A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
A Entrevista Psicológica

Pré-visualização | Página 1 de 1

 A entrevista psicológica é entendida como aquela na 
qual se buscam objetivos psicológicos (investigação, 
diagnóstico, entre outros). 
 
 A entrevista psicológica é o instrumento de trabalho 
não somente para o psicólogo, como também para 
outros profissionais: psiquiatra, assistente social, 
sociólogo, enfermeiro, profissional de recursos 
humanos etc. (Bleger,1989) 
 
 É uma conversação dirigida a um propósito definido de 
avaliação. 
 
 · Função básica 
 
 Prover o avaliador de subsídios técnicos acerca da 
conduta do candidato, completando os dados obtidos 
pelos demais instrumentos utilizados. 
 
 Entrevista = procedimento técnico para atender a 
uma consulta; 
 
 Anamnese = do grego Ana= remontar 
 mnesis= memória - evocação 
voluntária do passado; 
 
 A entrevista é um instrumento fundamental do 
método clínico e é uma técnica de investigação 
científica em psicologia: tem procedimentos e 
regras. 
 
 Deve ser planejada e sistematizada para não correr o 
risco de ser ineficaz e ineficiente, por isso devemos 
reforçar alguns cuidados básicos do trabalho com o 
seu instrumental 
 A entrevista psicológica varia de acordo com sua 
finalidade: 
 Clínica 
 Encaminhamento (triagem) 
 Seleção de pessoal 
 Psicodiagnóstico 
 Pesquisa 
 Hospitalar e etc. 
 
 Psicologia clínica: é um conjunto informal de 
primeiros encontros entre o cliente e o profissional que 
é orientada conforme a abordagem clínica deste. 
 Procedimentos que irão permitir a orientação 
posterior que o psicólogo vai dar para o atendimento 
clínico. 
 A função das técnicas utilizadas nestes momentos 
iniciais visa ainda fortalecer um vínculo de 
confiança entre ambos, bem como buscar um 
contrato psicoterapêutico onde os objetivos do 
atendimento estejam claros. 
 
 Encaminhamento (triagem): utilizada para o 
conhecimento dos pontos principais do caso com 
intuito de efetuar um encaminhamento. 
 
 Seleção de Pessoal : Possibilita o contato direto com 
o candidato, identificação de sua capacitação para 
exercer o cargo. 
 
 Seu objetivo é selecionar a pessoa que atende melhor 
às exigências para o cargo. 
 
 
 Psicodiagnóstico: 
 Conjunto de técnicas de investigação, de tempo 
delimitado, dirigido por um entrevistador treinado, 
que utiliza conhecimentos psicológicos, em uma 
relação profissional, com o objetivo de descrever e 
avaliar aspectos pessoais, relacionais ou sistêmicos, em 
um processo que visa a fazer recomendações, 
encaminhamentos ou propor algum tipo de 
intervenção em beneficio da pessoa entrevistada. 
(Cunha,2003, cap. 5). 
 
 Pesquisa: 
 É um tipo de comunicação entre um pesquisador que 
pretende colher informações sobre fenômenos e 
indivíduos que detenham essas informações e possam 
emiti-las. 
 
 As informações colhidas são indicadores de variáveis 
que se pretende estudar. 
 Possuem objetivos bem definidos e estratégia de 
trabalho 
 Hospitalar: Roteiro de avaliação psicológica que visa 
apresentar os dados do paciente de forma objetiva ao 
psicólogo e à equipe de saúde. 
 
 Objetivo facilitar a leitura da condição de relação da pessoa 
com sua doença e internação. 
 
 Função terapêutica - possibilita ao paciente a verbalização, 
manifestação, reflexão e confrontamento com seu estado, 
diante da internação e tratamento, podendo favorecer 
melhor elaboração e adaptação à condição de “ser” ou 
“estar” doente. 
 A entrevista pode possuir três tipos fundamentais: 
 estruturada, não- estruturada ou mista. 
 
 Fechada ou Estruturada ou Diretiva ou 
Sistemática. 
 
 É aquela onde você já tem uma série de informações 
pré-estabelecidas. Quando você está trabalhando de 
uma forma mais objetiva usa esse tipo de entrevista. 
Aqui você dirige e controla, portanto é controlada. 
 
 
 Aberta ou Não-diretiva ou não-estruturada ou 
não-sistemática. 
 
 O entrevistado escolhe por onde vai começar a falar. 
perguntas são de caráter geral. A não diretividade 
encoraja o sujeito a se expressar do modo que desejar 
 os comentários do entrevistado são o material que o 
entrevistador usa para avaliar a sua opinião e sua 
atitude em relação a alguma coisa. 
 
 Apesar de não ter uma ordenação rígida, há um 
objetivo específico a ser atingido. Ela está limitada aos 
fins que se pretende atingir. 
 
 O entrevistador intervém, no sentido de reconduzir o 
sujeito ao assunto de interesse. 
 
 Entrevista Mista ou Semi-diretiva ou Semi-
estruturada. 
 
 Pode acontecer que muitos dados deixam de ser falados na 
entrevista aberta, então o entrevistador deve esclarecê-los 
através da investigação mais sistemática. 
 
 Assim, na entrevista mista a entrevista estruturada segue-
se à não estruturada com o objetivo melhorar a qualidade e 
a quantidade das informações colhidas. 
 
 É freqüentemente usada no psicodiagnóstico. 
 
 
 Condições para aplicação da entrevista 
psicológica 
 
 Ambiente = o local da entrevista. 
 
 Rapport = o grau de empatia. 
 
 
 O Enquadramento 
 
 Para obter o campo particular de entrevista devemos ter um enquadramento 
rígido, onde possamos transformar determinadas variáveis em constantes. 
 O enquadramento funciona como uma espécie de padronização da situação 
estímulo que oferecemos ao entrevistador. 
 
 O enquadramento é uma forma de se manter constante determinadas variáveis: 
 · Objetivo 
 · Lugar 
 · Tempo 
 · Honorários 
 · Papel 
 · Contrato 
 
 O papel do entrevistador 
 
 O objetivo de trabalho do psicólogo é outro ser 
humano, portanto, ele precisa reconhecer que: 
 
 · Deve ter consciência de que vai ser depositário dos 
problemas íntimos do paciente mediante as sucessivas 
entrevistas ou através dos instrumentos que planeja usar. 
Para suportar essa sobrecarga afetiva, diariamente, precisa 
ter recursos de personalidade e aprender a elaborar as 
emoções que surgem ao longo deste processo; 
 
 
 · Estar presente para o outro e poder ouvi-lo sem a 
interferência de questões pessoais; 
 · Ajudar o entrevistado a se sentir à vontade e a 
desenvolver uma aliança de trabalho; 
 · Facilitar a expressão dos motivos que levaram a 
pessoa a ser encaminhada; 
 · Buscar esclarecimento para colocações vagas ou 
incompletas; 
 · Gentilmente confrontar esquivas e contradições; 
 
 Tolerar a ansiedade relacionada aos temas evocados na 
entrevista; 
 · Reconhecer defesas e modos de estruturação do 
paciente, especialmente quando elas atuam na relação 
com o entrevistador; 
 · Compreender os seus processos transferenciais; 
 · Assumir iniciativa em momentos de impasse; 
 · Dominar as técnicas que utiliza dá e comunica 
segurança ao entrevistador.