Resumo do Livro Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentas - Dalgalarrondo
53 pág.

Resumo do Livro Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentas - Dalgalarrondo


DisciplinaPsicopatologia6.618 materiais108.150 seguidores
Pré-visualização19 páginas
- 1 - 
PSICOPATOLOGIA E 
SEMIOLOGIA 
GERAL 1 
 
2
 
 
 
OBSERVAÇÃO 3 
 
 INTRODUÇÃO 
 
Semiologia Psiquiátrica: 
 Por semiologia médica entende-se o 
estudo dos sintomas e sinais da doença, que 
permite ao pro\ufffdssional de saúde, identi\ufffdcar 
alterações físicas e mentais, ordenar os 
fenômenos observados, formular diagnósticos 
 
1
 Este material é um resumo do livro 
\u201cPsicopatologia e Semiologia dos Transtornos 
Mentais\u201d, de Paulo Dalgalarrondo, médico pela 
Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da 
Unicamp, Campinas. O autor é mestre em Medicina 
pela FCM-Unicamp, Doutor em Medicina pela 
Universidade de Heidelberg, Alemanha, Professor 
Doutor do Departamento de Psicologia Médica e 
Psiquiatria da FCM- Unicamp. O resumo da 
referida obra é citada até a página 49 deste artigo. A 
partir desta página, usou-se uma revisão da 
literatura para Psicopatologia Dinâmica. 
2
 Aluno do Curso de Psicologia pela UNIFAE- 
Centro Universitário de São João da Boa Vista-SP, 
que resumiu a presente obra, destacando os 
aspectos mais utilizados na grade curricular dessa 
instituição. marciosantangelo@ig.com.br) 
3
 Esse resumo é apenas um apanhado daquilo que 
foi mais importante da matéria de Psicopatologia 
Geral, e não substitui de maneira alguma, a leitura 
integral da obra de Dalgalarrondo.Recomenda-se ao 
leitor comprar o livro para se aprofundar mais no 
assunto. Site da editora: www.artmed.com.br . 
(Márcio Sant\u2019 Ângelo) 
e empreender terapêuticas. De um modo 
geral, a semiologia, ou semiótica, é a ciência 
dos signos. O signo é um tipo de sinal, como 
por exemplo, na semiologia médica, a febre 
pode ser um sinal/signo de uma infecção ou 
in\ufffdamação. 
 Portanto, os signos de maior interesse 
para a psicopatologia são os sinais 
comportamentais objetivos, as vivências 
subjetivas relatadas pelo paciente e suas 
queixas. 
Síndromes e Entidades Nosológicas: 
 São os fenômenos mórbidos nos quais 
se pode identi\ufffdcar (ou pelo menos presumir 
com certa consistência), determinados fatores 
causais, ou seja, a etiologia. 
 
De\ufffdnição de Psicopatologia: 
A psicopatologia é um ramo da ciência que 
trata da natureza essencial da doença mental, 
suas causas, as mudanças estruturais e suas 
formas de manifestação. Ela pode ser de\ufffdnida, 
em uma acepção mais ampla, como o 
conjunto de conhecimentos referentes ao 
adoecimento mental do ser humano. 
 
 
 
Forma e conteúdo dos sintomas: 
 Quando se estuda os sintomas 
psicopatológicos, costuma-se enfocar dois 
aspectos básicos : a forma do sintoma, isto é, 
sua estrutura básica, relativamente 
semelhante nos diversos pacientes 
(alucinação, delírio, etc) e seu conteúdo , ou 
seja, aquilo que preenche a alteração 
estrutural ( conteúdo de culpa, religioso, de 
perseguição, etc). 
 O conteúdo geralmente é mais 
pessoal e depende da história de vida do 
 - 2 - 
paciente. De um modo geral, os conteúdos 
dos sintomas estão relacionados aos temas 
centrais da existência humana, como a 
sobrevivência, segurança e a sexualidade. 
 
 
Conceito de Normalidade em 
Psicopatologia 
O conceito de normalidade em 
psicopatologia é uma questão de grandes 
controvérsias, pois a normalidade pode variar, 
e muito, com a cultura, a ideologia e a vivência 
de cada indivíduo. 
 É óbvio que quando se trata de casos 
extremos, onde as alterações 
comportamentais e mentais são de 
intensidade acentuada e de longa duração, o 
delineamento das fronteiras entre o normal e o 
patológico não é tão problemático. 
 Por outro lado, há muitos casos nos 
quais a delimitação entre o normal e o 
patológico é bastante difícil. Pode-se dizer, de 
uma maneira geral, que há vários critérios de 
normalidade e anormalidade em 
psicopatologia, e a adoção de um ou de outro 
depende, entre muitas coisas, das opções 
filosóficas, ideológicas e pragmáticas do 
profissional, além de variarem 
consideravelmente em função dos fenômenos 
específicos com os quais trabalhamos. 
 
 
PRINCIPAIS ESCOLAS 
PSICOPATOLÓGICAS 
 
Psicopatologia Descritiva versus 
Psicopatologia Dinâmica 
 
 A Psicopatologia Descritiva 
interessa-se fundamentalmente pela forma das 
alterações psíquicas, aquilo que caracteriza a 
vivência patológica como sintoma mais ou 
menos típico. De uma maneira geral, podemos 
dizer que a função da psicopatologia descritiva 
seria a de descrever e rotular os sintomas. 
 Já a Psicopatologia Dinâmica 
interessa-se pelo conteúdo das vivências, os 
movimentos internos dos afetos, desejos e 
temores do indivíduo, sua experiência 
particular e pessoal, não necessariamente 
classificável em fenômenos previamente 
descritos como na descritiva. 
 
ORDENAÇÃO DOS FENÔMENOS EM 
PSICOPATOLOGIA 
PRINCÍPIOS GERAIS DO 
PSICODIAGNÓSTICO 
 
 O estudo da doença mental inicia-se 
pela observação cuidadosa de suas 
manifestações. A observação articula-se 
dialeticamente com a ordenação dos 
fenômenos; isto supõe que para observarmos, 
precisamos produzir definições, classificações, 
interpretar e ordenar o observando em uma 
determinada perspectiva, segundo uma certa 
lógica. 
 
O Diagnóstico em Psicopatologia 
 
 Podemos identificar duas posições 
extremas de diagnóstico: uma que afirma que 
o diagnóstico não tem nenhum valor, pois 
cada pessoa é uma realidade única e 
inclassificável. Nesse caso, o diagnóstico teria 
a função apenas de rotular as pessoas 
diferentes, excêntricas, permitindo o poder 
médico e o controle social sobre o indivíduo 
desadaptado ou questional (diagnóstico puro). 
 - 3 - 
 A outra posição diz que o diagnóstico 
é imprescindível na avaliação das patologias 
mentais, pois observar os aspectos singulares 
e subjetivos do indivíduo é muito importante, 
mas sem um diagnóstico psicopatológico 
aprofundado não se pode compreender 
adequadamente o paciente e seu sofrimento, 
nem escolher o tipo de estratégia terapêutica 
mais adequada. 
 Na natureza humana, pode-se 
distinguir três grupos de fenômenos em 
relação à sua possibilidade de classificação: 
Aspectos e fenômenos que encontramos 
em todos os seres humanos: este grupo de 
fenômenos faz parte de uma ampla categoria 
que é demais para a classificação, sendo 
pouco útil para a mesma. Fenômenos como: a 
privação das horas de sono causa sonolência; 
a restrição alimentar, causa fome; ou seja, são 
fenômenos notórios, comuns a todos, que não 
despertam grande interesse à psicopatologia e 
são triviais. 
Aspectos e fenômenos que encontramos 
em algumas pessoas, mas não em todas: 
estes são os fenômenos de maior interesse 
para a classificação diagnóstica em 
psicopatologia, onde se situam a maior parte 
dos sinais, sintomas e transtornos mentais. 
Aspectos e fenômenos que encontramos 
em apenas um ser humano em particular: 
tais fenômenos, embora de interesse para a 
compreensão do ser humano, são restritos 
demais e de difícil classificação e 
agrupamento, tendo maior interesse os seus 
aspectos antropológicos, existenciais e 
estéticos do que propriamente taxionômicos 
(classificatórios). 
 
 A Avaliação do paciente 
 
 A avaliação do paciente em 
psicopatologia é feita principalmente por meio 
da entrevista, que não pode ser vista de forma 
alguma como uma coisa banal ou um simples 
perguntar ao paciente sobre alguns itens da 
sua vida. As entrevistas, juntamente com as 
observações detalhadas e cuidadosas do 
paciente, são a pedra angular de 
conhecimento da psicopatologia. Com uma 
entrevista bem elaborada e realizada com arte 
e técnica, o profissional poderá obter 
informações valiosas sobre o paciente. 
 Através da entrevista psicopatológica, 
chegamos a dois principais aspectos da 
avaliação: 
Anamnese, ou seja, o histórico dos sintomas 
e sinais/signos que o paciente tem 
apresentado ao longo de sua vida, seus
Iandra
Iandra fez um comentário
Oi, você poderia me enviar por e-mail esse material ? iandraics@outlook.com
0 aprovações
francielly
francielly fez um comentário
OI TERIA COMO VOCÊ ME ENVIAR ESSE MATERIAL
0 aprovações
Laura
Laura fez um comentário
Por favor, vc me faria a gentileza de mandar por e-mail? ten.maria@hotmail.com - Ficaria muito grata!
0 aprovações
Carregar mais