A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
62 pág.
Técnicas de anestesia maxilar e técnicas de anestesia mandibular

Pré-visualização | Página 12 de 14

e aplicar anestésico tópico;
O corpo da seringa deverá estar direcionado na direção do ângulo da boca do
lado oposto à anestesia.
ƒ introduzir a agulha delicadamente nos tecidos imediatamente distal ao segundo mo-
lar maxilar, na altura da face mesial da cúspide palatina;
ƒ alinhar a agulha com o plano que se estende do ângulo da boca até a incisura intertrago
no lado da injeção. A agulha deverá ficar paralela ao ângulo entre a orelha e a face;
O corpo da seringa situa-se no ângulo da boca sobre os pré-molares, mas sua posição
pode variar dos molares aos incisivos, dependendo da divergência do ramo, avaliado
entre a orelha e o lado da face.
ƒ avançar lentamente até encostar o osso (aproximadamente 25mm). Se o osso
não for tocado, recuar ligeiramente a agulha e redirecioná-la;
ƒ não injetar o anestésico local se o osso não for tocado;
ƒ retrair a agulha 1mm e injetar o anestésico lentamente (realizando refluxo ou
aspiração), na quantidade de, aproximadamente, 1,8mL de solução anestésica;
ƒ retirar a agulha cuidadosamente;
ƒ solicitar que o paciente mantenha a boca aberta de 1 a 2 minutos após a inje-
ção, para permitir a difusão da solução anestésica;
ƒ aguardar de 5 a 7 minutos para o efeito anestésico. Deve-se aguardar um perí-
odo de tempo maior devido ao maior diâmetro do tronco nervoso no local da
injeção e a maior distância do local de depósito ao tronco nervoso.
Sinais e sintomas
Dormência no lábio inferior, língua do lado anestesiado. A manipulação local sem dor indica-
rá analgesia satisfatória.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01136
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 137
Complicações
Algumas complicações podem advir da realização de técnica anestésica incorreta, como he-
matoma, trismo e paralisia temporária do III, IV e VI pares cranianos (caracterizados por
diplopia, blefaroptose e paralisia completa do olho).
BLOQUEIO DO NERVO MANDIBULAR COM A BOCA FECHADA: TÉCNICA DE
AKINOSI
Em 1977, Joseph Akinosi relatou uma técnica com a boca fechada para a anestesia mandibu-
lar. Embora esta técnica possa ser utilizada em qualquer situação, sua indicação básica está
nos casos de abertura mandibular limitada que impeçam a realização de outras técnicas
mandibulares. Essa técnica pode ser denominada também como técnica de Akinosi, técnica
de Vazirani-Akinosi, bloqueio do nervo mandibular com a boca fechada ou técnica da
tuberosidade.
Nervos anestesiados
Os nervos anestesiados por esta técnica de bloqueio são os nervos alveolar inferior, incisivo,
mentoniano, lingual e milo-hióideo.
Áreas anestesiadas
As áreas anestesiadas pelo bloqueio do nervo mandibular com a boca fechada são:
ƒ dentes mandibulares até a linha média;
ƒ corpo da mandíbula e porção inferior do ramo;
ƒ mucoperiósteo vestibular anterior ao forame mentoniano;
ƒ dois terços anteriores da língua;
ƒ tecidos moles;
ƒ mucoperiósteo lingual.
Técnica
Na técnica do bloqueio do nervo mandibular com a boca fechada (Técnica de Akinosi),
recomenda-se o uso de agulha longa calibre 25. O paciente fica sentado na cadeira em
posição de decúbito dorsal ou semidecúbito. O paciente permanece com a boca fecha-
da em oclusão dos dentes. O profissional posiciona-se ao lado direito e ligeiramente à
frente (posição de 8 horas), para a anestesia do lado direito, e posição de 10 horas, para
o lado esquerdo.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01137
138 TÉCNICAS DE ANESTESIA MAXILAR E TÉCNICAS DE ANESTESIA MANDIBULAR
A área de introdução da agulha são os tecidos moles sobre a borda medial do ramo
mandibular diretamente adjacente à tuberosidade maxilar, na altura da junção
mucogengival, correspondente ao terceiro molar maxilar.
A técnica consiste nos seguintes passos:
ƒ voltar o bisel da agulha para fora do osso do ramo mandibular (voltado para a linha
média);
ƒ colocar o indicador ou polegar sobre a incisura coronóide, afastando os tecidos moles
na borda medial do ramo em direção lateral. O afastamento ajuda na visualização do
local de injeção e diminui o traumatismo durante a introdução da agulha;
ƒ posicionar o corpo da seringa em paralelo ao plano oclusal maxilar, a agulha ao nível
da junção mucogengival do terceiro molar maxilar;
ƒ orientar a agulha posterior e ligeiramente para o lado, de forma que avance tangenciando
o processo alveolar maxilar posterior e paralela ao plano de oclusão maxilar;
ƒ avançar a agulha posteriormente (25mm) até os tecidos na face medial do ramo man-
dibular;
ƒ injetar o anestésico lentamente (realizando refluxo ou aspiração), na quantidade de,
aproximadamente, 1,5 a 1,8mL de solução anestésico em 60 segundos;
ƒ retirar a agulha cuidadosamente;
ƒ colocar o paciente, após a injeção, em posição ortostática ou semi-ortostática;
ƒ aguardar 5 minutos para o efeito anestésico.
Sinais e sintomas
Dormência no lábio inferior e na língua do lado anestesiado. A manipulação local sem dor
indicará analgesia satisfatória.
49. O que é a técnica de Gow-Gates e quais suas vantagens?
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01138
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 139
50. Quais os nervos anestesiados pela técnica de Gow-Gates?
51. Marque V ou F sobre o bloqueio do nervo mandibular:
A) ( ) O profissional deve-se colocar à direita e ligeiramente à frente do paciente.
B) ( ) Alinhar a agulha com o plano que se estende do ângulo da boca até a incisura
intertrago no lado da injeção. A agulha deverá ficar paralela ao ângulo entre a
orelha e a face.
C) ( ) Solicitar que o paciente mantenha a boca aberta de 1 a 2 minutos após a inje-
ção, para permitir a difusão da solução anestésica.
D) ( ) Aguardar de 5 a 7 minutos para o efeito anestésico. Deve-se aguardar um perí-
odo de tempo maior devido ao maior diâmetro do tronco nervoso no local da
injeção e a maior distância do local de depósito ao tronco nervoso.
Resposta no final do capítulo
52. Algumas complicações podem advir da realização do bloqueio do nervo mandibular in-
correto. Quais são elas?
53. O que é a técnica de Akinosi e quais nervos anestesiados por ela?
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01139
140 TÉCNICAS DE ANESTESIA MAXILAR E TÉCNICAS DE ANESTESIA MANDIBULAR
54. Assinale a alternativa INCORRETA sobre a técnica de Akinosi:
A) Recomenda-se o uso de agulha longa calibre 25.
B) O paciente fica deitado na cadeira.
C) O paciente permanece com a boca fechada em oclusão dos dentes.
D) O profissional posiciona-se ao lado direito e ligeiramente à frente (posição de 8
horas), para a anestesia do lado direito, e posição de 10 horas, para o lado esquerdo.
Resposta no final do capítulo
55. Quais os sinais e sintomas do bloqueio do nervo mandibular com a boca fehada?
Paciente com indicação para tratamento endodôntico do canino inferior. Foi realizada
somente a técnica anestésica pterigomandibular. O paciente relatou ainda sentir dor.
56. Qual técnica anestésica poderia ser feita para complementar a anestesia realizada no
paciente do caso clínico relatado?
Resposta no final do capítulo
CASO CLÍNICO
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01140
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 141
57. Após a leitura deste capítulo, escolha a alternativa correta sobre as anestesias locais:
A) É dispensável o uso de anestésico tópico.
B) Em pacientes portadores de cardiopatias, podem causar convulsões.
C) Os simpatomiméticos, na composição de soluções anestésicas, podem ser usados
com segurança em pacientes anginosos.
D) Deve-se evitar o uso de simpatomiméticos associados em paciente usando
antidepressivos tricíclicos (imipramínicos).
Resposta no final do capítulo
CONCLUSÃO
A área a ser anestesiada, a profundidade necessária da anestesia, o tempo de duração da
anestesia, a presença de infecção, a idade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.