PRODUÇÃO E MANEJO DE OVINOS   prova 1
16 pág.

PRODUÇÃO E MANEJO DE OVINOS prova 1


DisciplinaProdução e Manejo de Ovinos3 materiais46 seguidores
Pré-visualização3 páginas
PRODUÇÃO E MANEJO DE OVINOS \u2013 UFRGS
AULA 1 \u2013 Avaliação socio-econômica - Ovinocultura no Brasil e no mundo
A Ásia é um grande consumidor de ovinos, principalmente a China
Chinês tem como costume comer porco e carne ovina (capão ou cordeiro mais velho). 
A China tá crescendo muito e as pessoas estão comendo mais carne, o que tem feito uma diferença muito grande no mercado da carne ovina no mundo. 
A maior população de ovinos no mundo está na China
A China é PRODUTORA e IMPORTADORA de cordeiros, justamente pela sua necessidade.
A Austrália sempre foi o país mais conhecido em termos de produção de ovinos, mas uma produção muito voltara para a lã
Maior exportador atual de carne ovina é a Nova Zelândia (porque não existe um mercado interno importante)
A Europa, principalmente em momentos de festa, também consome bastante carne de cordeiro
	MAIOR CONSUMIDOR
	CHINA
	MAIOR PRODUTOR DE CARNE
	CHINA
	MAIOR PRODUTOR DE LÃ
	AUSTRÁLIA
	MAIOR IMPORTADOR
	CHINA
	MAIOR EXPORTADOR
	NOVA ZELÂNDIA
Na América do Sul, maiores consumidores são RS e Uruguai
O Brasil tem a maior população de ovinos na América Latina, depois Argentina, Bolívia e Uruguai (o Brasil tem a maior população porque é um país maior). 
Maior concentração: RS e Nordeste.
Maior concentração por área: Uruguai
Hoje a ovinocultura no Brasil: pequenas propriedades de subsistência familiar com animais deslanados.
Bioma pampa (lanados), caatinga (deslanados e pequenas propriedades)
Cerrado tá crescendo muito (mato grosso) \u2013 crescimento, não importante
Norte: região mais difícil de produzir, devido a grande umidade do ar (ovinos não se adaptam)
RS: Estado que mais tem ovinos no Brasil
CARACTERÍSTICAS NO BRASIL:
Crescente demanda interna dos produtos 
Necessidade de mão de obra entusiasmada e capacitada
Falta de escala de produção 
Elevada sazonalidade de produção \u2013 maior oferta de cordeiros no mercado ao longo do ano: final do ano (festas). Pode ser um problema para quem vende para restaurantes (tem que ter carne o ano inteiro, para um supermercado não há necessidade). Segregação de mercados: para restaurante e para supermercados.
Produção de carne aquém do consumo
Necessidade de se organizar a cadeia produtiva
O que fazer para melhorar essa cadeia produtiva da ovinocultura?
Grande parte da nossa importação de cordeiros vem do Uruguai.
Ovinocultura no RS:
(História)
Ovinocultura de lã X Ovinocultura de carne
Taxa reprodutiva mais importante (produção de cordeiro por ovelha): mais importante na produção de carne. Não pode deixar morrer o cordeiro! 
Aumento maior dos cuidados com os animais: aumento da escala de produção.
Região sudeste do RS: onde a maior população de ovinos está (fronteira com o Uruguai).
CARACTERÍSTICAS ZONA SUL \u2013 RS
Alta taxa de mortalidade de cordeiros \u2013 até 40%
Baixa natalidade
Desmame 53 a 60%
Permanência de capões
Poucos ventres e má nutrição
Meses de concentração de vendas (RS): nov, dez, jan
Qualidade e quantidade variável da carne
Elevada produção de abate clandestino
ABATE CLANDESTINO: dentro da propriedade, sem condições sanitárias
Relacionada com a baixa escala de produção 
Falta escala de produção: ligada à baixas taxas reprodutivas e à baixas taxas de sobrevivência e produtividade dentro da propriedade, muito mais do que uma relação com o mercado.
MERCADO DA CARNE OVINA
Relativa elevada demanda pelo produto 
 Importação do Uruguai: \u2013 Entrave ao mercado nacional \u2013 Manutenção e ampliação do mercado brasileiro 
Abate clandestino e comercialização informal: \u2013 Prejudicial \u2013 Minimizada pelo aumento da escala produtiva 
Desequilíbrio entre oferta e demanda e utilização de categorias impróprias que substituem o cordeiro 
MERCADO DA CARNE OVINA: É PRECISO OCORRER MUDANÇAS NOS SISTEMAS PRODUTIVOS, COM ESCALA & EFICIÊNCIA PRODUTIVA
CARACTERÍSTICAS DA OVINOCULTURA
Sistemas de produção
É o resultado da interação entre os fatores ecológicos e socioeconômicos
Clima, Altitude, Solo, Flora e Fauna
Condição familiar, recursos, mão-de-obra..
Genética, instalações, nutrição, sanidade, reprodução...
GERALMENTE, PREDOMINA NOS SISTEMAS PRODUTIVOS:
LÃ E PELE - SISTEMAS EXTENSIVOS 
CARNE E LEITE - INTENSIVOS (mas não necessariamente)
Leite: mais intensivo que a produção de carne
A lã continua crescendo mesmo o animal em mantença ou desnutrido. A lã tem baixo requerimento alimentar na sua produção 
Extensivos: menos aplicação de recursos
Intensivos: mais recursos
sistemas extensivos
RS
Semi-extensivo: campo nativo melhorado com azevém, pastagens cultivadas
sistema semi-intensivo 
Região sul-sudeste
creep feeding \u2013 cordeiros tem acesso a uma ração, mas a ovelha não
Sistemas intensivos
RS, PR, SP
Controle muito maior do que o animal a pasto
Confina-se muitas vezes pela verminose
Custo maior alimentação
Produção de leite \u2013 confinados pelo controle da verminose
Região nordeste: pequenas propriedades
Produção mais extrativista
Pequenos animais: animais que tem demanda de mantença mais baixa
Em época seca, o animal sobrevive, mas não produz tanto em épocas de chuva como poderia produzir
Muitas vezes caprinos e ovinos juntos
Ovinos e fruteiras:
Animais se roçam nas cercas, pode causar trauma
Uso de cano para proteger \u201ctubex tree shelter\u201d
Ovinos acumulam cobre no fígado. Excesso de cobre é um problema em frutas temperadas (tratamentos fito-sanitários que se faz nessas plantas durante o inverno)
Uruguai:
Produção a pasto em campo nativo
Associação de bovinos com ovinos
Lã de muito boa qualidade em função dos programas de melhoramento de lã
Programa para aumentar prolificidade 
Quanto mais fina a lã, melhor a qualidade
AULA 2 - RAÇAS DE OVINOS
Os ovinos tem uma variabilidade genética bastante importante 
Sub-reino Vertebrata 
Classe Mammalia 
Ordem Ungulata 
Subordem Artiodactyla 
Grupo Ruminantia 
Família Bovineae 
Subfamilia Caprinae 
Gênero Ovis 
Espécies Ovis aries
CORDEIRO: do nascimento á puberdade
Na prática: enquanto o animal tiver dente de leite (até 1 ano de idade) \u2013 se considera cordeiro para carne (definição comercial)
BORREGO: 5 meses até a reprodução. Fêmea: até o primeiro parto (enquanto não
pariu ainda, é considerada borrega, enquanto está gestando). Muitas vezes a borrega abandona o cordeiro enquanto primípara.
OVELHA: após o primeiro parto
CAPÃO: macho castrado adulto
RUFIÃO: ovino que é utilizado para identificar cio (macho vasectomizado ou fêmea androgenizada)
Domesticação dos ovinos ocorreu há 10 mil anos atrás ou mais, os ovinos foram um dos primeiros animais a serem domesticados
Ovinos selvagens eram cobertos por pêlos
Pelo + lã curta (lanilha)
Seleção de animais com mais lã, perda de algumas características como capacidade de vasoconstrição periférica dos vasos (perderam capacidade de transpiração)
Ovinos sofrem muito com umidade
DIFERENÇAS ENTRE CAPRINOS E OVINOS:
OVELHAS: Cola caída e comprida, perfil convexo, glândula interdigital, sulco junto do olho, glândula inguinal, chifre espiralado e em corte em seção transversal é triangular e é mais irrugado. Ovinos nunca tem barba, cabeça baixa pastejando
CABRAS: cola ereta e curta, perfil mais retilíneo (anglo nubiana tb tem perfil convexo), chifre mais oval na seção transversal e reto para trás. Podem ou não ter barba, cabeça erguida, curioso.
Cruzamento de ovino com caprino: não é possível. Espécies diferentes com números de cromossomos diferentes
Ovinos: 54
Caprinos: 60
DENTIÇÃO:
Serve para determinar a idade
Maxilar superior não tem os incisivos
Incisivos: 8 dentes
Conforme o tipo de dente, tem a idade do animal
Dois do meio: pinças, primeiros médios, segundos médios e os cantos
Cordeiro nasce sem dente, depois nascem os dentes de leite (até 1 ano de idade)
2 dentes: 1 ano de idade
4 dentes: 2 anos de idade
6 dentes: 3 anos de idade
Boca cheia: 4 anos