A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
81 pág.
Logística - Textos II

Pré-visualização | Página 4 de 43

nas	
  organizações	
  como	
  fonte	
  de	
  apoio	
  na	
  busca	
  de	
  economias	
  como	
  uma	
  
compensação	
  motivada	
  pelo	
  impacto	
  da	
  economia	
  mundial,	
  cada	
  vez	
  mais	
  presente.	
  
Toda	
   área	
   de	
   compras,	
   em	
   qualquer	
   organização,	
   procura	
   sempre	
   resposta	
   para	
   três	
  
questões	
  importantes	
  e	
  estratégicas:	
  
• Qual	
  o	
  processo	
  que	
  deverá	
  ser	
  adotado	
  para	
  escolha	
  do	
  melhor	
  fornecedor?	
  
• Como	
   negociar	
   um	
   excelente	
   "pacote"	
   envolvendo	
   melhor	
   preço,	
   melhores	
  
condições	
  de	
  fornecimento,	
  otimização	
  na	
  engenharia	
  tributária	
  etc.?	
  
• Como	
   adotar	
   um	
   processo	
   que	
   vise	
   a	
   manter	
   um	
   relacionamento	
   eficiente	
   e	
  
duradouro	
  com	
  os	
  fornecedores	
  através	
  do	
  monitoramento	
  da	
  performance	
  de	
  cada	
  
fornecedor	
  em	
  particular?	
  
Muitas	
  das	
  dificuldades	
  encontradas	
  estão	
  relacionadas	
  a	
  fatores	
  como:	
  
• distribuição	
  geográfica	
  dos	
  fornecedores;	
  
• descentralização	
  dos	
  processos	
  de	
  compras;	
  
• excesso	
  de	
  burocracia	
  nos	
  processos	
  que	
  são	
  formalizados	
  em	
  um	
  razoável	
  volume	
  
de	
  documentos;	
  
• sistemas	
  internos	
  fragmentados;	
  
• falta	
   de	
   um	
   processo	
   bem	
   estruturado	
   para	
   a	
   seleção	
   e	
   avaliação	
   do	
   leque	
   de	
  
fornecedores	
  segmentado	
  por	
  tipo	
  de	
  bem	
  e	
  serviço	
  adquirido	
  pela	
  empresa;	
  
• desconhecimento	
  dos	
  custos	
  de	
  seus	
  processos.	
  
	
  
Os	
  objetivos	
  da	
  estruturação	
  dessa	
  estratégia	
  têm	
  por	
  finalidade:	
  
1. Aumentar	
   o	
   nível	
   de	
   serviços	
   para	
   os	
   compradores,	
   fornecedores	
   e	
   usuários	
  
envolvidos.	
  
2. Desenvolver	
  uma	
  maior	
  integração	
  entre	
  os	
  parceiros.	
  
3. Minimizar	
   os	
   custos	
   de	
   transação	
   associados	
   com	
   a	
   procura	
   de	
   bens	
   e	
   serviços	
  
através	
  da	
  simplificação	
  e	
  automação	
  de	
  processos	
  
4. Promover	
  a	
  competição	
  entre	
  os	
  fornecedores	
  mantendo	
  porém	
  uma	
  confiabilidade	
  
nas	
  fontes	
  de	
  suprimentos.	
  
5. Tornar	
   efetivo	
   o	
   uso	
   dos	
   recursos	
   humanos	
   no	
   processo	
   de	
   compra	
   de	
   bens	
   e	
  
serviços	
  
	
  
Em	
  linhas	
  gerais	
  o	
  processo	
  se	
  desenvolve	
  seguindo	
  uma	
  rotina	
  preestabelecida	
  que	
  pode	
  
ser	
   realizada	
   através	
   do	
   suporte	
   da	
   tecnologia	
   da	
   informação	
   e	
   mais	
   especificamente	
  
mediante	
  intenso	
  uso	
  dos	
  denominados	
  sistemas	
  integrados	
  de	
  gestão	
  (ERP).	
  
O	
   processo	
   tem	
   início	
   com	
   a	
   denominada	
   requisição	
   de	
   compras,	
   que	
   reflete	
   as	
  
necessidades	
  de	
   reposição	
  de	
  materiais	
  de	
  uso	
  comum	
  para	
  a	
  operação	
  da	
  empresa	
  ou	
  a	
  
compra	
   de	
   item	
   de	
   uso	
   específico.	
   Essa	
   requisição	
   necessita	
   de	
   uma	
   aprovação	
   prévia	
  
segundo	
  as	
  normas	
  da	
  empresa,	
  segundo	
  uma	
  hierarquia	
  de	
  autorizações	
  e	
  segue	
  para	
  os	
  
órgãos	
  de	
  compras	
  para	
  os	
  procedimentos	
  subseqüentes.	
  As	
  cotações	
  são	
  então	
  analisadas	
  
pelos	
   responsáveis	
   que	
   após	
   escolha	
   da	
   melhor	
   opção	
   definem	
   conseqüentemente	
   o	
  
fornecedor	
  que	
  deverá	
  ser	
  contratado.	
  Definido	
  o	
  fornecedor	
  é	
  então	
  emitido	
  o	
  contrato	
  de	
  
fornecimento	
   e	
   a	
   partir	
   desse,	
   desenvolvem-­‐se	
   as	
   atividades	
   decorrentes,	
   fabricação,	
  
expedição,	
  despacho	
  do	
  material	
  para	
  o	
  cliente.	
  
	
  
Num	
  contexto	
  de	
  comercio	
  eletrônico,	
   surgiu	
  o	
  denominado	
  e-­‐procurement	
  que	
  pode	
  ser	
  
entendido	
  como	
  um	
  processo	
  de	
  negócio	
  entre	
  empresas	
  onde	
  compradores	
  e	
  vendedores	
  
se	
  "encontram"	
  para	
  efetuar	
  transações	
  comerciais.	
  
Esse	
   processo	
   funciona	
   através	
   da	
   Internet	
   em	
   muitos	
   casos	
   com	
   auxílio	
   de	
   um	
  
intermediário	
   que	
   faz	
   a	
   gestão	
   do	
   fluxo	
   entre	
   a	
   empresa	
   compradora	
   e	
   os	
   fornecedores.	
  
Esses	
   intermediários,	
   também	
   denominados	
   de	
   "informediários"	
   são	
   responsáveis	
   pela	
  
busca	
   de	
   cotações	
   junto	
   a	
   fornecedores,	
   em	
   vez	
   de	
   a	
   empresa	
   ficar	
   procurando	
  
fornecedores	
   ou	
   fazendo	
   cotações,	
   o	
   informediário	
   se	
   encarrega	
   desse	
   procedimento	
  
fazendo	
  o	
  respectivo	
  pedido	
  de	
  compra.	
  
Esse	
   processo	
   leva	
   à	
   redução	
   de	
   toda	
   a	
   burocracia,	
   evitando-­‐se	
   a	
   troca	
   de	
   informações	
  
através	
  de	
  métodos	
  tradicionais	
  como	
  fax,	
  correspondência	
  via	
  correios	
  e	
  negociações	
  por	
  
telefone.	
  Com	
  o	
  e-­‐procurement	
  as	
  empresas	
  encontram	
  uma	
  maneira	
  rápida	
  e	
  segura	
  para	
  
reduzir	
  custos,	
  agilizar	
  os	
  processos	
  de	
  compras	
  e	
  melhorar	
  a	
  eficiência	
  operacional.	
  	
  
	
  
	
  
	
  
Logística	
  Reversa	
  de	
  resíduos	
  não	
  industriais	
  pós	
  consumo	
  
	
  
Diversos	
  motivos	
  impulsionam	
  a	
  relevância	
  da	
  logística	
  reversa,	
  tais	
  como	
  a	
  redução	
  do	
  ciclo	
  
de	
   vida	
   dos	
   produtos,	
   o	
   avanço	
   da	
   tecnologia	
   da	
   informação,	
   o	
   aumento	
   do	
   comércio	
  
eletrônico	
   e	
   a	
   conscientização	
   da	
   necessidade	
   de	
   um	
   desenvolvimento	
   sustentável,	
  
principalmente	
  relacionada	
  à	
  escassez	
  de	
  recursos	
  e	
  à	
  poluição	
  ambiental.	
  
Pode-­‐se	
   definir	
   a	
   logística	
   reversa	
  
como	
   “o	
   processo	
   de	
   planejamento,	
  
implementação	
   e	
   controle	
   da	
  
eficiência,	
   custo	
   efetivo	
   do	
   fluxo	
   de	
  
matérias-­‐primas,	
   estoques	
   em	
  
processo,	
   produtos	
   acabados	
   e	
  
informações	
  relacionadas	
  do	
  ponto	
  de	
  
consumo	
   ao	
   ponto	
   de	
   origem,	
   com	
  o	
  
propósito	
  de	
  recuperação	
  de	
  valor	
  ou	
  
disposição	
   adequada”.	
   Este	
   fluxo	
  
reverso	
  pode	
   ser	
   classificado	
  em	
  dois	
  
tipos:	
   de	
   bens	
   pós-­‐venda	
   e	
   de	
  
resíduos	
   pós	
   consumo,	
   ambos	
   com	
   o	
  
mesmo	
   objetivo	
   –	
   recuperação	
   de	
  
valor,	
   seja	
   econômico,	
   de	
   prestação	
  
de	
   serviços,	
   ecológico,	
   legal,	
   logístico	
  
ou	
  de	
  imagem	
  corporativa.	
  
Os	
  resíduos	
  pós-­‐consumo	
  podem	
  ter	
  origem	
  industrial	
  (com	
  leis	
  de	
  regulamentação	
  desde	
  
1975)	
   ou	
   doméstica	
   (com	
   legislação	
   recente).