A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Aprendizagem segundo Skinner

Pré-visualização | Página 7 de 11

os 
que necessitam de um processo especial para a sua assimilação. 
 
Buscando tornar mais clara a diferença dos dois tipos de conceitos, Vygotsky os 
diferencia pela sua forma de assimilação. Para ele: 
 
os conceitos se formam e se desenvolvem sob condições internas e 
externas totalmente diferentes, dependendo do fato de se originarem 
do aprendizado em sala de aula ou da experiência pessoal da 
criança. Mesmo os motivos que induzem a criança a formar os dois 
tipos de conceito não são os mesmos. A mente se defronta com 
problemas diferentes quando assimila os conceitos na escola e 
quando é entregue aos seus próprios recursos (VYGOTSKY, 1998, 
p. 108). 
 
Desse modo, os conceitos formados a partir da experimentação própria dos 
indivíduos foram denominados de conceitos espontâneos e aqueles surgidos após 
um trabalho formal de aprendizagem são os conceitos científicos. 
 
Por esta razão, os estudos deste autor partem da perspectiva de que o professor 
auxilia na formação dos conceitos científicos. Assim, para a internalização deste, 
deve-se promover o aprendizado de uma forma que permita uma maior 
 29 
experimentação, possibilitando ao aluno poder assimilar seus processos da forma 
mais natural possível. 
 
Para Vygotsky, a elaboração de métodos eficazes de ensino para crianças só é 
possível quando se entende o desenvolvimento da formação de conceitos 
científicos. Para isso, inicialmente é necessário saber que: 
 
um conceito é mais do que a soma de certas conexões associativas 
formadas pela memória, é mais do que um simples hábito mental; é 
um ato real e complexo de pensamento que não pode ser ensinado 
por meio de treinamento, só podendo ser realizado quando o próprio 
desenvolvimento mental da criança já tiver atingido o nível 
necessário (VYGOTSKY, 1998, p. 104). 
 
Assim, percebe-se que o mero treino de habilidades não traz para a criança grandes 
avanços em seu processo de aprendizagem. É necessário um trabalho que se 
preocupe com as condições reais de desenvolvimento da criança, focando naquilo 
que ainda não foi internalizado pelo sujeito. 
 
Fazendo uma crítica ao ensino tradicional, Vygotsky diz que o ensino que tenha 
como foco uma transmissão direta de conceitos é ineficiente. Para ele, o professor 
que baseie seu trabalho nessa passagem direta não conseguirá obter bons 
resultados, o máximo que irá conseguir são alunos que repetem o que foi aprendido 
sem que haja uma internalização do conceito utilizado, o que acaba por ser um 
aprendizado totalmente vazio e sem significado para a vida do sujeito (VYGOTSKY, 
1998). 
Outra preocupação bastante presente nos escritos de Vygotsky está na valorização 
dos anos escolares. Isso se deve ao fato de considerar este período da vida como 
ideal para formação de conceitos, promovendo uma maior facilidade para apreender 
as operações que exigem consciência e controle deliberado. Essas operações são 
responsáveis pela facilitação do desenvolvimento das funções psicológicas 
superiores. Uma justificativa dada para essa facilidade se deve ao fato da criança, 
em idade escolar, já estar apropriada da linguagem, possuindo uma introspecção 
verbalizada que permite uma percepção mais adequada dos seus próprios 
processos psíquicos (VYGOTSKY, 1991). 
 
 30 
Vale ressaltar que a criança invade o universo escolar com formação de vários 
conceitos espontâneos e são estes os principais alicerces para os conceitos 
científicos, pois 
Nos conceitos científicos que a criança adquire na escola, a relação 
com o objeto é mediada, desde o início, por algum outro conceito. 
Assim, a própria noção de conceito científico implica uma certa 
posição em relação a outros conceitos, isto é, um lugar dentro de um 
sistema de conceitos (VYGOTSKY, 1998, p. 116). 
 
O auxílio do adulto é algo que, nos vários estudos de Vygostky, evidencia a sua 
importância para a formação de conceitos. Para ele, a intervenção de um sujeito 
mais experiente conduz os aprendizes a um lugar mais privilegiado de 
aprendizagem, pois a interação com este permite o contato antecipado com a 
resolução de problemas. Também, é só através da interação do adulto que se pode 
identificar a zona de desenvolvimento proximal de um sujeito. 
 
No que se refere à sala de aula, o trabalho pedagógico conduz o aluno a encontrar 
soluções eficazes para os problemas propostos. Desse modo, o professor, ao indicar 
as respostas ao aluno, colabora e muito na formação de conceitos por parte dos 
alunos. Assim, o material desenvolvido pelo professor deve promover uma ampla 
gama de recursos que permita ao estudante entrar em contato com os problemas, 
suas possíveis soluções e formas de praticá-las, podendo assim, formar conceitos 
científicos (VYGOTSKY, 1991). 
 
Percebe-se, assim, que os estudos desenvolvidos por Vygotsky reconhecem a 
importância do desenvolvimento para a aprendizagem e que a sua relação com este 
é de interdependência, isto é, a aprendizagem necessita de certo grau de maturação 
do desenvolvimento, ao mesmo tempo em que impele este para o seu avanço. 
 
Outra conclusão tirada através do estudo do trabalho de Vygotsky se refere à 
relevância atribuída a relações sociais no processo de formação dos sujeitos. Como 
foi visto, este autor garante que “o caminho do objeto até a criança e desta até o 
objeto passa através de outra pessoa” (VYGOTSKY, 2007, p. 20). 
 
 31 
4 METODOLOGIA 
 
 
4.1 DELINEAMENTO DE ESTUDO 
 
 
A pesquisa teve como delineamento de estudo a pesquisa exploratória do tipo 
bibliográfica. Segundo Gil (2002), estas pesquisas proporcionam um maior 
aprofundamento do problema, tendo com principal objetivo o aprimoramento teórico. 
Assim, percebe-se que esse delineamento se mostra mais adequado para pesquisas 
que visam uma descrição dos principais conceitos e postulados de uma teoria, o que 
se adéqua a esse trabalho. 
 
É possível corroborar a definição deste trabalho enquanto uma pesquisa 
bibliográfica na afirmação de Gil (2002) de que a base do trabalho da pesquisa 
bibliográfica são materiais teóricos postulados por outros autores. Neste caso, estão 
as teorias de Skinner e Vygotsky nos aspectos relacionados à aprendizagem e o 
papel do professor no processo de educação. 
 
Contudo, sabe-se que são inúmeras e densas as obras desses autores e este 
trabalho, enquanto um trabalho de conclusão de curso, não daria conta de apontar, 
esclarecer e aprofundar todas as relações existentes na obra de Skinner e Vygotsky. 
Isto acaba por enquadrar, ainda mais, este trabalho a uma pesquisa exploratória. De 
acordo com Oliveira (2007), as pesquisas deste tipo têm um caráter iniciador. Assim, 
dão explicações gerais sobre um problema, só sendo mais bem esclarecido em uma 
pesquisa mais profunda sobre o tema. 
 
 
4.2 COLETA DE DADOS 
 
 
Após a delimitação do tema, foi feito um levantamento sobre as principais obras 
escritas por Skinner e Vygotsky. Em seguida, foram selecionadas as obras dos 
 32 
autores que versavam sobre o tema da aprendizagem. Foram feitos fichamentos das 
obras lidas a fim de facilitar a escrita e o encontro de pontos de relação das teorias. 
A coleta do material foi feita no início da pesquisa, em maio de 2009. 
 
Percebe-se que este trabalho seguiu as quatro etapas propostas por Medeiros 
(1996) para a pesquisa bibliográfica. A primeira é a identificação, na qual, é feito um 
levantamento da bibliografia sobre o assunto. Em seguida, a etapa de localização, 
que consiste em localizar o material a ser utilizado. A compilação é terceira etapa, é 
a fase de obtenção e reunião do material desejado. Por fim, o fichamento , que é a 
transcrição dos dados essenciais obtidos