A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
apostila apicultura

Pré-visualização | Página 2 de 8

sequência lógica: 
 
 
 INDIVÍDUOS 
FASES 
OVOS LARVA PUPA ADULTO 
Rainha 3 dias 5,5 dias 7,5 dias 16 dias 
Operárias 3 dias 6,0 dias 12,0 dias 21 dias 
Zangão 3 dias 6,5 dias 14 dias 24 dias 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A RAINHA 
 
Cada colméia possui uma rainha, que é a mãe de todas as 
abelhas e a responsável pelo equilíbrio populacional da 
colméia. 
Nasce de um ovo fecundado, 16 dias após a postura do 
ovo pela rainha mãe, período conhecido como ciclo 
evolutivo. Sua formação decorre da alimentação integral com 
geléia real, durante todo o período larval. Se desenvolver num 
berço especial, chamado “realeira”. Mais ou menos, no quarto 
dia, faz vôos de treinamento, e está sexualmente madura 
após o sexto dia de vida adulta (WIESE 1991). 
Após oitavo dia (aproximadamente), a rainha faz o vôo de acasalamento, chamado 
de “vôo nupcial”, quando copula com até dez zangões selecionados pela resistência 
física, provada durante a revoada nupcial. Os zangões são procedentes de várias 
colméias, existentes num raio distância de até dez quilômetros. O sêmen coletado 
no acasalamento, é armazenado em uma bolsa especial conhecida como 
“espermateca” que será utilizado durante toda ávida útil da rainha. 
 Funções 
Mantém as abelhas da colônia unidas, através da emissão constante de seu 
cheiro chamado de “substância da rainha”, que tem também a propriedade de 
manter os ovários das operárias atrofiados, evitando que desencadeiem uma 
postura que só daria origem a zangões. 
 Reprodução 
Têm a propriedade de pôr ovos fecundados que dão origem às fêmeas, 
(operárias e ou rainhas) dependendo da alimentação fornecida durante o período 
larval, e os não fecundados dão origem aos zangões. 
 Quando a rainha envelhece, há diminuição da postura e da emissão de 
cheiro, fatores que fazem com que as operárias preparem a sua substituição. O 
apicultor pode forçar as abelhas operárias a criar uma nova rainha, mediante a 
“puxada natural”, ou criá-la artificialmente. A rainha pode viver até cinco anos, mas, 
em média sua vida útil, com uma boa postura, não passa de um a dois anos. Por 
 
 
isso uma rainha nova, mais prolífera, ajuda à colméia a produzir mais mel, mediante 
um maior número de operárias. 
 Outras Características da Rainha 
 
 
 A rainha pode pôr, quando nova e bem alimentada pelas nutrizes, até três mil 
ovos diários, o que corresponde a duas vezes o seu próprio peso. É alimentada 
pelas abelhas jovens (nutrizes) exclusivamente com geléia real, enquanto for útil a 
comunidade apícola. No entanto, consegue sobreviver até 25 horas sem alimentar-
se. Possui os órgãos de reprodução perfeitamente desenvolvidos, razão por que tem 
o abdômen mais comprido. Para facilitar as longas caminhadas sobre os favos, em 
busca de células vazias para postura, à rainha possui patas mais compridas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 OPERÁRIAS 
 
 
Cada colméia possui em média 80 mil operárias, que 
são responsáveis pela execução de todos os 
trabalhos internos e externos, realizados 
instintivamente de acordo com sua idade. 
 As abelhas operárias são dotadas de e órgãos de 
trabalho perfeitamente desenvolvidos, e os de reprodução atrofiados e 
transformados em órgão de defesa (ferrão) WIESE (1990). 
 Funções 
Responsáveis por todo trabalho na colméia, distribuído de acordo com a idade. 
 Divisão de trabalho 
 
IDADE (dias) ATIVIDADES 
1º ao 3º 
Faz a limpeza dos favos e da colméia, aquecendo os 
ovos e as larvas. È a faxineira da casa. 
4º ao 14º 
Elabora o alimento que fornece às larvas, produz 
geléia real e cuida da criação de novas rainhas, sendo 
por isso chamada de abelha-nutriz. 
15º ao 18º 
Neste período produz cera, constrói os favos e 
também é responsável pela criação de uma nova 
rainha, través da construção da realeira. 
A cera é produzida nos quatro pares de glândulas 
cerígenas existentes na parte inferior do abdômen, e 
devido a isto é denominada de abelha-cerígena ou 
engenheira. 
19º ao 20º 
Nesta idade, fica de guarda no alvado para defender 
a colônia contra os inimigos. 
21º em diante 
Serviços externos no campo para coleta de néctar, 
pólen, própolis e água, para atender às necessidades 
* As operárias vivem em média 42, de extensivo trabalho, esse período porém 
chegar até seis meses em regiões de invernos prolongados. 
 
 
 
 
 Outras Características das Operárias 
 
 
O mel, a operária transporta o néctar na vesícula melífera, papo ou falso 
estômago, onde se inicia a transformação em mel, durante o vôo de retorno a 
colméia. Na colméia, a operária repassa o néctar para as outras abelhas, as quais 
se encarregam de determinar a elaboração do mel, que é finalmente depositado nos 
alvéolos, em forma de mel verde, passando a maduro depois de desidratado. 
O pólen é transportado nas duas patas traseiras, no lugar chamado de 
corbícula ou cesto, é a fonte de proteínas para as abelhas. 
A água é transportada na vesícula melífera da abelha operária campeira 
A própolis, resina vegetal coletada de certas plantas, é levada até a colméia 
nas patas traseiras das operárias. Serve para tapar frestas e também para imunizar 
a colméia contra enfermidades. 
 A cera produzida pela secreção de quatro pares de glândulas cerígenas, 
localizada na parte inferior do abdômen e que se encontra em atividades na idade 
de 15 a19 dias. As operárias gastam de 6 a 7 quilos de mel, para fazerem um de 
cera. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 ZANGÃO 
Nascem de ovos não fecundados ou óvulos, em 
células maiores que as das operárias por isso têm o corpo mais desenvolvido. Os 
apicultores experientes evitam o seu nascimento em grande número, pelo uso de 
lâminas completas de cera alveolada, porque estes não trabalham e consomem 
muito mel. Não possui órgãos de trabalho nem de defesa (ferrão), sua única 
função é cruzar com a rainha no vôo nupcial. 
Diariamente, com bom tempo, faz um vôo matinal de higiene e quando consegue 
fecundar uma rainha, morre depois do ato. As próprias abelhas os eliminam quando 
há falta de flores ou reservas de alimento. 
 Haploidia no Zangão 
Como foi visto os zangões são indivíduos que nascem de óvulos, por um processo 
conhecido como partenogênese, que quer dizer parto de virgem por são seres 
haplóide, isto é tem metade dos cromossomos das fêmeas (rainhas e/ou operárias); 
Nas abelhas Apis melliferas, as fêmeas têm 2n (32) e os machos n (16) “A 
haploidia dos zangões pode trazer tanto vantagens quanto desvantagens à 
procriação e genética apícolas. Por exemplo; não se”. pode produzir uma geração 
F2 nas abelhas, porque uma geração F2 é o resultado do acasalamento de dois 
indivíduos FI. Um indivíduo FI é um híbrido. Um zangão, haplóide nunca pode ser 
um híbrido. É precisamente por causa desta haploidia que os espermatozóides de 
um zangão são geneticamente idênticos. Um gameta de uma rainha (ovo não 
fertilizado) se torna até 10 milhões de gametas idênticos (espermatozóides) em um 
zangão”. 
 ( FONTE: Revista Planeta n° 129-B) 
 
 
 
 ENXAMEAÇÃO 
 
Enxameação é o processo natural e espontâneo de divisão de família, baseada 
no instinto de conservação da espécie e sua expansão pelo mundo. 
 
 Conseqüência Da Enxameação 
 
Para uma apicultura racional, enxameação acarreta sérios prejuízos; primeiro, 
porque as abelhas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.