1 OAB PRINCIPIOS PENAIS
12 pág.

1 OAB PRINCIPIOS PENAIS


Disciplina#penalespecial #4período12 materiais78 seguidores
Pré-visualização1 página
Direito Penal 
 
Princípios constitucionais 
penais (explícitos) 
 
Prof. Guilherme Rittel 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
\u2022 Legalidade/reserva legal; 
\u2022 Anterioridade; 
\u2022 Retroatividade de lei penal benéfica; 
\u2022 Personalidade ou responsabilidade pessoal; 
\u2022 Individualização da pena; 
\u2022 Humanidade; 
 
\u2022 Adequação social; 
\u2022 Insignificância; 
\u2022 Culpabilidade; 
\u2022 Proporcionalidade; 
\u2022 Intervenção mínima (subsidiariedade); 
\u2022 Fragmentariedade; 
\u2022 Ofensividade. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Legalidade/reserva legal 
 
Art. 1º, CP - Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem 
prévia cominação legal; 
 
Art. 5º, XXXIX, CF - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena 
sem prévia cominação legal. 
 
\uf076 Lei certa, estrita e escrita. 
 
Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre: 
 
I - direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral, agrário, marítimo, 
aeronáutico, espacial e do trabalho; 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
(2014 \u2013 FGV \u2013 OAB - Exame de Ordem Unificado - XIV - Primeira Fase) O 
Presidente da República, diante da nova onda de protestos, decide, por 
meio de medida provisória, criar um novo tipo penal para coibir os atos 
de vandalismo. A medida provisória foi convertida em lei, sem 
impugnações. Com base nos dados fornecidos, assinale a opção correta. 
 
a) Não há ofensa ao princípio da reserva legal na criação de tipos penais 
por meio de medida provisória, quando convertida em lei. 
b) Não há ofensa ao princípio da reserva legal na criação de tipos penais 
por meio de medida provisória, pois houve avaliação prévia do Congresso 
Nacional. 
c) Há ofensa ao princípio da reserva legal, pois não é possível a criação de 
tipos penais por meio de medida provisória. 
d) Há ofensa ao princípio da reserva legal, pois não cabe ao Presidente da 
República a iniciativa de lei em matéria penal. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
(2014 \u2013 FGV \u2013 OAB - Exame de Ordem Unificado - XIV - Primeira Fase) O 
Presidente da República, diante da nova onda de protestos, decide, por 
meio de medida provisória, criar um novo tipo penal para coibir os atos 
de vandalismo. A medida provisória foi convertida em lei, sem 
impugnações. Com base nos dados fornecidos, assinale a opção correta. 
 
a) Não há ofensa ao princípio da reserva legal na criação de tipos penais 
por meio de medida provisória, quando convertida em lei. 
b) Não há ofensa ao princípio da reserva legal na criação de tipos penais 
por meio de medida provisória, pois houve avaliação prévia do Congresso 
Nacional. 
c) Há ofensa ao princípio da reserva legal, pois não é possível a criação de 
tipos penais por meio de medida provisória. 
d) Há ofensa ao princípio da reserva legal, pois não cabe ao Presidente da 
República a iniciativa de lei em matéria penal. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Anterioridade 
 
Art. 1º , CP - Não há crime sem lei anterior que o 
defina. Não há pena sem prévia cominação legal. 
 
Art. 5º, XXXIX , CF - não há crime sem lei anterior 
que o defina, nem pena sem prévia cominação 
legal. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Retroatividade de lei penal benéfica 
 
Art. 5º, XL, CF - a lei penal não retroagirá, salvo para 
beneficiar o réu; 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
(2013 \u2013 FGV \u2013 OAB - Exame de Ordem Unificado - XI - Primeira Fase) A Lei n. 
9.099/95 modificou a espécie de ação penal para os crimes de lesão corporal 
leve e culposa. De acordo com o Art. 88 da referida lei, tais delitos passaram a 
ser de ação penal pública condicionada à representação. Tratando-se de 
questão relativa à Lei Processual Penal no Tempo, assinale a alternativa que 
corretamente expõe a regra a ser aplicada para processos em curso que não 
haviam transitado em julgado quando da alteração legislativa. 
a) Aplica-se a regra do Direito Penal de retroagir a lei, por ser norma mais 
benigna. 
b) Aplica-se a regra do Direito Processual de imediatidade, em que a lei é 
aplicada no momento em que entra em vigor, sem que se questione se mais 
gravosa ou não. 
c) Aplica-se a regra do Direito Penal de irretroatividade da lei, por ser norma 
mais gravosa. 
d) Aplica-se a regra do Direito Processual de imediatidade, em que a lei é 
aplicada no momento em que entra em vigor, devendo-se questionar se a 
novatio legis é mais gravosa ou não. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
(2013 \u2013 FGV \u2013 OAB - Exame de Ordem Unificado - XI - Primeira Fase) A Lei n. 
9.099/95 modificou a espécie de ação penal para os crimes de lesão corporal 
leve e culposa. De acordo com o Art. 88 da referida lei, tais delitos passaram a 
ser de ação penal pública condicionada à representação. Tratando-se de 
questão relativa à Lei Processual Penal no Tempo, assinale a alternativa que 
corretamente expõe a regra a ser aplicada para processos em curso que não 
haviam transitado em julgado quando da alteração legislativa. 
a) Aplica-se a regra do Direito Penal de retroagir a lei, por ser norma mais 
benigna. 
b) Aplica-se a regra do Direito Processual de imediatidade, em que a lei é 
aplicada no momento em que entra em vigor, sem que se questione se mais 
gravosa ou não. 
c) Aplica-se a regra do Direito Penal de irretroatividade da lei, por ser norma 
mais gravosa. 
d) Aplica-se a regra do Direito Processual de imediatidade, em que a lei é 
aplicada no momento em que entra em vigor, devendo-se questionar se a 
novatio legis é mais gravosa ou não. 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Personalidade ou responsabilidade pessoal 
(intranscendência) 
 
Art. 5º, XLV , CF - nenhuma pena passará da pessoa 
do condenado, podendo a obrigação de reparar o 
dano e a decretação do perdimento de bens ser, 
nos termos da lei, estendidas aos sucessores e 
contra eles executadas, até o limite do valor do 
patrimônio transferido (Constituição Federal). 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Individualização da pena 
 
Art. 5º, LVI, CF - a lei regulará a individualização da pena 
e adotará, entre outras, as seguintes: 
 
a) privação ou restrição da liberdade; 
b) perda de bens; 
c) multa; 
d) prestação social alternativa; 
e) suspensão ou interdição de direitos; 
DIREITO PENAL \u2013 PARTE GERAL 
PRINCÍPIOS: 
 
Humanidade 
 
Art. 5º, XLVII, CF - não haverá penas: 
 
a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos 
termos do art. 84, XIX; 
b) de caráter perpétuo; 
c) de trabalhos forçados; 
d) de banimento; 
e) cruéis;