Resumo - Psicologia Ciência e Profissão
3 pág.

Resumo - Psicologia Ciência e Profissão

Disciplina:Psicologia: Ciência e Profissão450 materiais13.433 seguidores
Pré-visualização2 páginas
PSICOLOGIA, CIÊNCIA E PROFISSÃO

PSICOLOGIA DA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO
O papel do psicólogo nas organizações é o de um profissional que desenvolve estratégias para melhorar o ambiente de trabalho, em geral.
- Atividades: recrutamento e seleção, motivação pessoal, resolver problemas de adaptação, orientação e aconselhamento, avaliação de desenvolvimento pessoal, treinamento e desenvolvimento. Qualidade de vida: prevenção e remediação. Coordenação de RH. Planeja e implementa ações em dois planos:
- Nível Preventivo: planejamento ambiental, acompanha desenvolvimento de doenças ocupacionais, contribui para segurança e higiene pessoal.
- Nível Remediativo: conceber e oferecer serviços na área de saúde mental.

2. SAÚDE MENTAL
A Saúde Mental de uma pessoa está relacionada à forma como ela reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções. É reconhecer seus limites e saber procurar ajuda quando tem dificuldade de lidar com conflitos. Ter saúde mental é estar bem consigo mesmo e com os outros. Todas as pessoas podem apresentar sinais de sofrimento psíquico em algumas fases da vida.
Luta antimanicomial: luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro desta luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental.
A Reforma Psiquiátrica pretende construir um novo estatuto social para o doente mental, que lhe garanta cidadania, o respeito a seus direitos e sua individualidade, promovendo sua contratualidade e sua cidadania, inclusos aí não só seus direitos como seus deveres como cidadão.

3. ESCOLAR
Conhecimentos científicos sobre desenvolvimento emocional, cognitivo e social. Utiliza este conhecimento para compreender os processos e estilos de aprendizagem e direcionar a equipe educativa na busca de um constante aperfeiçoamento do processo ensino/aprendizagem.
1º momento: Foco no aluno. Identificar o fracasso escolar / dificuldade de aprendizagem.
2º momento: foco na dificuldade de aprendizagem, principalmente, e à motivação. Ajustar o aluno na escola.
Pós-modernidade, 3º momento: Dificuldade de aprendizagem relacionada a um problema de relação (família, professores, colegas, funcionários, comunidade). Crítica: questiona a eterna repetição dos discursos e das práticas que tomam como naturais ou individuais as queixas escolares, como a repetência, a evasão e os “maus comportamentos”.
4º momento, hoje: Deixou-se de trabalhar apenas com intervenção e passou-se a trabalhar com prevenção. Passou a valorizar as relações e o contexto histórico no qual as dificuldades se instalam. Caracteriza-se por uma atuação preventiva e relacional que valoriza a participação do professor e o cuidado com sua saúde psíquica.
Desafio atual: ampliar seu campo de atuação para outros contextos e níveis educativos e sistematizar ações diferenciadas que promovam o desenvolvimento e a aprendizagem dos envolvidos no cotidiano escolar.
Problemas de aprendizagem podem estar associados aos mais variados fatores ◦ Repertórios comportamentais básicos ◦ Repertórios específicos a disciplina ◦ Problemas de saúde (e.g. problemas de visão, nutrição) ◦ Questões psicológicas (e.g. TDAH, habilidades sociais) ◦ Questões familiares (e.g. interação com a família).
Dificuldades relacionadas à interação do aluno e seu ambiente familiar: cobrança excessiva por desempenho acadêmico; desinteresse, falta de envolvimento dos pais com o ensino; dificuldades familiares (e.g. divórcio, brigas constantes); estrutura domiciliar inapropriada; dificuldades financeiras (e.g. criança precisa trabalhar).
Com professores: repertório didático insuficiente ou inadequado; sala de aula inadequada; conteúdo programático inadequado à fase de desenvolvimento da turma; composição da turma; questões Psicológicas e pessoais.
Atuação do psicólogo:
- Preventiva: amparada em planejamento prévio; visa maximizar as condições de ensino e interação.
- Corretiva: intervenção; visa solucionar problemas ou melhorar condições.
-Testes vocacionais, atividades pedagógicas...
NÃO deve atuar como psicólogo clínico de alunos, professores ou staff, nem como funcionário de RH.
4. JURÍDICA
Área da Psicologia que se relaciona como sistema de justiça. Também conhecida como Psicologia Forense. Na Psicologia Jurídica há uma predominância das atividades de confecções de laudos, pareceres e relatórios, pressupondo-se que compete à Psicologia uma atividade de cunho avaliativo e de subsídio aos magistrados. O psicólogo, ao concluir o processo da avaliação, pode recomendar soluções para os conflitos apresentados, mas jamais determinar os procedimentos jurídicos que deverão ser tomados.
Psicologia Criminal – intervenção em Juizados Especiais Criminais, perícia, insanidade mental e crime, estudo sobre o crime.
Psicologia Penitenciária ou Carcerária – intervenção junto ao recluso, prevenção de DST/AIDS em população carcerária, trabalho com agentes de segurança, penas alternativas.
Psicologia Jurídica e as questões de infância e adolescência: adoção; destituição do poder familiar; adolescentes autores de atos infracionais.
Psicologia da Família: Disputa de guarda.
Direito civil: o psicólogo atua nos processos em que são requeridas indenizações em virtude de danos psíquicos e também nos casos de interdição judicial.
Dano psíquico: o dano psíquico pode ser definido como a sequela, na esfera emocional ou psicológica, de um fato particular traumatizante.
Interdição: a interdição refere-se à incapacidade de exercício por si mesmo dos atos da vida civil.
Direito penal: perito para averiguação de periculosidade, das condições de discernimento ou sanidade mental das partes em litígio ou em julgamento; doentes mentais que cometeram algum delito. Esses sujeitos recebem medida de segurança, decretada pelo juiz, e são encaminhados para Institutos Psiquiátricos Forenses (IPF).
Outras áreas: Vitimologia - avaliação do comportamento e da personalidade da vítima. Traçar o perfil e compreender as reações das vítimas perante a infração penal. Dedica-se também à aplicação de medidas preventivas e à prestação de assistência às vítimas.
Psicologia do testemunho: avaliar a veracidade dos depoimentos de testemunhas e suspeitos, de forma a colaborar com os operadores da justiça.  O chamado fenômeno das falsas memórias tem assumido um papel muito importante na área da Psicologia do Testemunho.  Depoimento sem Dano, que objetiva proteger psicologicamente crianças e adolescentes vítimas de abusos sexuais e outras infrações penais.

5. PSICOLOGIA DA SAÚDE E HOSPITALAR
Tratar questões relacionadas à saúde e à doença. Níveis de atuação:
Primário: promover a educação para a saúde, quando não existem problemas de saúde instalados. Prevenção. Ex. Trabalho com população em geral na comunidade sobre os riscos do contágio do vírus HIV.
Secundário: a doença já existe, o profissional atua na prevenção de efeitos adversos e do agravamento. Ex. Trabalho com pessoas já contaminadas com o HIV, para que não agravem.

Terciário: quando a doença já teve o agravamento, para minimizar o sofrimento. Ex. Trabalho (de grupo, psicoterápico, de apoio, etc.) com pessoas infectadas pelo vírus HIV e que manifestam AIDS.

- Participar politicamente das decisões sanitárias;
- Associar prática e pesquisa nos três níveis de saúde;
- Pratica multidisciplinar e Inter profissional;
- Princípios do SUS: Universalidade, Equidade e Integralidade da atenção à saúde.
Já a Psicologia Hospitalar se dá no hospital e já há a doença, não trabalha com prevenção. Alguma questão da psique provoca a doença (psicossomática).

Psicologia da saúde X Psicologia hospitalar / Psicossomática X Psicologia da saúde / Psicologia clínica x Psicologia da saúde

Formação indicada: Realizar avaliações e intervenções psicológicas; conduzir pesquisas e comunicar informações de cunho psicológico a outros profissionais; organizar e administrar programas
Thania Nery fez um comentário
  • Olá, Matheus! Só vi seu comentário agora. Caso ainda esteja precisando, me envie seu e-mail que envio o arquivo em pdf para você.
    0 aprovações
    Matheus fez um comentário
  • alguém teria como me enviar essas páginas em PDF ?
    1 aprovações
    Carregar mais