Fratura zigomática
9 pág.

Fratura zigomática


DisciplinaCirurgia Bucal II83 materiais359 seguidores
Pré-visualização1 página
Fratura zigomática
Em caso de fratura em maxila e mandíbula, essas estruturas podem ficar moveis e influenciar na oclusão, no caso do zigoma, ele não esta relacionado com os dentes.
Funções do zigoma:
Projeção antero-lateral da face (se fraturar, essa área fica mais planificada);
Compõe maior parte da orbita :assoalho ( nessa parte, o zigoma é mais fino que uma \u201ccasquinha de ovo\u201d e mantêm o globo ocular em posição, quando ocorre uma lesão, forma um buraco no seio maxilar que esta em intimo contato com o mesmo, e o olho e suas estruturas tendem a entrar na cavidade e ocorre o encarceramento);
***Em uma visão lateral o zigoma se une através de uma sutura com o osso temporal e forma um arco (estrutura fina e delicada que nos trás a informação da posição de quanto para frente é o zigoma);
*** zonas de fragilidade do zigoma suturas: fronto-zigomática, maxilo-zigomática e a temporo-zigomática.
baseado na região anatômica fraturada: assoalho, corpo e arco zigomático.
Similar a do tipo \u201cgalho forte\u201d, temos traço de fratura sem deslocamento;
Fratura isolada do arco zigomático;
Houve deslocamento sem rotação (ele pode ir para antero-posteriormente mas não rotacionou);
Houve deslocamento e rotação medial (deixando o rosto mais curto);
Houve deslocamento e rotação lateral (deixando o rosto mais largo);
Fraturas complexas.
Quando não tem deslocamento:
A posição que ele ficou do trauma, ele fica permanentemente (pois não tem ação de músculos potentes), 
Ou seja, não precisa de tratamento \u2013 cicatriza normalmente \u2013 não se aplica a classificação favorável e desfavorável.
Quando houve deslocamento
-- redução
--contenção (quando o osso estiver muito deslocado)
Exames de imagens para fratura no zigoma:
Radiografia de Waters, Hirtz invertida e TC 3D.
Sinais e sintomas:
Iremos fazer palpação nas áreas de sutura para verificar deslocamento.
Extrópio/entrópio;
Blefaroptose;
Amaurose;
Parestesia
Degrau ósseo;
Equimose/hematoma periorbitário;
Equimose subconjuntival \u2013 hiposfagma 
Extrópio/entrópio;
Blefaroptose;
Amaurose;
Parestesia
Degrau oclusal e contato prematuro;
Dor na oclusão 
***por causa da pressão feita no nervo alveolar superior posterior, que pode ocorrer;
Dificuldade de abertura bucal 
***o côndilo articula na fossa; tem uma concavidade chamada chanfradura sigmóide e depois o processo coronóide tem a eminência articular e lateralmente o arco zigomático que esta alinhado com o coronóide e quando abrimos a boca o coronóide vai para frente mais para medial ao arco e muitas vezes na fratura o arco entra e impossibilita a abertura bucal. 
Resumindo: O deslocamento do arco para medial toca no coronóide durante a abertura e limita a abertura bucal.
Equimose subconjuntival \u2013 hiposfagma 
***na região da esclera -> parte branca do olho que se chama conjuntiva pode ter um sangramento;
Epistaxe 
***sangramento nasal -> o conteúdo liquido que entra no seio maxilar é drenado pelo nariz no meato médio - óstio;
Enoftalmia;
***as pálpebras são como \u201clençóis\u201d recobrindo o olho, e se o globo ocular for encarcerado para dentro do seio temos uma diminuição do volume palpebral.
Exoftalmia;
***se por algum motivo teve um sangramento na região posterior do globo ocular de artérias ou vasos mais calibrosos \u2013 formando um coagulo que projeta o olho com o conteúdo sanguíneo pode ocorrer uma projeção acentuado do olho.
Anotações: 
***as pupilas normalmente reagem iguais bilateralmente.
Exemplo-->se direcionarmos a luz de uma lanterna para um dos olhos, os dois se contraem (entra a informação da luz, o cérebro interpreta)
*** só ocorre movimentação individual em trauma ou AVC.
-Anisocoria: diferença da contração pupilar (uma contraída e outra dilatada);
-Midríase: dilatação da pupila;
-Miose: contração da pupila;
-Oftalmoplegia: paralisação (olho não se movimenta);
-Distopia: olho em uma posição errada (abaixo da linha bipupilar - sinal), pode girar a diploplia (visão dupla - sintoma);
-Dacriocistite: inflamação do saco lacrimal;
-Epífora: lacrimejamento continuo e involuntário. 
Anotações:
Etiologia:
Acidentes domésticos;
Agressões interpessoais;
Quedas;
Acidentes automobilísticos;
FPAF;
Acidentes esportivos
*** sutura fronto-zigomática, região de rebordo (acesso extra-oral) ;
***pilar zigomática (intra-oral).
Efeitos da redução:
Sutura zigomaticomaxilar: projeção lateral da face;
Arco zigomático: projeção ântero-posterior da face;
Pilar zigomático: altura da face;
Restabelecer a abertura bucal.
Obs: a sutura fronto-zigomática também confere altura à face.
Redução cruenta:
Vantagens:
Inspeção do deslocamento ;
Redução perfeita dos fragmentos ósseos;
Reegrenagem pela interdigitação da sutura;
Desaparecimento de degrau;
Recuperação da simetria;
Melhora da abertura bucal;
Melhora da motricidade ocular.
(enxergamos os cotos e sabemos exatamente a posição em que a borda precisa ficar).
Anotações:
Importante:
***sobre a quantidade de placas necessárias em fratura de zigoma: 
Se reduzirmos e os cotos continuarem unidos, não coloco placa; 
Se reduzirmos e não se manteve estável, colocaremos uma placa e se a redução continuar mantida (finalizamos a cirurgia);
Mas caso a redução desloque devemos colocar mais até ocorrer à estabilização.
***Quando o cirurgião esta instrumentando com o gancho a região fraturada - simultaneamente ele utiliza o dedo para verificar qual movimento aproxima os cotos.
Fratura de arco zigomático:
Tratamento: com o instrumento na região fraturada trazer lateralmente dando convexidade
Vias de acesso incisão em couro cabeludo ou intra-oral em fundo de sulco de acordo com a preferência do cirurgião).
Fratura em assoalho:
Tratamento: ele é muito fino, portanto não conseguimos reconstruir om placa e parafuso. Então utilizaremos uma tela/malha de titânio que já tem o formato de um cone \u2013 anatômica, maleável e fina (fácil de moldar e conseguimos adaptar) possui aletas para fixa-lá.
Outras opções menos utilizadas osso altogeno (seria a primeira escolha pensando em consolidação e cicatrização, mas para conseguirmos dar uma anatomia de uma região triangular e cheia de angulações não conseguimos esculpir corretamente); polietileno poroso \u2013 porex (alta taxa de infecção).
Anotações:
***Velamento: sangue dentro do seio maxilar;
***ponto intra-dérmico na sutura mais estético
***Para complementar observar casos clínicos do slide.
*** maneira geral estuda r: sinais e sintomas, classificações (são duas), vantagem de cruento e incruento;
***Não precisa saber nome de acesso e indicações.
(Só saber temos que colocar a quantidade de placa que fique fixo e estável);
*** o zigoma é independente da ação muscular;
***Oque da estabilidade para o zigoma é o contato com os ossos vizinhos e afins.