A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
ANTIBIÓTICOS MAIS UTILIZADOS EM ODONTOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR – IFES
TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA
ODONTOLOGIA – 4º PERÍODO
JÉSSIA THAYLANE CHAGAS SERRA
ANTIBIÓTICOS MAIS UTILIZADOS EM ODONTOLOGIA 
	 SÃO LUIS – MA
2017
ANTIBIÓTICOS MAIS UTILIZADOS EM ODONTOLOGIA 
ANTIBIÓTICO: Pen-ve-oral
CLASSE: Penicilinas biossentéticas
POSOLOGIA: 
Para adulto e crianças acima de 12 anos, um comprimido de 6/6 horas durante 10 dias.
Crianças com menos de 12 anos, recomenda-se a utilização de 25.000 a 90.000 unidades/kg/dia, divididas em 3 a 6 administrações.
PRINCIPAIS USOS: abscesso dento-alveolar agudo.
ESPECTRO DE AÇÃO: antimicrobiano idêntico ao das penicilinas naturais.
REAÇÕES ADVERSAS: 
Reações de hipersensibilidade incluindo febre, urticária, dores articulares; angioedema.
Pacientes com alergia atópica (asma, eczema) tem mais chance de serem alérgicos à penicilina.
Pacientes alérgicos a um tipo de penicilina são alérgicos a todos os tipos.
A penicilina V (fenoximetilpenicilina) pode causar também esofagite, alterações da função hepática e descoloração da língua.
Se já apresentou algum tipo de reação alérgica, anteriormente, com o uso de penicilinas, não administrar de novo e também não devem receber cefalosporinas ou outro tipo de antibiótico beta lactâmico.
USO NA GRAVIDEZ , LACTAÇÃO E PEDIATRIA
Uso durante a gravidez: Penicilinas atravessam rapidamente a barreira placentária. O efeito para o feto, caso exista, não é conhecido. Apesar de serem consideradas seguras, as penicilinas só devem ser administradas a mulheres grávidas, quando estritamente necessário.
Uso durante a lactação: Pequenas quantidades de fenoximetilpenicilina potássica foram detectadas no leite materno. O efeito para a criança, caso exista, não é conhecido. Deve-se ter cautela quando fenoximetilpenicilina potássica é administrada a mulheres que estejam amamentando.
ANTIBIÓTICO: Amplacilina
CLASSE: Penicilinas semi-sintéticas.
POSOLOGIA: 
Adulto - 250-500 mg a cada 6 horas (durante 10 dias).
Criança - 25-50 mg/kg/dia em doses iguais a cada 6 a 8 horas.
PRINCIPAIS USOS
É indicada no tratamento de infecções causadas por microrganismos sensíveis à ampicilina, tais como infecções do trato urinário, respiratório, digestivo e biliar. Infecções localizadas ou sistêmicas especialmente as causadas por microrganismos do grupo esterococos, infecções por bacilos gram- negativos como Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitidis, Haemophilus, Shigella, Salmonella e E. coli. Também indicada nas infecções bucais, extrações infectadas e outras intervenções cirúrgicas.
ESPECTRO DE AÇÃO: antimicrobiano
REAÇÕES ADVERSAS: 
Assim como com outras penicilinas, as maiorias das reações adversas estão essencialmente limitadas a reações de hipersensibilidade. Estas ocorrem com maior probabilidade em indivíduos que demonstraram reações prévias de hipersensibilidade a penicilinas, ou naqueles com história de alergia, asma, febre do feno ou urticária.
USO NA GRAVIDEZ , LACTAÇÃO E PEDIATRIA
Uso durante a gravidez 
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista. 
Uso durante a lactação 
Pequenas concentrações de ampicilina foram detectadas no leite materno. Os efeitos para o lactente, caso existam, não são conhecidos. A Amplacilina (ampicilina) deve ser administrada com cautela para mulheres que estão em fase de amamentação.
ANTIBIÓTICO: Ilosone eritromicina
CLASSE: macrolídeos
POSOLOGIA: 
Adulto - 1 cápsula de 250 mg de 6/6 horas durante 10 dias.
Crianças - idade, peso e gravidade da infecção são fortes fatores importantes na determinação da dose adequada. Trinta a cinqüenta mg/kg diários divididos em 3 ou 4 doses a intervalos iguais é o esquema usual.
PRINCIPAIS USOS:
A Eritromicina se constitui em uma alternativa para o tratamento da gonorréia e sífilis primária em pacientes alérgicos à penicilina.
ESPECTRO DE AÇÃO: Bacteriostáticos
REAÇÕES ADVERSAS: 
Os efeitos colaterais mais frequentes são os gastrintestinais (cólicas abdominais e mal-estar), estando relacionados com a dose. Náuseas, vômitos e diarréia ocorrem pouco freqüentemente com as doses usuais.
USO NA GRAVIDEZ , LACTAÇÃO E PEDIATRIA
Uso durante a gravidez e lactação: A Eritromicina atravessa a placenta apresentando no feto baixas concentrações; É excretada pelo leite materno sem, entretanto, causar danos ao feto ou ao neonato. Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
ANTIBIÓTICO: Keflex - Cefalexina
CLASSE: Cefalosporina
POSOLOGIA: 
Adulto - 1 a 2g/dia dividida em 2 tomadas.
Crianças - 25 a 50 mg/kg/dia divididas em 4 administrações (de 6/6 horas).
PRINCIPAIS USOS:
É indicado para o tratamento das seguintes infecções causadas por bactérias sensíveis à cefalexina: sinusites (inflamação dos seios da face), infecções do trato respiratório, otite média (inflamação do ouvido médio), infecções da pele e tecidos moles, infecções ósseas, infecções do trato geniturinário e infecções dentárias.
ESPECTRO DE AÇÃO: Apresenta ação bactericida, destruindo as bactérias causadoras do processo infeccioso.
REAÇÕES ADVERSAS: 
Sintomas de colite (inflamação do cólon) pseudomembranosa podem aparecer durante ou após o tratamento com antibiótico. Enjoos e vômitos foram relatados raramente. A reação adversa mais frequente tem sido a diarreia, raramente grave o bastante para determinar a interrupção do tratamento. Têm também ocorrido indigestão (dispepsia) e dor abdominal. Como acontece com algumas penicilinas ou cefalosporinas, houve relatos raros de hepatite (inflamação do fígado) transitória e icterícia (síndrome caracterizada pela coloração amarela dos tecidos e secreções, por presença anormal de pigmentos biliares) colestática. Houve relatos de reações alérgicas na forma de erupções cutâneas, erupções cutâneas com coceira (urticária), angioedema e raramente eritema (vermelhidão da pele) multiforme, síndrome de stevens johnson ou necrólise (morte celular lenta) tóxica epidérmica.
USO NA GRAVIDEZ , LACTAÇÃO E PEDIATRIA
Não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Está classificado na categoria B de risco na gravidez.
ANTIBIÓTICO: Parenzyme tetraciclina
CLASSE: Tetraciclina
POSOLOGIA: O modo de uso da tetraciclina consiste na ingestão de 1 comprimido de 500 mg de 6 em 6 hora ou de 12 em 12 horas, de acordo com a indicação do médico. O leite e produtos lácteos, como queijo ou iogurte, devem ser evitados 1 ou 2 horas antes e depois da ingestão do medicamento.
PRINCIPAIS USOS:
A tetraciclina está indicada para o tratamento de Acne vulgaris, infecções geniturinárias, gengivoestomatite, granuloma inguinal, linfogranuloma venéreo, otite média, faringite, pneumonia, sinusite, tifo, sífilis e outras infecções causadas por bactérias sensíveis à tetraciclina.
REAÇÕES ADVERSAS: 
Os efeitos colaterais da tetraciclina incluem alterações de pele, descoloração dos dentes, vômitos, diarreia, candidíase oral, vulvovaginite, coceira anal, escurecimento da língua e hipersensibilidade à luz.
ESPECTRO DE AÇÃO: são antibióticos de largo espectro e bacteriostático.
USO NA GRAVIDEZ , LACTAÇÃO E PEDIATRIA
Gravidez e lactação: Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término e se está amamentando.
O uso do produto é contraindicado durante a gravidez e amamentação.
Uso na gravidez: As tetraciclinas atravessam a barreira placentária; portanto, o seu uso não é recomendado durante a segunda metade da gestação. As tetraciclinas podem causar descoloração e hipoplasia do esmalte do dente e inibição do crescimento linear do esqueleto do feto.
Uso na amamentação: As tetraciclinas são encontradas no leite materno; portanto, seu uso não é recomendado durante a lactação pela possibilidade de causarem descoloração do dente, hipoplasia do esmalte,