Manobras Cirúrgicas F-1.pdf
190 pág.

Manobras Cirúrgicas F-1.pdf


DisciplinaCirurgia3.975 materiais42.647 seguidores
Pré-visualização2 páginas
MANOBRAS CIRÚRGICAS 
FUNDAMENTAIS
CIRURGIA
\u2022 Kheirurgia (grego) >Chirurgia (latim)
\u2022 Kheir = mão e ergon = trabalho
\u201cato de tratar com as mãos utilizando-se
instrumentos adequados, após uma completa
avaliação do paciente e planejamento
detalhado do caso cirúrgico\u201d
(Hipocrates 460 ~360 a.C)
Principios e Fundamentos
Recepção
Identificação 
Queixas 
Anamnese + Exame Físico + imagens + Exam Laboratoriais
Necessidade X Oportunidade
Planejamento (técnica utilizada) Tratamento cirúrgico
Tratamento Pós Operatório
Exame clinico
Exame Clinico
Manobras Cirúrgicas Fundamentais
Introdução
\u2022 Manobras que visam a realização de
um procedimento cirúrgico, de forma
ordenada e sistematizada, levando ao
menor trauma cirúrgico, no menor
tempo possível.
Manobras cirúrgicas fundamentais
\u2022
Diérese
\u2022 Do grego diaierisis = divisão
\u2022 Manobras que visam acesso ao objetivo cirúrgico.
\u2022 Romper a integridade tecidual.
Princípios 
\u2022 Conservar a maior quantidade de tecidos
\u2022 Dissecção > localizar e individualizar um órgão
\u2022 Evitar dissecções extensas
Manobras Cirúrgicas Fundamentais
M A N O B R A S D E D I E R E S E
Incisão / Osteotomia / Odontosecção 
rompem a integridade tecidual
Divulsão (sindesmotomia, descolamento muco periostal 
divulsão dos tecidos moles) 
interrompem a integridade tecidual 
Incisões
\u2022 Romper a integridade tecidual.
\u2022 Técnica específica.
Incisões
\u2022 Romper a integridade tecidual.
\u2022 Técnica específica.
\u2022 Conhecimento anatômico.
Incisões
\u2022 Romper a integridade tecidual.
\u2022 Técnica específica.
\u2022 Conhecimento anatômico.
\u2022 Instrumental adequado.
Incisões
\u2022 Romper a integridade tecidual.
\u2022 Técnica específica.
\u2022 Conhecimento anatômico.
\u2022 Instrumental adequado.
\u2022 Expor amplamente o campo operatório
\u2022 (incisão menor não cicatriza mais rápido!)
Incisões
\u2022 Romper a integridade tecidual.
\u2022 Técnica específica.
\u2022 Conhecimento anatômico.
\u2022 Instrumental adequado.
\u2022 Expor amplamente o campo operatório
\u2022 (incisão menor não cicatriza mais rápido!)
\u2022 \u201cTão grande quando necessária e tão 
pequena quanto possível\u201d
Qualidade das incisões
\u2022 Únicas.
Qualidade das incisões
\u2022 Únicas.
\u2022 Proporcionar acesso adequado.
Qualidade das incisões
\u2022 Únicas.
\u2022 Proporcionar acesso adequado.
\u2022 Extensível.
Qualidade das incisões
\u2022 Únicas.
\u2022 Proporcionar acesso adequado.
\u2022 Extensível.
\u2022 Manter irrigação do retalho.
Qualidade das incisões
\u2022 Únicas.
\u2022 Proporcionar acesso adequado.
\u2022 Extensível.
\u2022 Manter irrigação do retalho.
\u2022 Apoiada sobre tecido ósseo sadio, nos 
casos dos retalhos mucoperiostais.
Planos teciduais
Incisões Intra Orais
\u2022 Pele (Derme e epiderme)
\u2022 Tecido cel subcutâneo
\u2022 Aponeurose
\u2022 Tec Muscular
\u2022 Periosteo
\u2022 osso
Incisões Extra Orais
\u2022 Mucosa
\u2022 Periosteo
\u2022 Osso
Instrumentais
\u2022 Bisturi.
\u2022 Tesouras.
\u2022 Bisturi eletrônico.
\u2022 Laser cirúrgico
Instrumentais
\u2022 Bisturi
\u2022 Cabo Bard Parker nº 3
Lamina 11, 12, 15 e 15C
Empunhadura 
Empunhadura 
\u2022 Planejamento
\u2022 Corte firme e continuo
\u2022 Muco-periostal (incisão intra oral)
\u2022 Estruturas nobres
\u2022 Apoio em osso sadio
Incisão
\u2022
Tipos de Incisões
\u2022 Intra orais
Intra orais
\u2022 Neümann
Neümann (triangular)
\u2022
Neümann modificada = trapezoidal
(Peter \u2013 Novac)
\uf0d8 Base ampla
\uf0d8 X maior que Y
\uf0d8 Ideal X= 2.Y
Requisitos básicos
Neümann modificada - trapezoidal
Partch. 
\u2022
Partch (semi-lunar). 
\u2022
Wasmund.
\u2022
Ochinbein.
Winter.
\u2022
Envelope
Retilínea
Retilínea
Retilínea
Retilínea
Diérese
\u2022 Divulsão.
Divulsão - instrumental
Tesouras
Divulsão
\u2022 Interromper a integridade dos 
tecidos.
\u2022 Sindesmotomia.
\u2022 Descolamento muco periostal.
\u2022 Divulsão por planos.
Sindesmotomia
\u2022 Romper os ligamentos dento-
gengivais, com o objetivo de expor o
colo cirúrgico do elemento dentário a
ser extraído, para a adaptação e
aplicação de força através de
fórceps.
Sindesmotomia
Descolamento muco periostal
\u2022 Descolar, em um único plano, mucosa e
periósteo, dando possibilidade de
afastamento e de visualização do
campo operatório.
Descolamento muco periostal
Divulsão por planos
\u2022 Separação dos tecidos, plano a plano,
para acesso a um objetivo cirúrgico,
possibilitando a aproximação dos
mesmos no momento da sutura.
Incisões Extra- orais
Divulsão por planos
\uf0fc Pele (Derme e epiderme)
\uf0fc Tecido cel subcutâneo
\uf0fc Aponeurose
\uf0fc Tec Muscular
\uf0fc Periosteo
\uf0fc osso
Divulsão por planos
Manobras Fundamentais
\u2022 Diérese.
\u2022 Exérese.
Exérese
Manobras de remoção, retirada de um órgão 
ou de parte dele.
\u2022 Ostectomia \u2013 remoção de fragmento
\u2022 Osteotomia \u2013 desgaste
\u2022 Curetagem
\u2022 Avulsão \u2013
\u2022 Odontosecção
\u2022 Tecidos moles \u2013biopsia incisional/excisional
Exérese
\u2022 Ostectomia.
\u2013 Remoção de tecido ósseo, com
finalidade de diagnóstico ou para
acesso cirúrgico a seu objetivo.
Osteotomia/Ostectomia
Ostectomia
Ostectomia
www.youtube.com/watch?v=lMXnITEAcyU
Exérese
\u2022 Ostectomia.
\u2022 Avulsão.
\u2013 É a retirada total ou parcial de um 
órgão com o uso de força mecânica. 
O exemplo mais indicado é a 
exodontia.
Exérese
Exérese
Odontosecção
Exérese
\u2022 Ostectomia.
\u2022 Avulsão.
\u2022 Curetagem.
\u2013 Manobra pela qual se removem do
campo operatório formações
estranhas, patológicas ou não ou
ainda aquelas decorrentes do ato
cirúrgico.
Curetagem
Biopsia
Biopsia
\uf0fc PLACA DE EVA
\uf0fc PORTA AGULHA Mayo-Hegar
\uf0fcFio de sutura (algodão ou seda preta) 
numero 3.0 ou 4.0 \u2013 3 envelopes
\uf0fc TESOURA RETA (para cortar fio)
\uf0fc CABO DE BISTURI
\uf0fc LAMINA - 15 ou 15C
\uf0fc Pinça de Adson
Manobras Fundamentais
\u2022 Diérese.
\u2022 Exérese.
\u2022 Hemostasia.
Hemostasia.
Hemos (Haima) = sangue e 
stasis= fazer parar
\u2022 Manobras que visam interromper a perda
de sangue pela ferida cirúrgica.
\u2022 É colocada separadamente por finalidade
didática mas deve ser realizada durante
todo o ato cirúrgico.
Hemostasia.
\u2022 Hemostasia é um conjunto de manobras manuais ou
instrumentais para deter ou prevenir uma
hemorragia ou impedir a circulação de sangue em
determinado local em um período de tempo.
\u2022 A remoção de sangue derramado durante a cirurgia
pode ser realizada por aspiração ou pela secagem
com gaze, realizada manualmente ou com
instrumental.
Métodos de hemostasia
\u2022 Físicos.
\u2013 Tamponamento - Gaze
\u2013 Compressão > Manobra de 
Chompret.)
Tamponamento
\u2022 Hemostasia temporária, realizada no
trans e no pós operatório.
\u2022 É obrigatório após todos os passos
cirúrgicos ou quando a ferida ficará
exposta, sem ser manuseada.
\u2022 É realizado com gaze.
Métodos de hemostasia
\u2022 Físicos.
\u2013 Tamponamento.
\u2013 Eletrocoagulação.
Métodos de hemostasia
\u2022 Físicos.
\u2013 Tamponamento.
\u2013 Pinçamento.
Pinçamento.
\u2022 Manobra de hemostasia definitiva de
pequenos vasos, podendo ser
associada a eletrocoagulação.
\u2022 No caso de ser utilizada isoladamente,
deve-se aguardar de 8 a 10 minutos
para a formação do trombo
plaquetário na luz do vaso rompido.
São utilizadas as pinças hemostáticas.
Eletrocoagulação
\u2022 Utilizada para hemostasia temporária
de pequenos vasos sangüíneos, com