A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Anatomia e fisiologia da mama; alterações patológicas nas mamas relacionadas à amamentação; leite materno (composição e produção); pega correta; benefícios da amamentação; achados normais na pele do recém-nascido

Pré-visualização | Página 2 de 3

cessa rapidamente
- a prolactina também tem efeitos nos ovários, tornando-os menos sensíveis às gonadotrofinas
- compreender a composição, produção e maturação do leite materno
- a prolactina liberada pelos lactotrófos hipofisários age em receptores de membrana espefícicos (PRL-R)Age também nas células do corpo lúteo
- dentre as células alvo estão as do epitélio alveolar das mamas para produção de leite
- se liga nos receptores, fazendo com que eles se dimerizem
- na sua porção intracitoplasmática, o receptor se associa a uma enzima, a Janus quinase 2 (JAK2), que é uma tirosil-quinase
- a JAK2 fosforila o receptor em um resíduo de tirosina
 - ao mesmo tempo, também fosforila outro substrato intracelular, o STAT5, que é um fator de transcrição
 - ao ser fosforilado, o STAT5 se dimeriza
 - o dímero se desloca para o núcleo celular, onde inicia a ativação da expressão gênica
- ocorrem ainda fosforilações em outros substratos que promovem a propagação do sinal da prolactina, como a proteína Shc
 - essa propagação ativa uma série de enzimas MAP quinases
- os caminhos de propagação aumentam a expressão gênica de proteínas diversas
 - dentre elas a caseína e a lactalbumina
 - aumentam a captação de glicose pelas célulasPrincipais constituintes do leite
 - aumentam o ritmo de produção da lactose
 - além de desencadear o aumento na captação de ácidos graxos e a síntese de triacilgliceróis
- Manutenção da produção de leite
- o leite produzido pelas células do epitélio alveolar é secretado para dentro da cavidade alveolar, onde é armazenado
- depois é drenado, pelos ductos, para o seio lactífero, onde pode ser sugado pela criança
- durante a sucção, impulsos nervosos são enviados para o SNS, bloqueando a secreção de dopamina (inibidor da prolactina)
 - além de estimular a secreção de hormônios liberadores de prolactina (TRH e VIP)
- Ejeção do leite
- a sucção também leva a secreção reflexa de ocitocina, que ocorre em 20 a 30 segundos após iniciada a sucção
- o aumento dos disparos ocitocinérgicos seguidos de picos de ocitocina em cerca de 30 segundos após iniciada a sucção
- faz com que o hormônio atue sobre as células mioepitelieis que envolvem os alvéolos
- essas células mioepiteliais se contraem, aumentando a pressão intralveolar e esvaziando esses alveolos
- fazendo com que seu conteúdo seja ejetado para os ductos e seios lactíferos
- Ação da ocitocinaPor isso que a ocitocina tem cerca ação antidiurética e vassopressiva, assim como a vasopressina tem ação ocitócica
- a ocitocina age através de interação com receptores ligados à proteína G
- os receptores da ocitocina são proteicos e semelhantes àqueles V1 e V2 da vasopressina
- ao se ligar ao receptor, há ativação da proteína Gqα
- há fosforilação da Fosfolipase C da face interna da membrana celular
- sendo formado inosil trifosfato (IP3)
- ativação da Proteína quinase C (PKC)
- a PKC promove a entrada de cálcio para o citosol (que estava armazenado em cisternas do retículo endoplasmático)
- o aumento de Ca2+ promove a contração da musculatura
- Composição 
- nos primeiros dias, uma secreção mais amarelada e espessa é liberada, o colostro
- contém menos vitaminas hidrossolúveis (C e B), carboidratos e gordura que o leite
 - porém, possui mais vitamitas lipossolúveis (ADEK) e imunoglobulinas (IgG)
- no decorrer de 2-3 semanas, diminuem as concentrações de proteínas e IgG
 - enquanto há aumento de gordura e lactose
 - passando a ter valor mais calórico que o colostro
- após essa transição, o leite passa a ser uma solução aquosa contendo:
 - água, açúcar (lactose o principal), gordura, aminoácidos (incluindo os essenciais), proteínas (caseína a principal)
 - minerais (cálcio, ferro, magnésio, potássio, sódio, fósforo e enxofre) e vitaminas (A, B1, B2, B12, C, D, E e K)
- Produção
- Via secretória
- proteínas, açúcares e imunoglobulinas são secretadas nos alvéolos por exocitose
- proteínas são sintetizadas no retículo endoplasmático rugoso e seguem para o complexo de Golgi
 - onde são empacotadas em vesículas e secretadas no lume dos alvéolos
- a lactose sintetase induz a síntese de lactose também no complexo de GolgiAssim, o volume de leite é diretamente relacionado à quantidade de lactose
 - onde igualmente é empacotada e secretada por exocitose
- como o açúcar é osmoticamente ativo, puxa água e sais para as vesículas
- as imunoglobulinas da mãe (sobretudo IgA) são captadas pela membrana basal das células alveolares por endocitose
 - são, então transportadas para a membrana apical em vesículas e são secretadas por exocitose
- Via dos lipídeos
- os ácidos graxos de cadeia longa são os mais abundantes no leite
 - originam-se na dieta ou em depósitos de gordura
- os de cadeia curta são sintetizados no retículo endoplasmático liso das células epiteliais elveolares 
 - formam gotículas que se movem em direção à membrana apical
 - durante o percusso vão aumentando de tamanho
 - na membrana, a gotícula é envolvida e é eliminada no lume do alvéolo junto com envoltório membranoso
- Água e sal
- são transportados sobretudo por gradiente osmótico gerado pela lactose (primariamente) e pelos eletrólitos
- Via paracelular
- as tight junctions (junções apertadas) não permitem que as substâncias passem de uma célula para a outra
- porém, durante a sucção, essas junções se tornam frouxas, permitindo fluxo de água e sais, além de leucócitos e imunoblastos secretores de IgA
- Conhecer os benefícios da amamentação para o filho e para mãe
- quando a amamentação é exclusiva, garante diversos benefícios
- efeito protetor contra infecções
 - diarreias e doenças respiratórias, por exemplo, aumenta substancialmente quando a criança recebe outros alimentos precoce
- um estudo viu-se que crianças não amamentadas tinham 61x mais chance de hospitalizações
- introdução precoce de alimentação complementar também se associa ao desenvolvimento de alergias
 - como a asma
- amamentação exclusiva também parece proteger contra o diabetes mellitus tipo I
 - a exposição precoce ao leite de vaca (antes de 4 meses) aumenta em 50% os riscos de aparecimente do diabetes
- do ponto de vista nutricional é extremamente benéfico o aleitamento exclusivo
 - incluir outros alimentos possibilita que sejam menos nutritivos e que interfiram na biodisponibilidade de nutrientes-chave do leite materno, como ferro e zinco
- outro ponto importante é a amenorreia pós-parto
 - que depende da frequência e duração das mamadas
- diminui os custos da familia, dos sistemas de saúde e da sociedade em geral
 - menos gastos com leite artificial e mamadeiras
 - redução de episódios de doenças nas crianças
 - redução das faltas no trabalho pelos pais
- além disso, a amamentação melhora o desenvolvimento mandibular
 - fortalece a musculatura do queixo	
 - amolda o palato duro em forma de U
 - alinha os dentes corretamente
 - previne a ocorrência de alterações na deglutição (por envolver a língua no processo)
 - adequação no cresimento de estruturas e desenvolvimento de funções envolvidas na fala
 - influencia a respiração nasal
 - melhorando, assim, o sono, a disposição, o humor da criança e a prevenção contra doenças respiratórias
- Conhecer as alterações patológicas das mamas relacionadas à amamentação
- cerca de 2-3 dias após o parto, há a “apojadura” que é a descida efetiva do leite materno
- esse evento causa aumento do tamanho e temperatura das mamas
 - o que geralmente ocasiona dor e sensibilidade nas mamas
- o ingurgitamento das mamas resulta da limitação da frequência e duração das mamadas
 - pode ocorrer também em casos de problemas com a pega 
 - ocorre a hiperdistensão de alvéolos pelo leite que pode resultar até em ruptura das células secretoras
 - as mamas apresentam-se avermelhadas, dolorosas, edemaciadas e duras
 - mãe

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.