10 - BIZÂNCIO(1).pdf
29 pág.

10 - BIZÂNCIO(1).pdf


DisciplinaHistória e Teoria da Arquitetura154 materiais3.892 seguidores
Pré-visualização2 páginas
I dademédIdademéddia oriental:dia oriental:
Antecedente: ROMA
Naturalismo e profundidade psicológica
A
No século IV o Impériop
Romano dava sinais claros da
queda de seu poder no
ocidente, principalmente em
função da invasão dosfunção da invasão dos
bárbaros (povos germânicos)
através de suas fronteiras.
Diante disso, o Imperador
Constantino transferiu a
capital do Império Romano
para a cidade oriental de
Bizâncio que passou a serBizâncio, que passou a ser
chamada de Constantinopla.
Esta mudança, ao mesmo
tempo em que significava a
queda do poder no ocidente,
tinha o seu lado positivo, pois
a localização de
Constantinopla entre o marConstantinopla, entre o mar
Negro e o mar Mármara,
facilitava muito o comércio na
região, fato que favoreceu
enormemente a restauração
da cidade, transformando\u2010a
em uma Nova Roma.
O auge deste império foi atingido durante o reinado do imperad
que o Império Romano havia perdido no ocidente. Com este obj
retomou o norte da África, a Itália e a Espanha. Durante seu gov
Império Romano do OcidenteImpério Romano do Ocidente.
dor Justiniano (527\u2010565), que visava reconquistar o poder
jetivo, ele buscou uma relação pacífica com os persas,
verno, Justiniano recuperou grande parte daquele que foi o
Crise e Tomada de Constantinopla
Após a morte de Justiniano, o Império Bizantino ficou a mercê de diversas
de Constantinopla. Com seu enfraquecimento, o império foi divido entre d
sua queda definitiva no ano de 1453 após ser tomada pelos turcossua queda definitiva no ano de 1453, após ser tomada pelos turcos.
s invasões, e, a partir daí, deu\u2010se início a queda
diferentes realezas feudais. Constantinopla teve
A cultura bizantina reproduzia um enorme poder romano, grego
Oriente com o equilíbrio e a sobriedade dos romanos.
Uma das grandes artes está nas igrejas, coroadas por majestosa
Uma das mais importantes construções da arquitetura bizantina
fora mais exuberante por dentrofora, mais exuberante por dentro.
Os artistas cobriram\u2010na de mosaicos azuis e verdes sobre fundo
Cristo e cenas do Evangelho.
A Igreja de Santa Sofia é o principal testemunho da importância
https://youtu.be/XfpusWEd2jE
o e oriental. A cultura coordenava o luxo e a riqueza do
as cúpulas, distintas do estilo das basílicas romanas.
a é a Igreja de Santa Sofia, em Constantinopla. Simples por
negro, com figurinhas geométricas, retratando a imagem de
a da religião para a população do império Bizantino.
Hagia Sophia, 
Istanbul
\u2022Cmbinação de planta central e axial (basílica)Cmbinação de planta central e axial (basílica)
\u2022 exterior mais rústico e maciço, com poucos
elementos decorativos
\u2022minaretes acrescentados durante o período de 
dominação islâmica
\u2022 interior: altar localizado na extremidade oposta à 
entrada mas a ênfase do espaço reside na área
coberta pela grande cúpula
\u2022 cúpula sustentada por pendentes, 40 janelas em
sua base
\u2022 cornija unifica o espaço
\u2022 numerosas e pequenas aberturas pontuam as 
paredes com luzparedes com luz
\u2022 ornamentação: paredes e capitéis com poucos
relevos mas ricamente trabalhados em padroes
b i d l d iabstratos ou vegetais; grandes planos de mosaicos
de parede com enfase para as aplicações de ouro
Hagia Sophia
Hagia Sophia
O destino volúvel de Santa Sofia, de igreja cristã a mesquita 
islâmica e a museu atualmente, deixou atrás de si e em todos os 
l d tí i f d difi õ d ilados os seus vestígios em forma de modificações e de coisas que 
lhe foram adicionadas. A magnífica cúpula principal, cuja clave se 
eleva 56 metros acima da nave do templo, é a única coisa que 
nada perdeu da sua graça e dignidade. Serviu de exemplo para a 
construção de numerosas mesquitas orientais e catedrais do 
Ocidente. O Imperador Constantino foi o primeiro a construir 
uma igreja no lugar da atual Sofia, quando em 336 fez de 
Bizâncio com o novo nome de Constantinopla a capital do seuBizâncio, com o novo nome de Constantinopla, a capital do seu 
Império Romano do Oriente. Chamou\u2010lhe "meggale ekklesia", 
grande igreja. Duzentos anos mais tarde, esta igreja, e com ela a 
maior parte de Constantinopla, foi incendiada durante um 
l t t I d J ti i (527 556)levante contra o Imperador Justiniano (527\u2010556).
Justiniano reconstruiu a igreja, maior e mais bela do que nunca. 
Os projetos foram de Thenio de Trelles e de Isidoro de Mileto, os 
mais famosos arquitetos da Roma oriental. Mas o imperador 
intrometia\u2010se nas obras freqüentemente, com conselhos e 
mesmo atuações. "Um anjo mostra\u2010lhe os planos durante o 
sono", dizia o povo. As obras custaram 18 toneladas de ouro.sono , dizia o povo. As obras custaram 18 toneladas de ouro. 
Milhares de operários transportaram durante seis anos todas as 
riquezas do império oriental, o mais belo mármore, as mais 
magníficas colunas. As paredes eram cobertas de mosaicos de 
E S t S fi ("S b d i Di i ") d b douro. E Santa Sofia ("Sabedoria Divina"), quando acabada, 
tornou\u2010se o santuário da cristandade oriental. Continuou a sê\u2010lo 
até que os turcos, em 1453, conquistaram Constantinopla, que 
desde então se chama Istambul. Para tristeza de todo o mundo 
cristão, a igreja foi transformada em mesquita. Em 1935, Kemal
Atatürk decretou que Santa Sofia seria um museu.
Basílica de São Marcos, Veneza
mais famosa das igrejas de Veneza, Itália, e um dos melhores 
exemplos da arquitetura bizantina. Localizada na Praça de Sãoexemplos da arquitetura bizantina. Localizada na Praça de São 
Marcos (em italiano: Piazza di San Marco), ao lado do Palácio dos 
Doges, a basílica é a sede da arquidiocese católica romana de 
Veneza desde 1807.
A igreja apresenta uma planta
em cruz grega, baseada nos exemplos
de Basílica de Santa Sofia e da Basílica
d A ó l bdos Apóstolos, ambas
emConstantinopla.
Possui um coro elevado acima de
uma cripta. A planta do interioruma cripta. A planta do interior
consiste em três naves longitudinais e
três transversais. Um baldaquino
cobre o altar principal, com colunas
decoradas com relevos do século XI.
O retábulo é a famosa Pala d´Oro \u2010 um
trabalho em metal bizantino de 1105.
Atrás do altar principal há um segundoAtrás do altar principal há um segundo
altar com colunas de alabastro. Os
cercados do coro, acima dos quais há
três relevos de Sansovino, apresentam
obra de marchetaria de Fra Sebastiano
Schiavone. Os dois púlpitos
de mármore da nave são decorados
com estatuetas dos irmãos Massegnecom estatuetas dos irmãos Massegne
(1394).
A basílica foi consagrada em 1094, no
mesmo ano em que o corpo de Sãoq p
Marcos foi supostamente
reencontrado num pilar
pelo DogeVitale Falier. A cripta passou
tã b i lí i té 1811então a abrigar as relíquias até 1811.
O edifício também possui uma torre
baixa, que alguns pensam ter
integrado o Palácio dos Doges original.
São Marcos
Embora a estrutura básica do edifício 
tenha sido pouco alterada, sua 
decoração mudou muito ao longo do 
tempo. Foi adornado ao longo do 
São Marcos
tempo, especialmente no século XIV, e 
era raro um navio veneziano voltar do 
oriente sem trazer 
uma coluna, capitéis ou frisosretirados
de algum edifício antigo e destinados àde algum edifício antigo e destinados à 
igreja. Aos poucos, a alvenaria exterior 
de tijolos foi recoberta com mármores e 
outros elementos, alguns mais antigos 
que o próprio prédio. Uma nova 
f h d f i id d ffachada foi erguida e os domos foram 
cobertos com estruturas mais altas em 
madeira, de modo a tornar o conjunto 
mais harmônico com o novo estilo 
gótico do Palácio dos Doges.g g
Por dentro, as paredes foram recobertas 
com mosaicos, numa mistura dos 
estilos bizantino e gótico; o piso, 
do século XII, é uma mistura de mosaico 
e mármore em padrões geométricos ee mármore em padrões geométricos e 
desenhos de animais. Os mosaicos 
contêm ouro, bronze e uma grande