Aula1Economia monetária
43 pág.

Aula1Economia monetária


DisciplinaEconomia Monetária772 materiais17.141 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Conceito de Moeda 
Economia Monetária 
Profa. Cristina F. B. Reis 
 
Novembro, 2013 
1. CONCEITO 
DE MOEDA 
SUMÁRIO 
1. Conceito de moeda 
\u2022 Origem da moeda 
\u2022 História da moeda 
\u2022 Funções da moeda 
\u2022 Discussão crítica: moeda no capitalismo 
 
 
Origem da Moeda 
\u2022 Primórdios 
(mesmo) das 
trocas: escambo 
\u2022 Crescente fértil: 
agricultura, 
divisão do 
trabalho, 
excedente, 
trocas indiretas 
 
 
História da Moeda 
\u2022 Moeda-mercadoria: valor de uso e valor 
de troca 
 
 
ANTIGUIDADE Moeda-mercadoria 
Egito Cobre 
Babilônia e assíria Cobre, prata e cevada 
Lídia Peças metálicas cunhadas (séc. VII AC) 
Pérsia Gado 
Bretanha Barras de ferro, espada de ferro, escravos 
Índia Animais domésticos, arroz, metais 
China Conchas, sedas, metais, cereais, sal 
LOPES & ROSSETTI, 2002, p. 30 
História da Moeda 
\u2022Costa mediterrânea da Turquia, 2.600 anos A.C. 
\u2022Capital Sardis, tinha uma fábrica onde eram 
aplicadas inovadoras técnicas de separação de 
metais que permitiram aos lídios, durante o 
governo do rei Creso, no século VI antes de Cristo, 
cunhar pela primeira vez moedas de prata e ouro. 
\u2022As moedas lídias se espalharam rapidamente e 
exerceram grande influência em todo o comércio 
do Mediterrâneo. 
\u2022O uso de moeda era sinal de alto grau de 
civilização. Entre os caldeus, assírios, hebreus e 
outros povos, as transações comerciais se faziam 
por meio de pequenas barras e placas de metais 
preciosos 
\u2022Invadida pelos persas e o império lídio destruído 
para sempre no final do século VI a.C 
 
História da Moeda 
\u2022 Moeda-mercadoria: valor de uso e valor 
de troca 
 
 
IDADE MÉDIA Moeda-mercadoria 
Ilhas Britânicas Couro (precursor cédula papel), gado, ouro, prata 
Alemanha Gado, cereais, mel, moeda cunhada: solidus e denar 
Islândia Gado, tecidos, peixes secos (bacalhau) 
Noruega Gado bovino, escravos, tecidos, manteiga, peles 
Rússia Gado bovino, peles de esquilo, prata 
China Arroz, chá e sal 
Japão Cobre, pérolas, ágata, arroz 
LOPES & ROSSETTI, 2002, p. 30 
História da Moeda 
\u2022 DENAR: ALEMANHA, HEINRICH III, 
1039-1056 D.C. 
 
 
História da Moeda 
\u2022 Moeda-mercadoria: valor de uso e valor 
de troca 
 
 
IDADE MODERNA Moeda-mercadoria 
EUA Fumo, cereais, carnes secas, madeira, gado 
Austrália Rum, trigo, carne 
Canadá Peles e cereais 
França Metais preciosos e cereais 
Alemanha e 
Áustria 
Terra como denominador de valores, gado 
 
Japão Arroz, warrants \u2013 emitidos por depósitos desse 
cereais 
LOPES & ROSSETTI, 2002, p. 30 
História da Moeda 
\u2022 A moeda-papel (generalização após o 
Renascimento) 
\u2013 Transporte de metais a longa distância mais 
difícil? Roubos? Escassez? 
\u2013 Proliferação das casas de custódia (para 
guardar metais monetários), dos certificados 
de depósito 
\u2013 Papel com lastro e garantias 
 
 
 
História da Moeda 
\u2022 Papel-moeda e a moeda fiduciária (sem 
lastro) 
\u2013 Operações não necessariamente precisam 
ser convertidas 
\u2013 Crises e corridas de saque 
\u2013 Regulações anti-emissão indiscriminada 
\u2022 Hoje: 
\u2013 Monopólio estatal das emissões 
\u2013 Inconversibilidade absoluta/ inexistência de 
lastro 
 
História da Moeda 
\u2022 Papel-moeda e a moeda fiduciária (sem 
lastro) 
\u2013 Operações não necessariamente precisam 
ser convertidas 
\u2013 Crises e corridas de saque 
\u2013 Regulações anti-emissão indiscriminada 
\u2022 Hoje: 
\u2013 Monopólio estatal das emissões 
\u2013 Inconversibilidade absoluta/ inexistência de 
lastro 
 
História da Moeda 
\u2022 Moeda-bancária, escritural ou invisível 
\u2013 Depósitos bancários movimentados por 
cheques se tornam meios de pagamentos 
\u2013 Depósitos existem desde assírios (2000 AC) 
\u2013 No sentido moderno, floresceram na Itália 
(Monte dei Paschi di Siena 1472) 
\u2013 Alemanha, França, Bélgica, Holanda 
\u2013 Primeiro Banco Central: Sveriges Riskbank 
(Amsterdan, 1668), Bank of England (1694) 
 
História da Moeda 
História da Moeda 
\u2022 No Brasil: 
\u2013 Real ou réis desde chegada de Portugal 
\u2013 Açúcar tbm, 1614 
\u2013 Holanda cunha a primeira moeda no Brasil, 1624 
\u2013 Primeiro sistema monetário: 4/8/1688 a 1722: 
bimetalismo, com meios monetários paralelos 
\u2013 Cunhagem com senhoriagem 
\u2013 Primeiro papel-moeda: bilhete de permuta, emitido pela 
Casa da Moeda em 1803 
\u2013 Banco do Brasil 1808 
\u2013 Monopólio de cunhagem após crise do encilhamento 
\u2013 1942: cruzeiro 
 
História da Moeda 
História da Moeda 
Funções da Moeda 
\u2022 Características: 
\u2013 Indestrutibilidade e inalterabilidade 
\u2013 Homogeneidade 
\u2013 Divisibilidade 
\u2013 Transferivilidade 
\u2013 Facilidade de manuseio e transporte 
\u2013 Elasticidade de produção e de substituição zero 
\u2013 Não é um bem reproduzível 
\u2013 Custo de carregamento existe, mas prêmio pela 
liquidez compensa 
 
Funções da Moeda 
\u2022 A moeda como intermediária das trocas: 
separação da compra e da venda 
\u2013 Permite maior especialização e divisão do 
trabalho: aumento de produtividade (Adam 
Smith) 
\u2013 Redução do tempo nas transações, portanto 
mais transações, 
\u2013 Maior liberdade de escolha 
 
 
Funções da Moeda 
\u2022 A moeda como medida de valor/ unidade de 
conta: denominador comum 
\u2013 Todos os bens podem ser mensuráveis de forma 
uniforme 
\u2013 Racionaliza e aumenta o número de informações 
econômicas via sistema de preços 
\u2013 Torna possível contabilizar a atividade 
econômica e a administração racional das 
unidades de produção 
\u2013 Elaboração de sistemas de contabilidade social 
 
 
Funções da Moeda 
\u2022 A moeda como reserva de valor: 
\u2013 Constitui-se um reservatório de poder de 
compra (o mais líquido) 
\u2013 Este valor não necessariamente é o da 
moeda em si 
 
Funções da Moeda 
\u2022 LOPES & ROSSETTI: 
\u2022 Moeda como poder liberatório: saldar 
dívidas, liquidar débitos 
\u2022 Moeda como padrão de pagamentos 
diferidos 
\u2022 Moeda como instrumento de poder: 
 
\u2013 Quem garante a moeda???? 
Discussão crítica: 
marxistas 
\u2022 Visão marxista: porque o papel do dinheiro é diferente no 
capitalismo? 
\u2022 "O dinheiro é necessário e sua necessidade é postulada 
pela própria natureza da economia capitalista. Esta 
economia, fundada na propriedade privada e na divisão 
social do trabalho, ao colocar como sua razão de ser a 
criação e a valorização de valores mercantis, cria, por 
natureza e para realizar o seu objetivo, a necessidade do 
dinheiro, como uma de suas propriedades constitutivas" 
(Corazza, 1994. p. 2). 
\u2022 A reprodução da sociedade se dá no mercado 
\u2022 Rixa interna marxista: dinheiro visto como dinheiro-
mercadoria (exige lastro em valor, caráter material) vs 
forma dinheiro (pode ser fiduciário, caráter imaterial) 
Discussão crítica: 
marxistas 
\u2022 Símbolo x Signo (Hegel): 
SÍMBOLO: \u201cO símbolo em geral é uma existência exterior 
imediatamente presente ou dada para a intuição, a qual, porém, 
não deve ser tomada do modo como se apresenta de imediato, 
por causa dela mesma, mas deve ser compreendida num sentido 
mais amplo e mais universal. Por isso, devem ser distinguidas a 
seguir duas coisas no símbolo: primeiro o significado e depois a 
expressão do significado. Aquele [o significado] é uma 
representação de um objeto [já sujeita, portanto, à projeção 
subjetiva] (...), esta [a expressão] é uma existência sensível ou 
uma imagem de qualquer espécie [ainda autônoma frente ao 
sujeito]\u201d. (HEGEL, Cursos de Estética de Hegel 2000, p. 26). 
SIGNO: \u201cO signo (Zeichen) é uma intuição imediata, mas que 
representa um conteúdo absolutamente distinto daquele que a 
intuição [do objeto] tem para si\u201d (HEGEL, 1995, §458). 
Discussão crítica: 
marxistas 
\u2022 Símbolo x Signo (Aurelio): 
SÍMBOLO: \u201cs.m. Objeto físico a que