata. Então a mistura obtida no item 1 é filtrada com um pequeno funil de vidro contendo papel de filtro dobrado, sobre o tubo de ensaio, após a filtração é deixado o sistema montado no mesmo local, de modo que o resíduo obtido no papel de filtro (Cloreto de Prata) fique exposto à luz.
Na terceira parte do experimento, em um tubo de ensaio contendo 1mL de ácido clorídrico 1M é adicionado aparas de magnésio. Este processo é reversível ou irreversível?
A quarta parte do experimento foi divido em duas partes: Corrosão sob tensão mecânica e a preparação do espelho de prata.

Na parte de corrosão sob tensão mecânica, um material apresenta fissuras por corrosão sob tensão mecânica, as quais se propagarão com o tempo para o seu interior, provocando a sua fragilização. Assim, um mesmo material pode desenvolver em si zonas anódicas e catódicas. A combinação entre solicitação mecânica e meio agressivo causa acentuada corrosão localizada.
E então é preparado 50 g de solução de NaCl a 3%, 100 mL de solução de HCl a 0,5 mol/L e 50 mL de solução de H2SO4 a 4% em volume, e em seguida é adicionado 10 gotas da solução de K3[Fe(CN)6] e 5 gotas da solução de fenolftaleína à solução de NaCl e então é homogeneizada a solução. Então é limpado mecanicamente o prego curvo com a lã de aço. E de capado com a solução de HCl e então enxaguado. Após isso o prego é colocado dentro da placa de petri, e coberto completamente com a solução de NaCl. Após estes procedimentos não pode “pertubar” a solução.

	Na parte da preparação do espelho de prata, colocado em um tubo de ensaio, previamente limpo, 2 mL de AgNO3 0,1 mol/L e a seguir, 2 gotas de NaOH 2 mol/L. Então é dissolvido o precipitado pardo obtido no item 2.2 b com gotas de NH3 ~15 mol/L (concentrada). É adicionado 2 mL de solução aquosa de glicose 2% (p/v), recém-preparada, e então é agitado. Em seguida, é colocado o tubo de ensaio em um béquer com água mantida a 60ºC durante 10 minutos, sendo que a solução contida no tubo deve ficar totalmente imersa no banho.

	
Resultados e Discussões

	Na primeira parte do experimento ao adicionar acido sulfúrico na reação houve liberação de calor, portanto aqueceu levemente o tubo de ensaio(permanecendo aquecido por um grande período de tempo).
	Ao adicionar hidróxido de sódio, aparentemente não houveram muitas mudanças, mas o que foi notório foi a apirção de muitas bolhas.

	Na adição de fenolftaleína permaneceu incolor, mas com adição de alaranjado de metila tornou a mistura num tom avermelhado.
	Na adição de fenolftaleína ficou rosado a mistura, e com adição de alaranjado de metila deixou a mistura com a cor amarelo. E ambos após um tempo foram se tornando incolores.

	No tubo de cloreto de amônio quando foi adicionado água, o recipiente apenas esfriou.
	No tubo de nitrato de sódio quando foi adicionado água, o recipiente apenas esfriou, porém, em relação ao tubo com cloreto de amônio e água, ele ficou com uma temperatura levemente maior.

	Na segunda parte do experimento, com a mesma quantidade, formou um resíduo branco ao fundo e um pouco na superfície. Sendo que inicialmente o precipitado estava branco e depois de filtrado e com passar do tempo ele foi escurecendo ficando então com uma tonalidade roxa, sendo que foi usada pisseta para lavar.
	Na terceira parte do experimento ao adicionar as aparas de magnésio que estavam com uma tonalidade cinza, este começou a dissolver, e o recipiente foi esquentando e borbulhando, e também ficaram brancas, além de diminuir o tamanho.

	Na quarta parte(da corrosão sob tensão mecânica), inicialmente a reação tinha a tonalidade verde claro. Após um tempo ao redor do prego começou a aparecer tons azulados na reação, e em outros pontos tonalidades rosadas, assim como é mostrada na figura abaixo:

			Figura 1 – Corrosão do prego

	E na parte de preparação do espelho de prata, ao adicionar o NaOH, a mistura ficou marrom, e ao então quando foi adicionado o hidróxido de amônio foi tudo dissolvido e voltou a ficar incolor.
	Ao fundo, foi formado varias bolinhas de sólidos e depois quando a mistura foi esquentando começou a dissolver e acumular na parede do tubo, em forma de prata. E mais próximo da superfície ficou um pouco amarelado(no vidro).

Conclusões

	

Questionário

Escreva todas as reações químicas envolvidas nos itens II.1, II.2, II.3 e II.4a.

AgNO3 + HCl  AgCl + HNO3
2HCl + Mg  MgCl2 + H2

Bibliografia

 Usamos como referências os sites a seguir:

http://www.infoescola.com/elementos-quimicos/bario/

http://luizclaudionovaes.sites.uol.com.br/mistsolrea.htm

http://www.pdamed.com.br/diciomed/pdamed_0001_15453.php

 Usamos como referencia o livro a seguir:

Ubsberco e Salvador – Química volume 1 – Editora Saraiva