Farmacologia dos vasoconstritores
7 pág.

Farmacologia dos vasoconstritores


DisciplinaAnestesiologia2.131 materiais48.687 seguidores
Pré-visualização2 páginas
FARMACOLOGIA DOS VASOCONSTRITORES
Os AL injetáveis são vasodilatadores. O grau de vasodilatação varia de significativo (procaína) a mínimo (prilocaína, mepvacaína) e também pode variar de acordo com o local de injeção e a resposta individual do paciente. Após a injeção do AL nos tecidos, os vasos sanguíneos da área dilatam-se, resultando em aumento da perfuração no local e levando as seguintes reações:
 - Aumento de absorção do AL pelo sistema cardiovascular, que o remove do local de infiltração (redistribuição).
- Maiores níveis plasmáticos do AL, com aumento de risco de toxicidade (intoxicação por dose excessiva) do AL.
- Diminuição da profundidade e da duração da anestesia devido à difusão mais rápida da solução anestésica p/ fora do local de injeção.
- Aumento do sangramento local devido ao aumento da perfuração.
Vasoconstritores são fármacos que contraem os vasos sanguíneos e, por tanto, controlam a perfusão tecidual. Eles são adicionados aos AL p/ equilibrar as ações vasodilatadoras. Os vasoconstritores são adições importantes a uma solução de AL, pelas seguintes razões:
- Diminuem o fluxo sanguíneo (perfusão) local por meio da constrição dos vasos.
- A absorção do AL p/ o sistema cardiovascular se torna mais lenta, resultando em níveis sanguíneos menores do anestésico.
- Níveis sanguíneos do AL são reduzidos, diminuindo o risco de toxicidade do AL.
- Maiores quantidades de AL penetram no nervo, onde permanecem por períodos mais longos, aumentando a duração de ação da maioria dos AL.
- Vasoconstritores diminuem o sangramento local, se tornando úteis quando é previsto sangramento elevado (ex.: durante cirurgia).
	
FARMACOLOGIA DE AGENTES ESPECÍFICOS
A adrenalina é a mais útil delas e representa o melhor exemplo de um agente que mimetiza a atividade da descarga simpática. A ação dos outros fármacos serão comparadas àquelas da adrenalina.
ADRENALINA (EPINEFRINA)
- Modo de ação: Atua diretamente nos receptores alfa e beta.
- Ações sistêmicas:
- Miocárdio -> Há efeitos inotrópico (força de contração) e cronotrópico (freqüência de contração). O débito e a freqüência cardíaca aumentam.
- Células Marca-Passo -> Aumento de incidência de disritmias. As taquicardias ventriculares e as contrações ventriculares prematuras são comuns.
- Artérias Coronárias -> A adrenalina produz dilatação das artérias coronárias, aumentando o fluxo sanguíneo arterial coronário.
- Pressão Arterial -> A PA sistólica é aumentada. A diastólica é reduzida quando administrada em pequenas doses e aumentada com doses maiores.
- Dinâmica Cardiovascular -> A ação da adrenalina no coração e sistema cardiovascular é a estimulação direta: Aumento de pA, aumento de débito cardíaco, aumento de volume sistólico, aumento da freqüência cardíaca, aumento da força de contração, aumento do consumo miocárdio de oxigênio. Essas ações levam a uma redução geral da eficiência cardíaca.
- Vasculatura -> Pequenas doses de adrenalina produzem dilatação dos vasos, enquanto doses maiores produzem vasodilatação.
- Hemostasia -> A adrenalina é usada freqüentemente p/ hemostasia durante procedimentos cirúrgicos. A injeção da adrenalina diretamente no local da cirurgia produz concentrações teciduais elevadas, estimulando a hemostasia. Com a diminuição dos níveis teciduais de adrenalina ao longo do tempo, sua ação é revertida em vasodilatação, por isso é comum a observação de algum sangramento aproximadamente 6 hrs após o procedimento cirúrgico. 
- Sistema Respiratório -> Potente dilatador do músculo liso dos bronquíolos; é uma substância importante p/ o tratamento de episódios asmáticos agudos (ex.: bronquioespasmo).
- SNC -> Não é um estimulador potente do SNC. Suas ações estimulantes são proeminentes quando administrada em dose excessiva.
- Metabolismo -> Aumenta o consumo de oxigênio em todos os tecidos. Estimula glicogenólise no fígado e nos músculos esqueléticos, elevando os níveis sanguíneos de glicose em concentração de adrenalina.
- Término de Ação e Eliminação -> Finalizada pela sua recaptação pelos nervos adrenérgicos. A adrenalina que espaça de recaptações é inativada no sangue por enzimas presentes no fígado. Apenas pequenas quantidades (1%) são excretadas de forma inalterada na urina. 
- Efeitos Colaterais e Superdosagem -> Manifestação da intoxicação: Estimulação do SNC, aumento de temor e ansiedade, tensão, agitação, palidez, dificuldade respiratória, palpitação, cefaléia pulsátil, tremor, fraqueza, tontura. Níveis crescentes de adrenalina: Arritmias, fibrilação ventricular, aumento dramático de pA (pode causar hemorragia cerebral). Devido a rápida inativação da adrenalina, a fase estimulantes da reação de superdosagem é geralmente breve.
NORADRENALINA (NOREPINEFRINA, LEVARTERENOL)
- Modo de Ação: Ações quase exclusivamente sobre receptores alfa (90%). Apresenta ¼ da potência da adrenalina.
- Ações Sistêmicas:
- Miocárdio -> Ação inotrópica (força de contração).
- Células Marca-Passo -> Estimula as células marca-passo e aumenta sua irritabilidade, levando à maior incidência de arritmias cardíacas.
- Artérias Coronárias -> Produz aumento no fluxo sanguíneo por meio de um efeito dilatador.
- Frequência Cardíaca -> Produz redução na freqüência cardíaca após um aumento acentuado da pA (sistólica e diastólica).
- Pressão Arterial -> Aumento da pA, principalmente da sistólica.
- Dinâmica Cardiovascular -> Aumento de pA (sistólica e diastólica), aumento do volume sistólico, aumento de resistência periférica total, diminuição da freqüência cardíaca, débito cardíaco inalterado ou ligeiramente reduzido.
- Vasculatura -> Produz constrição dos vasos sanguíneos cutâneos. Aumento da resistência periférica total e aumento de pA. O grau e duração da isquemia observada após infiltração de noradrenalina no palato podem levar à necrose dos tecidos moles.
- Frequência Respiratória -> Ocasiona a constrição das arteríolas pulmonares, o que reduz um pouco a resistência das vias aéreas. Não é clinicamente eficaz no tratamento de bronquioespasmo.
- SNC -> Não exibe ações estimulantes sobre o SNC em doses usuais.
- Metabolismo -> Aumenta a taxa metabólica basal. O consumo de oxigênio pelos tecidos é aumentado na área da injeção. A noradrenalina produz elevação da glicemia da mesma maneira que a adrenalina, porém em menor grau.
- Término de Ação e Eliminação -> Finalizada através da sua recaptação nos terminais nervosos adrenérgicos e de sua oxidação pela MAO.
- Efeitos Colaterais e Superdosagem -> Menos freqüentes e menos graves que as da adrenalina. Normalmente envolvem estimulação do SNC. Elevação acentuada de pA, com risco de AVC hemorrágico, cefaléias, episódios de angina em pacientes suscetíveis e disritmias cardíacas. A injeção extravascular da noradrenalina nos tecidos pode produzir necrose e descamação. Na boca, o local mais provável de ocorrer esse fenômeno é o palato duro. Deve ser evitada com objetivo de vasoconstrição (hemostasia), especialmente no palato. 
CLORIDRATO DE FENILEFRINA
- Modo de Ação: Estimulação direta do receptor alfa (95%). Efeito menor que adrenalina, porém duração maior. Possui apenas 5% da potência da adrenalina.
- Ações Sistêmicas:
- Miocárdio -> Pouco efeito cronotrópico ou inotrópico sobre o coração.
- Células Marca-Passo -> Há pouco efeito.
- Artérias Coronárias -> Aumento do fluxo sanguíneo causado por dilatação.
- Frequência Cardíaca -> Produção de bradicardia. Raramente são observadas disritmias cardíacas, mesmo após grandes doses de fenilefrina.
- Pressão Arterial -> Produz aumento nas pressões sistólica e diastólica.
- Dinâmica Cardiovascular -> Aumento de pA, bradicardia reflexa, ligeira redução do débito cardíaco (resultante do aumento de pA e da bradicardia), vasoconstrição potente (sem congestão venosa acentuada) e geralmente associada à produção de disritmias cardíacas.
- Frequência Respiratória -> Brônquios dilatados mas em menor grau que adrenalina. Não é eficaz no tratamento do broncoespasmo.
- SNC -> Efeito mínimo sobre a atividade do SNC.
- Metabolismo
Gabriela
Gabriela fez um comentário
Isso, Alysson. Por este motivo, a 1ª # é "#Odontologia"
0 aprovações
Alysson
Alysson fez um comentário
Para dentistas
1 aprovações
Carregar mais