9 - Obesidade x Exercício

9 - Obesidade x Exercício


DisciplinaPrevenção de Doenças Crônicas-degenativas21 materiais49 seguidores
Pré-visualização14 páginas
OBESIDADE
9:32 
 A obesidade pode ser definida, de forma resumida, como o grau de armazenamento de gordura no organismo associado a riscos para a saúde, devido a sua relação com várias complicações metabólicas .
 		(WORLD HEALTH ORGANIZATION, 2006). 
9:32 
HIPOCINESIA
9:32 
DOENÇAS ASSOCIADAS
HIPERCOLESTEROLEMIA 
ARTEROSCLEROSE
HIPERTENSÃO ARTERIAL
DIABETES
ARTROSE
CÂNCER (American Cancer Society) mostrou que a incidência de câncer intestinal (colo-retal) e de próstata, foi de 1,33 vezes maior em homens obesos e o câncer de endométrio, vesícula, colo de útero e mama, 1,55 vêzes maior em mulheres obesas. 
9:32 
OBESIDADE X SOBREPESO
Obesidade - Refere-se ao aumento na quantidade generalizada ou localizada de gordura em relação ao peso corporal.
Sobrepeso - Aumento do peso corporal total que pode acorrer em função de modificações em apenas um constituinte (gordura, músculo, ossos ou água) ou um conjunto desses fatores.
9:32 
TIPOS DE OBESIDADE
ENDÓGENA \u2013 proveniente de causas hormonais. Disfunção do metabolismo tireoidiano, gonadal, hipotálamico, hipófisiário, em função de alguns tumores e síndromes genéticas.
9:32 
EXÓGENA \u2013 gordura corporal armazenada em decorrência de ingesta calórica positiva,correspondendo DE 95 A 98% dos casos de obesidade.
9:32 
9:32 
9:32 
9:32 
CLASSIFICAÇÃO ANATÔMICA
 OBESIDADE ANDRÓIDE OBESIDADE GINÓIDE
OBESIDADE ANDROGINÓIDE
OBESIDADE GINOANDRÓIDE
9:32 
DIFERENÇAS NA OBESIDADE GINÓIDE
Síndrome de Barraquer-Simmonds
Obesidade pelviana distrófica
9:32 
EVOLUÇÃO DA OBESIDADE
Obesidade hipertrófica \u2013 hipertrofia das células adiposas (adipócitos)
Obesidade hiperplásica \u2013 aumento na quantidade de células adiposas.
*Os períodos críticos para a obesidade hiperplásica são os último mês de gestação, os12 primeiros meses de vida, fase pré-escolar e puberdade.
9:32 
9:32 
9:32 
9:32 
9:32 
9:32 
SÍNDROME METABÓLICA
Conjunto de alterações metabólicas que ocorrem em um indivíduo e que aumentam o risco de doenças cardiovasculares
Prevalência: 20-25% da população geral 
Presente em 42% dos indivíduos com mais de 60 anos
Aumenta 2-3 vezes o risco de morte por doença cardiovascular
9:32 
9:32 
Diagnóstico de Síndrome Metabólica
Critérios
NCEP ATP III
Obesidade
Medida de Cintura
102 cm \u2013 Homens
88 cm \u2013 Mulheres
Glicemia jejum
110mg/dL
Pressão Arterial
130 x 85 mm Hg
Triglicérides
150mg/dL
HDL- Colesterol
< 40mg/dL \u2013 Homens
<50mg/dL - Mulheres
Critérios
3ou mais critérios
9:32 
9:32 
HÁBITOS
SEDENTARISMO
	HÁBITOS ALIMENTARES
		DISTÚRBIOS PSICOLÓGIOS
			DISTÚRBIOS HORMONAIS
9:32 
Avaliação do obeso
9:32 
DEXA
9:32 
9:32 
I.M.C.
(Índice de Massa Corporal)
Uma das formas mais usadas para determinação da obesidade é o I.M.C., ele foi desenvolvido na Europa e América do Norte (paises industrializados).
Um I.M.C. superior a 30 Kg/m² é aproximadamente:
30% de gordura corporal em média para homens de 20 anos;
40% de gordura corporal em média para homens de 60anos e mulheres de 20 anos;
50% de gordura corporal em média para mulheres de 60 anos. 
9:32 
I.M.C. = Massa(Kg)/(Estatura(m))²
I.M.C.
Classificação
Abaixode 18,5 Kg/m²
Abaixo doPeso
De 18,5 à 24,9 Kg/m²
Normal
De 25 à 29,9 Kg/m²
Sobrepeso
De 30 à 34,9 Kg/m²
Obesidade 1
De 35 à 39,9 Kg/m²
Obesidade2
Acima de 40 Kg/m²
ObesidadeMórbida
9:32 
CIRCUNFERÊNCIA CINTURA
O excesso de gordura abdominal, principalmente quando desproporcional à gordura corporal total, é um preditor independente de fatores de risco.
O valor de corte da circunferência cintura combinado com o IMC, permite identificar o aumento do risco de doenças, principalmente as síndromes metabólicas.
# Medida tomada no plano horizontal sobre a cicatriz umbilical.
9:32 
9:32 
RELAÇÃO DO IMC E CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA COM O RISCO DE DOENÇAS
I.M.C.
Classificação
RISCOS ASSOCIADOS
HOMEM \u2264 102cmMULHER \u2264 88cm
HOMEM > 102cmMULHER > 88cm
Abaixo- 18,5 Kg/m²
Abaixo doPeso
-
-
18,5 à 24,9 Kg/m²
Normal
-
-
25,0 à 29,9 Kg/m²
Sobrepeso
\u2191
\u2191\u2191
30,0 à 34,9 Kg/m²
Obesidade 1
\u2191\u2191
\u2191\u2191\u2191
35,0 à 39,9 Kg/m²
Obesidade2
\u2191\u2191\u2191
\u2191\u2191\u2191
Acima - 40 Kg/m²
ObesidadeMórbida
\u2191\u2191\u2191\u2191
\u2191\u2191\u2191\u2191
*Doenças cardiovasculares e hipertensão (ACSM,2001)
9:32 
Relação Cintura/Quadril (RCQ)
Permite verificar o tipo de distribuição da gordura corporal(andróide ou ginóide).
É conveniente utilizar outras medidas de avaliação; em conjunto com a RCQ.
A avaliação da distribuição da gordura corporal, combinada com a estimativa da gordura corporal total, é um importante aspecto de avaliação do risco de doenças.
#Quadril \u2013 medida tomada no plano horizontal sobre os pontos trocantéricos.
9:32 
 IDADE BAIXO MODERADO ALTO MUITO ALTO
20 \u2013 29 < 0.71 0.71-0.77 0.78-0.82 > 0.82
30 \u2013 39 < 0.72 0.72-0.78 0.79-0.84 > 0.84
40 \u2013 49 < 0.73 0.73-0.79 0.80-0.87 > 0.87
50 \u2013 59 < 0.74 0.74-0.81 0.82-0.88 > 0.88
60 \u2013 69 < 0.76 0.76-0.83 0.84-0.90 > 0.90
RCQ E RISCO DE DOENÇAS \u2013 MULHERES (ACSM,2001) 
 IDADE BAIXO MODERADO ALTO MUITO ALTO
20 \u2013 29 < 0.83 0.83-0.88 0.89-0.94 > 0.94
30 \u2013 39 < 0.84 0.84-0.91 0.92-0.96 > 0.96
40 \u2013 49 < 0.88 0.88-0.95 0.96-1.00 > 1.00
50 \u2013 59 < 0.90 0.90-0.96 0.97-1.02 > 1.02
60 \u2013 69 < 0.91 0.91-0.98 0.99-1.03 > 1.03
RCQ E RISCO DE DOENÇAS \u2013 HOMENS (ACSM,2001) 
9:32 
Cálculo da Demanda Energética (WILLIANS, 1995)
Homens  
TMB = 66,5 + (13,7 X P) + (5 X A) - (6,8 X I) = Kcal/dia
Mulheres
TMB = 655,1 + (9,56 X P) + (1,85 X A) - (4,7 X I) = Kcal/dia
*Onde: P = peso em Kg;   A = altura em cm;   I = idade em anos.
9:32 
CUSTO ADICIONAL DE ACORDO COM A OCUPAÇÃO
Pessoas inativas - ocupação muito inativa. Assentado a maior parte do dia; não pratica esportes ou exercícios = 0
Pessoas moderadamente ativas - ocupação muito inativa; ocupação leve em casa; pratica esportes ou exercícios ocasionalmente = +20%
Pessoas Ativas - Ocupação ativa ou pratica exercícios vigorosos ou caminhada/ pedala diariamente = + 40%
Atletas de performance \u2013 treinamento com fins competitivos = + 60%
9:32 
DEMANDA ENERGÉTICA PARA CRIANÇAS
CRIANÇAS \u2013 Masculino
3 -9 anos = TMB = (22,7 x Peso) + 495
10 -17 anos = TMB = (17,47 x Peso) + 651
CRIANÇAS \u2013 Feminino
3 -9 anos = TMB = (22,5 x Peso) + 499
10 -17 anos = TMB = (12,2 x Peso) + 746
*Peso em kg.
9:32 
Intervenção no obeso
9:32 
Componentes da terapia comportamental para tratamento da obesidade
OBESITY
Wadden and Foster. Med Clin North Am 2000:84:441.
Auto Monitoramento
Resolução de Problemas
Gestão de contingência
Reestruturação cognitiva
Apoio Social
Gerenciamento do Estresse
Controle de estímulo
9:32 
38
Components of behavioral therapy for obesity
Behavioral therapy of obesity usually includes the following components:
Self-monitoring is the most important component of behavior therapy for obesity and involves keeping daily records of food intake and physical activity, and checking weight regularly. Self-monitoring records can provide information needed to identify links in the behavior chain that can be targeted for intervention. In addition, record keeping enhances compliance with dietary and physical activity interventions. 
Problem solving is a systematic method of analyzing problems and identifying possible solutions.
Contingency management involves developing methods to help recovery from episodes