Procedimentos Especiais
27 pág.

Procedimentos Especiais


DisciplinaProcedimentos Especiais53 materiais240 seguidores
Pré-visualização11 páginas
Dia 07/08/2013
Procedimentos especiais
Prof. Gustavo Scnheider
Conteúdo programático
Procedimentos especiais de jurisdição contenciosa. Conceito. Espécies. Consignação em pagamento. Depósito. Prestação de contas. Ações possessórias. Manutenção. Reintegração. Interdito. Nunciação de obra nova. Usucapião. Embargos de terceiro. Habilitação. Monitória. Procedimentos especiais de jurisdição voluntária. Instrumentos constitucionais de garantia. Direitos e garantias fundamentais. Mandado de segurança: individual e coletivo. Habeas data. Mandado de injunção. Habeas corpus. Ação popular. Ação civil pública.
Livro Marcus Vinicius Rios Gonçalves: inicio pagina 762.
Tipos de processo e tipos de procedimento
Livro IV, CPC, art. 890
Processo de conhecimento: aquele que busca solucionar um estado de dúvida.
Pode ser regido pelos procedimentos: comum e especiais
Comum: ordinário, sumário e sumaríssimo.
Especiais: jurisdição contenciosa e jurisdição voluntária (graciosa)
Jurisdição: é quando o juiz aplica o direito ao caso concreto para resolvê-lo e pacificar com justiça.
- contenciosa: existência de conflito, lide. Se há lide, é contenciosa. Ex.: ações possessórias, manutenção de posse.
- voluntária: quando não há lide, conflito. Ex.: divorcio consensual, inventário consensual.
Processo de execução: pretende satisfazer um direito de crédito (obrigação de pagar, de fazer e entrega de coisa) da parte.
Processo cautelar: aquele que é o instrumento do instrumento. Serve para tutelar o direito da principal.
Ação de consignação de pagamento
1 \u2013 Introdução e objeto
Forma especial de pagamento
Hipóteses: art. 335, CC
Art. 335. A consignação tem lugar:
I - se o credor não puder, ou, sem justa causa, recusar receber o pagamento, ou dar quitação na devida forma;
II - se o credor não for, nem mandar receber a coisa no lugar, tempo e condição devidos;
III - se o credor for incapaz de receber, for desconhecido, declarado ausente, ou residir em lugar incerto ou de acesso perigoso ou difícil;
IV - se ocorrer dúvida sobre quem deva legitimamente receber o objeto do pagamento;
V - se pender litígio sobre o objeto do pagamento.
OBS: Caso já venceu a obrigação e o devedor for pagar, sem os juros e correções devidas, o credor tem o direito de receber. Agora se ele mencionar os juros e correções no valor da obrigação, o credor é obrigado a receber.
OBS: No caso de dúvida do credor, ajuizar a ação e coloco no polo passivo todos os credores.
OBS: caso houver litígio sobre o bem no qual devo pagar e não se sabe ainda quem vai ganhar o litigio, devo fazer o pagamento em consignação.
- rol de testemunhas: exemplificativo
Questões prejudiciais: é possível a questões prejudiciais, mesmo que seja de alta indagação (é aquela que para ser provada, precisa de outros tipos de provas, como testemunhas).
Não se restringe às obrigações em dinheiro. Abrange a entrega de coisa determinada.
Na consignação extrajudicial é só dinheiro.
Dívidas portáveis (portable): o devedor procura o credor para pagar (domicilio do credor)
Dívidas quesíveis (quérable): o credor procura o devedor para receber (domicilio do devedor)
-- No silêncio no contrato, no domicilio do credor.
2 \u2013 Consignação extrajudicial
Art. 890, CPC
Art. 890. Nos casos previstos em lei, poderá o devedor ou terceiro requerer, com efeito de pagamento, a consignação da quantia ou da coisa devida.
§ 1o Tratando-se de obrigação em dinheiro, poderá o devedor ou terceiro optar¹ pelo depósito da quantia devida, em estabelecimento bancário, oficial onde houver, situado no lugar do pagamento, em conta com correção monetária, cientificando-se o credor por carta com aviso de recepção, assinado o prazo de 10 (dez) dias para a manifestação de recusa. 
§ 2o Decorrido o prazo referido no parágrafo anterior, sem a manifestação de recusa, reputar-se-á o devedor liberado da obrigação, ficando à disposição do credor a quantia depositada.
§ 3o Ocorrendo a recusa, manifestada por escrito ao estabelecimento bancário, o devedor ou terceiro poderá propor, dentro de 30 (trinta) dias, a ação de consignação, instruindo a inicial com a prova do depósito e da recusa. 
§ 4o Não proposta a ação no prazo do parágrafo anterior, ficará sem efeito o depósito, podendo levantá-lo o depositante. 
- Requisitos
¹ Opção do devedor: forma alternativa de solução de conflito
Efetuado o depósito, o credor será notificado pelo estabelecimento bancário por carta com AR para que no prazo de 10 dias tome uma das seguintes atitudes:
Levanta o valor; (após levantar o dinheiro, extingue-se a obrigação).
Levanta o valor, com ressalvas (após o recebimento, o credor faz ressalvas sobre o depósito).
Poderá colocar por vias próprias as diferenças (caso o dinheiro em depósito não for o valor total da dívida).
Silencia: aceitação tácita. (não se manifestar nos 10 dias, presume-se que ele tenha aceitado o valor depositado, ficando o valor depositado a favor dele, até o tempo que ele preferir). 
Recusa
O depositante poderá levantar o valor ou utilizá-lo para ingressar com a ação judicial consignatória (caso o credor recusar receber, com a consciência de que cumpriu com sua obrigação).
A petição inicial deve ser instruída com a prova do depósito e da recusa. (o comprovante da recusa quem disponibiliza é o banco que solicita algum documento assinado pelo credor se recusando ao receber o valor que está em sua disposição). Se o autor não conseguir o comprovante da recusa, o juiz disponibiliza o prazo de 10 dias para a juntada do comprovante da recusa. Não apresentado, extingue-se a petição.
3 \u2013 Competência
Local do pagamento: art. 891, CPC (observar se a dívida é portável ou quesível, competência é relativa. Caso o autor trocar o local do pagamento, deve-se arguir incompetência relativa, prorrogando-se a competência).
Art. 891. Requerer-se-á a consignação no lugar do pagamento, cessando para o devedor, tanto que se efetue o depósito, os juros e os riscos, salvo se for julgada improcedente.
Parágrafo único. Quando a coisa devida for corpo que deva ser entregue no lugar em que está, poderá o devedor requerer a consignação no foro em que ela se encontra.
Competência absoluta: matéria de ordem pública.
Competência relativa: interesse particular. Deve-se arguir a incompetência relativa
Nulidades: caso seja reconhecida a incompetência relativa, apaga fatos. Na competência absoluta, acaba-se tudo.
4 \u2013 Legitimidade ativa
Devedor ou seus sucessores
Terceiros interessados: opera-se sub-rogação. Pode, desde que seja terceiro interessado na solução do conflito. Se não for, entende-se que foi uma mera liberalidade, não tem validade.
5 \u2013 Legitimidade passiva
Credor
Dívida de quem seja o credor: litisconsórcio passivo necessário.
6 \u2013 Procedimento
Recebida a petição inicial, o juiz intimará o autor para que realize o depósito (do valor que entende cabível ou da coisa que deve ser entregue) em 5 dias, dependendo a citação do réu da realização deste ato (depósito). Se isso não ocorrer o depósito no prazo, o processo será extinto sem resolução de mérito.
Após o depósito, o réu é citado e intimado ao mesmo tempo, para, em 15 dias, levantar o valor ou a coisa ou oferecer resposta (contestar).
O réu pode alegar: art. 896, CPC
Art. 896. Na contestação, o réu poderá alegar que: 
I - não houve recusa ou mora em receber a quantia ou coisa devida; (falta de interesse)
II - foi justa a recusa; (se a recusa foi justa, confrontar com o art. 335, CPC).
III - o depósito não se efetuou no prazo ou no lugar do pagamento;
IV - o depósito não é integral.
Parágrafo único. No caso do inciso IV, a alegação será admissível se o réu indicar o montante que entende devido. 
Após a citação do réu (até a citação é procedimento especial), a demanda segue o procedimento ordinário.
Sentença declaratória: REGRA
Sentença condenatória: art. 899, $ 2º, CPC
Art. 899, § 2o A sentença que concluir pela insuficiência do depósito determinará, sempre que possível, o montante devido, e, neste caso,