A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
126 pág.
Ginastica Geral

Pré-visualização | Página 7 de 29

pioneira na década 
de 1970 a antiginástica;
• ginásticas de demonstração: não têm caráter competitivo; a sua função principal é a interação 
social, isto é, a formação integral do indivíduo em seus aspectos motor, cognitivo, afetivo e social. 
É representante desse grupo a ginástica geral.
Agora trataremos da questão organizacional no mundo. Abordaremos a Federação Internacional 
de Ginástica (FIG), que é a organização mais antiga e com maior abrangência internacional na área 
da ginástica. Está subordinada ao Comitê Olímpico Internacional (COI), sendo responsável pelas 
modalidades gímnicas que são competitivas nos jogos olímpicos. É a federação com maior influência 
na ginástica mundial.
A convivência de modalidades competitivas e demonstrativas em uma mesma federação é uma 
característica da FIG reafirmada nas palavras de Yuri Titov, presidente dessa instituição de 1976 a 1996, 
no documento de propaganda da ginástica geral (FIG [199‑]:04): “Nós somos a primeira federação 
internacional que se dedica tanto ao esporte competitivo como ao esporte recreativo [...]”. Esse é o 
grande diferencial da FIG em relação às outras federações desportivas.
24
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
06
/0
7/
20
16
Unidade I
Sobre os jogos olímpicos a ginástica é oficialmente representada nas modalidades:
• ginástica artística masculina desde 1908 em Londres;
• ginástica artística feminina desde 1928 em Amsterdã;
• ginástica rítmica desde 1984 em Los Angeles;
• ginástica de trampolim desde 2000 em Sydney.
 Lembrete
A ginástica geral esteve sempre presente abrilhantando as cerimônias 
de abertura dos jogos olímpicos, quando a plástica, a beleza, a criatividade, 
a expressividade e um número grande de participantes fazem desse evento 
um dos pontos altos dos jogos.
A FIG atualmente é composta de sete comitês, sendo seis relativos a modalidades competitivas e um 
relativo à ginástica geral que tem caráter demonstrativo.
Segue a lista com os comitês:
• ginástica artística masculina: GM (mens artistic: MAG);
• ginástica artística feminina: GF (womens artistic: WAG);
• ginástica rítmica: GR (rhytmic: RG);
• ginástica aeróbica esportiva: GAE (aerobic: AER);
• ginástica acrobática: GAC (acrobatic: Acro);
• ginástica de trampolim: GTR (trampoline: TRA);
• ginástica geral/ginástica para todos.
Veremos cada uma das modalidades de forma mais específica, mas ainda resumidamente diante de todo 
o contexto, para conhecer cada modalidade esportiva e suas características básicas.
4.1.1 Ginástica aeróbica esportiva (GAE)
A ginástica aeróbica é uma modalidade esportiva que integra ritmo, movimento e cooperação, 
contribuindo para o desenvolvimento motor, afetivossocial e cognitivo, sendo assim considerada uma 
nova possibilidade de atividade para a educação física escolar.
25
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
06
/0
7/
20
16
GINÁSTICA GERAL
Daremos um breve histórico sobre a modalidade e seus principais acontecimentos.
A ginástica aeróbica alcançou seu auge nos anos 1980, quando vários atletas de elite conquistaram 
títulos internacionais.
Cooper (1970) realizou diversos estudos sobre a importância dos exercícios aeróbios para o 
emagrecimento e a redução do surgimento das doenças cardíacas e respiratórias. O objetivo do seu 
trabalho era minimizar o sedentarismo e o estresse da vida moderna da população urbana dos EUA e 
do mundo. Em 1968, ele publicou sua primeira obra Aerobics e, em 1970, The New Aerobics e Aerobics 
for Women nas quais buscou levar as pessoas a conscientizar‑se dos benefícios dos exercícios regulares, 
predominantemente os aeróbios, e propôs um novo conceito de aptidão física.
Cooper (1970) definiu e conceituou o termo aeróbica como as “atividades do coração e dos pulmões 
por um período de tempo suficientemente longo para produzir alterações benéficas no organismo”, por 
exemplo, nadar, correr, andar e pedalar. Finalmente, em 1977, ele publica The New Way, realizando uma 
síntese de todos os seus estudos.
Dessa forma, a aeróbica ganhou força e adeptos. Um de seus adeptos, Jacki Sorensen, em 1971, 
elaborou o programa aerobic dancing, subdividindo as sessões da aula em quatro partes: aquecimento, 
flexibilidade, rotinas de dança aeróbica e esfriamento. Foi uma das atividades pioneiras em combinar 
passos de dança e música.
No final da década de 1970, a Dra. Phillys C. Jacobson elaborou a obra denominada Hooked on 
Aerobics, em que fundamenta melhor os aspectos fisiológicos e pedagógicos do trabalho individualizado 
de condicionamento físico com o objetivo de aprimorar a condição física total dos participantes de 
todas as idades (GUISELINI; BARBANTI, 1985).
Dessa forma se estabeleceram as bases do método aeróbico dos EUA. Logo depois foram difundidas 
para a Europa e diversos países.
No Brasil, entre os anos de 1981 e 1982, os profissionais de Educação Física começaram a se 
interessar pela ginástica aeróbica, e a partir daí um grande número de academias se interessou pela 
atividade.
A ginástica aeróbica surgiu como uma forma de praticar exercícios físicos para o público em geral 
no fim da década de 1980, mas logo se transformou, também, em uma modalidade competitiva de alto 
nível (AYOUB, 2003).
O primeiro campeonato de ginástica aeróbica data de 1984, nos EUA, e obteve muitos adeptos desde 
o início e se fortaleceu com participantes nos anos subsequentes (DUARTE, 2000).
Em 1994 a Federação Internacional de Ginástica (FIG) organizou e estruturou os regulamentos gerais 
e específicos do Campeonato Mundial de Ginástica Aeróbica em Paris em 1995.
26
Re
vi
sã
o:
 K
le
be
r 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: M
ár
ci
o 
- 
06
/0
7/
20
16
Unidade I
Atualmente o número de atletas que praticam a ginástica aeróbica é baixo no Brasil, de acordo com a 
Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), mas ainda ocorrem campeonatos nacionais e internacionais. 
A CBG é responsável por competições, cursos de arbitragem e cursos técnicos.
O nível dos atletas brasileiros ainda é muito alto, pois muitos pertencem à elite da modalidade, 
mas a base infelizmente está muito fraca, precisando de trabalho de massificação para que continue 
a progredir.
4.1.2 Características da modalidade
Como em todas as formas de ginástica, a ginástica aeróbica tem mudanças em seu regulamento a 
cada quatro anos, sendo a FIG responsável por tal regulamentação, sempre após o ciclo olímpico.
A GAE é uma modalidade esportiva na qual os atletas apresentam uma rotina coreográfica, com o 
tempo de 1’45”, com tolerância máxima de cinco segundos para mais ou para menos. As rotinas são 
compostas de combinações complexas e de alta intensidade de passos básicos, que vêm da tradicional 
dança aeróbica, e elementos específicos de dificuldade da modalidade, que cumprem as famílias 
obrigatórias de movimento.
O atleta deve demonstrar os componentes de fitness, incluindo resistência cardiovascular, 
força, resistência muscular, flexibilidade, coordenação, agilidade e força explosiva, através de 
padrões de movimentos contínuos. É necessário combinar os sete passos básicos da dança 
aeróbica com padrões de movimentos de braços, executados de acordo com a música, a fim de 
elaborar sequências rítmicas, dinâmicas e contínuas de movimentos de alto e baixo impacto 
(CBG, 2005).
A apresentação é executada em um palco delimitado com fitas demarcatórias, em uma área de 7 m², 
acompanhada por música adequada. Em competições para nível iniciante, a apresentação pode ocorrer 
em uma quadra esportiva ou um piso de dança.
Na categoria adulta a competição é feita da seguinte forma:
• doze elementos de dificuldades que variam entre letra A (0,10) e letra F (0,60); o A tem menor grau