A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
POLITICAS PUBLICAS - CONTEUDO ONLINE

Pré-visualização | Página 4 de 9

de formação, ao contrário do nível que ministrava. 
 
Sugerimos que você assista ao filme “O que é isso, companheiro? ”, dirigido por Bruno Barreto e lançado no Brasil em 
1997. O filme é baseado no livro homônimo escrito por Fernando Gabeira. Trata da história de um grupo de estudantes 
que se incorporaram ao MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro), cujo maior êxito foi o de ter elaborado e 
executado o sequestro do embaixador dos Estados Unidos no Brasil. A finalidade da ação era de usar tal diplomata como 
moeda de troca para a liberação de diversos presos políticos que foram exilados. 
 
 
AULA 5: A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA NA TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA: A CARTA DE 1988 
 
O objetivo dessa aula é o de debater o processo de elaboração da atual Constituição, levando em conta a conjuntura 
político-econômica da época, ao mesmo tempo em que busca identificar os interesses nacionais envolvidos durante o 
processo. Vamos apresentar o momento histórico em que a Constituição de 1988 foi elaborada e promulgada, e debater 
os principais aspectos educacionais definidos pelo texto constitucional. No vídeo acima, você vê o momento em que a 
Constituição foi promulgada, pelas mãos de Ulisses Guimarães. 
 
VISÃO GERAL DA CONSTITUIÇÃO DE 1988 
 Estrutura da Carta: O texto constitucional que vigora nos dias de hoje, foi aprovado em 5 de outubro de 1988 e 
está organizado em 9 títulos, subdivididos em capítulos que por sua vez se desdobram em seções e subseções 
quando se faz necessário. Os artigos têm numeração sequencial. 
 Contexto histórico: Foi elaborada em um momento político bem característico, pois correspondia a uma grande 
mobilização popular que, diante do fim de um longo período ditatorial, exigia efetivas transformações na 
sociedade. 
 Considerações Gerais: Em seu conteúdo apresentou alguns avanços nas áreas sociais e políticas, como a igualdade 
de direitos entre homens e mulheres, o voto do analfabeto, o voto aos 16 anos, o racismo tratado como crime, 
além de pôr fim a censura. O texto constitucional estabeleceu ainda, alguns dispositivos que defendem o cidadão 
qdo seus direitos são negados, especialmente os dispositivos contra a arbitrariedade do Estado. Vem daí o fato 
dela ser conhecida por muitos políticos e festejada pela imprensa como a constituição cidadã. 
 
Direitos Conquistados: 
 Habeas-corpus: Assegura reparação ou prevenção do direito de ir e vir, constrangido por ilegalidade ou por abuso 
de poder (as ditaduras, assim que instaladas, haviam suspendido esse instrumento com o propósito de realizar 
prisões ilegais); 
 Habeas-data: garante ao cidadão o acesso as informações a seu respeito constantes no registo do banco de dados 
de qualquer entidade governamental; 
 Mandado de segurança: protege o cidadão qdo seus direitos estão prestes a ser desrespeitados por uma instituição. 
Agora, existe também o mandado de segurança coletivo, isto é, impetrado por sindicados e associações da 
sociedade civil; 
 Mandado de injunção: assegura o exercício de um direito garantido pela contribuição; 
 Ação popular: tem como objetivo anular ato lesivo ao patrimônio público e punir seus responsáveis 
 
A Educação no texto constitucional: O tema educacional na constituição é apresentado no Título VIII que trata da Ordem 
Social, em seu Capítulo III, intitulado: Da Educação, da Cultura e do Desporto, especificado na Seção I, chamada Da 
Educação, que se dispõe em 10 artigos, entre o 205 e 214. 
 
 
O papel de cada esfera: A União, estados, distrito federal e municípios devem proporcionar o acesso à cultura, á educação 
e à ciência, e que todas as esferas têm competência para legislar sobre educação, desde que respeitadas as diretrizes e 
bases fixadas em seu texto. Apresenta, ainda, como dos municípios, a prioridade quanto à responsabilidade de manter 
programas para os níveis pré-escolar e ensino fundamental (cabendo à União complementar recursos, em casos de 
dificuldades dos municípios). 
 
Art. 211 A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão em regime de colaboração seus sistemas de 
ensino (...). 
§ 2º - Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil. 
§ 3º - Os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio. 
§ 4º - Na organização de seus sistemas de ensino, os Estados e os Municípios definirão formas de colaboração, de modo a 
assegurar a universalização do ensino obrigatório. 
Outras considerações 
 
A Constituição de 1988 assegura ainda o direito à educação dos povos indígenas, garantindo que o ensino se realize em 
língua materna e na língua portuguesa. Permite, dessa maneira, a integração dos povos à sociedade brasileira, preservando 
sua cultura. 
 
Verbas públicas destinadas à educação: Quanto à aplicação das verbas públicas, a Constituição estabelece que cabe à 
União aplicar no mínimo 18%, enquanto que os municípios e estados devem investir no mínimo 25% cada. Podemos 
considerar essa vinculação dos recursos como um avanço, pois predetermina uma parcela do orçamento que deve ser 
aplicada em educação. 
Como vimos, a Carta de 1988 consagrou alguns direitos sociais, resultado de intensas lutas que animaram durante muitos 
anos a sociedade brasileira, algumas iniciadas ainda antes da Ditadura Militar. A questão é que, assim que o texto foi 
publicado, mobilizações de setores contrários aos direitos aprovados começaram a se fazer notar, e buscavam caminhos 
para o retrocesso, seguindo premissas neoliberais. Esse tema vamos abordar com detalhes nas aulas seguintes. 
 
 
AULA 6: O SIGNIFICADO DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 
 
O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi o resultado de um longo debate travado na sociedade brasileira, que se 
iniciou em 1979 com a elaboração do Código de Menores, e que ganhou um novo impulso com a promulgação da atual 
constituição brasileira (CF/1988). Esse debate envolveu diferentes setores da sociedade, sob a forma de movimentos 
populares, incluindo-se as Organizações Não Governamentais (ONGs) e representantes dos Três Poderes da República. 
No plano internacional, a assinatura da Convenção Internacional dos Direitos da Criança das Organizações das Nações 
Unidas (1989) acelerou decisivamente a transformação das políticas públicas voltadas para crianças e jovens. 
Lugar de criança é na escola: 
O Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8069/90) é o 
dispositivo legal que estabelece os direitos e deveres da 
criança e do adolescente no Brasil. Apresenta os direitos 
relacionados a educação, a saúde, a vida familiar e a vida em 
sociedade, além de também dispor sobre os deveres. 
 ESTRUTURA: O texto do estatuto compõe-se de 267 
artigos e está organizado em duas partes: geral e 
especial, que por sua vez dividem-se em títulos, 
subdivididos em capítulos e esses em seções 
 TÍTULOS: 1. Diretrizes Fundamentais – 2. Prevenção – 
3. Política de atendimento – 4.Medidas de Proteção – 
5.Pratica do Ato infracional – 6. Medidas Pertinentes 
aos Pais e Responsáveis – 7. Conselho Tutelar – 8. 
Acesso à Justiça – 9. Crimes e Infrações 
Administrativas. 
 A lei 8069/90 é considerada um dos modelos legais mais avançados do mundo, tanto em termos políticos 
quanto jurídicos. O texto da lei evidencia o compromisso do Estado e da sociedade civil de garantir o 
atendimento dos direitos das crianças e dos jovens. 
 
O Estatuto e a Educação: O tema da Educação é tratado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente como um direito de 
todos e um dever do Estado. Apresenta-se sob a forma de sete artigos (do artigo 53 ao 59), em que estão estabelecidos os 
objetivos da educação, além de estarem especificados os papéis do Estado quanto aos deveres, a responsabilidade da 
família, as competências dos gestores escolares, o respeito aos valores culturais, artísticos e históricos da comunidade a