A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Atividade estruturada ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Pré-visualização | Página 1 de 4

Aluno: Francisco Ednardo Sousa Magalhães
Matricula: 201307266355
Curso: Administração
ATIVIDADE ESTRUTURADA
Analise Econômica e Financeira para Tomada de Decisão
Disciplina: Análise das Demonstrações Financeiras (GST0029)
Professor(a): Marcilio Farias
Manha 
Fortaleza/CE
2016
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE ESTRUTURADA
Título
ANÁLISE DE BALANÇO: Analise Econômica e Financeira para Tomada de Decisão.
Objetivo
Compreender os principais índices de análise de balanço e aplica-los para a consecução de um parecer.
Competências / Habilidades
Capacidade de análise crítica dos indicadores
Habilidade de pesquisar em diversas fontes, com a utilização da internet como ferramenta.
Capacidade de redigir textos em linguagem técnica.
Compreensão da interdisciplinaridade do da análise de balanço com as ciências econômicas, contábeis.
Visão atualizada de contextualização econômica e financeira e do mercado.
Desenvolvimento
A atividade estruturada da disciplina Análise Financeira será realizada em 4 (quatro) etapas, abaixo elencadas. Os arquivos produzidos em cada etapa deverão ser armazenados para reaproveitamento na etapa final.
1ª Etapa
O estudante deverá elaborar uma resenha crítica, entre os principais indicadores de análise de balanço dividindo-os em:
Indicadores econômicos financeiros: índices de rentabilidade; endividamento e liquidez.
Índices de Rentabilidade: Os índices de rentabilidade medem o retorno (lucro) de uma empresa com relação aos investimentos realizados. Quanto maior este retorno, melhor para a empresa em termos de geração de valor. 
- Giro do Ativo: Indica a eficiência no gerenciamento dos ativos, através do retorno obtido após as operações da empresa. 
GA = Vendas Liquidas = Lucro Liquido Atual
 Ativo Total (Ativo Atual+Ativo Anterior)
 2
- Retorno Sobre Investimento (ROI): Indica retorno para investimentos feitos em médio e longo prazos e, consequentemente, a capacidade gerencial da alta administração corroborando com o aprendizado de que se deve priorizar as dívidas de longo prazos.
ROI = Lucro Liquido x100 = Lucro Operacional Atual .
 Ativo 		 (Ativo Op. Atual+Ativo Op. Anterior)
 2
- Retorno Sobre o Patrimônio Líquido (ROE): O retorno obtido pelos sócios através de seus financiamentos, ou seja através do seu Patrimônio Liquido.
ROE = Lucro Líquido x100 = Lucro Líquido Atual
 Patrimônio Liquido Médio (PL Atual+ PL Anterior)
 2
Índices de Endividamento: Na estrutura de capitais disponíveis da empresa é preciso que se conheça a proporcionalidade entre recursos próprios e de terceiros, a dependência da empresa no curto prazo e como se compõe sua exigibilidade. Temos, então:
- Participação do capital de terceiros: Este índice mostra o grau de dependência financeira da empresa, ou seja, o quanto do ativo é financiado por dividas (Obrigações).
PCT = Capital de Terceiros x 100
 Patrimonio Liquido
- Grau de Endividamento: Comparação entre a dependência de capital de terceiros com relação ao capital próprio.
GE = Passivo Criculante x 100
Capital de Terceiros 
Capital de Terceiros: Passivo Circulante + Passivo Não Circulante
- Composição do Endividamento: Analisa o montante de dívidas de curto prazo com relação ao endividamento total.
CE = Passivo Circulante x 100
Divida total
Índice de Liquidez: As empresas contam com recursos de terceiros para seus investimentos e para obter esses montantes seus credores precisam confiar em sua capacidade de pagamento analisando os índices de liquidez.
- Liquidez Corrente: Medir a capacidade da empresa em saldar seus compromissos de curto prazo. Quanto maior, melhor. 
ILC = Ativo Circulante
 Passivo Circulante
Liquidez Seca: Também relacionado a curto prazo, mas descontando a incerteza de realizações dos estoques.
ILS = Ativo Circulante – Estoque – Despesas Antecipadas
 Passivo Circulante
Liquidez Imediata: Avalia a disponibilidade, ou seja, recursos imediatos à disposição da empresa.
ILI = Disponibilidades
 Passivo Circulante
Liquidez Geral: Relaciona disponibilidades e obrigações de curto e longo prazos.
ILG = Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo
 Passivo Circulante + Passivo Não Circulante
Indicadores de prazos médios: prazo médio de recebimento de vendas; prazo médio de pagamento de fornecedores e prazo médio de renovação de estoque.
- Prazo Médio de Recebimento de Vendas: No Prazo Médio de Recebimento de Vendas a empresa poderá avaliar se esse prazo de recebimento está de acordo com a média mais viável para o fluxo de caixa desejado do fluxo financeiro atual.
Conforme o pagamento dos clientes, com essa fórmula abaixo vamos saber qual o prazo de recebimento no período de 1 ano:
PMR = Duplicatas a Receber x 360
                 Receita de Vendas 
- Prazo Médio de Pagamento de Fornecedores: O índice do prazo médio de pagamento tem como objetivo medir e identificar a idade média das duplicatas a pagar, ou em quantos dias a empresa paga suas duplicatas. Está diretamente relacionado com a negociação que é feita entre a empresa e seu fornecedor, e com as condições de crédito obtidas pela empresa
PMP = Fornecedores x 360
Compras
- Prazo Médio de Renovação de Estoque: Quantos dias, em média, a empresa leva para vender seu estoque. Quanto maior for este índice, maior será o prazo que os produtos permanecerão estocados, aumentando a necessidade de investimentos em estoque. 
PMRE= Estoque Médio x 360
 Custo de Vendas
2ª Etapa
CRÍTICAS À ANALISE DE BALANÇO
O objetivo da Análise de Balanço é oferecer um diagnóstico sobre a real situação econômica - financeira da organização, utilizando relatórios gerados pela Contabilidade e outras informações necessárias à análise, relacionando-se prioritariamente a utilização por parte de terceiros.
O produto da análise de Balanço é apresentado em forma de um relatório que inclui uma análise da estrutura, a composição do patrimônio e um conjunto de índices e indicadores que são cuidadosamente estudados e pelos quais é formada a conclusão do analista.
As informações da análise de balanços estão voltadas para dentro e fora da empresa e não se limitam apenas a cálculo de meros indicadores de desempenho.
Para que a análise possa espelhar a realidade de uma empresa, é necessário que o profissional de contabilidade tenha certeza dos números retratados nas Demonstrações Contábeis e quem efetivamente espelham a real situação líquida e patrimonial da entidade.
No levantamento dos Balanços e das demais Demonstrações Contábeis, que no Brasil são intituladas de Demonstrações Financeiras, são necessários vários procedimentos que estão detalhados nas NBC - Normas Brasileiras de Contabilidade, na Lei das Sociedades por Ações, no Regulamento do Imposto de Renda e em normas do expedidas pelo Banco Central do Brasil e pela Comissão de Valores Mobiliários.
Então, para que o contabilista possa fazer uma perfeita análise do balanço, ele necessita saber se foram observados todos os procedimentos recomendados pelas normas em vigentes, sendo um destes requisitos a realização de auditoria financeira, fiscal, tributária e operacional.
A análise de balanços é uma das principais ferramentas para auxiliar a tomadas de decisões e pode ser dividida em:
a) Análise Contábil – tem por objetivo a análise de relatórios e demonstrações com a finalidade de fornecer informações numéricas preferencialmente de dois ou mais períodos de modo a instrumentar os administradores e acionistas, entre outros, que estejam interessados em conhecer a situação da empresa para que possam tomar decisões. A Análise

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.