A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
Apostila FDDJ - DS9 - 1 semestre 2013

Pré-visualização | Página 12 de 12

os artigos 45 e 46 da Lei 8.212/91.
Dessa forma, aplica-se o artigo 174 do Código Tributário Nacional para a decadência.
Art. 174. O direito de a Fazenda Pública constituir o crédito tributário extingue-se após 
5 (cinco) anos, contados:
I - do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido 
efetuado;
II - da data em que se tornar definitiva a decisão que houver anulado, por vício formal, 
o lançamento anteriormente efetuado.
Parágrafo único. O direito a que se refere este artigo extingue-se definitivamente com 
o decurso do prazo nele previsto, contado da data em que tenha sido iniciada a 
constituição do crédito tributário
pela notificação, ao sujeito passivo, de qualquer medida preparatória indispensável ao 
lançamento.
A prescrição é a perda da exigibilidade do crédito da Seguridade pelo decurso do 
prazo previsto em lei. Aplica-se o artigo 173 do CTN.
40
Art. 173. A ação para a cobrança do crédito tributário prescreve em cinco anos, 
contados da data da sua constituição definitiva.
Parágrafo único. A prescrição se interrompe:
I – pelo despacho do juiz que ordenar a citação em execução fiscal; (Redação dada 
pela LC nº 118, de 2005)
II - pelo protesto judicial;
III - por qualquer ato judicial que constitua em mora o devedor;
IV - por qualquer ato inequívoco ainda que extrajudicial, que importe em 
reconhecimento
do débito pelo devedor.
Prescrição e decadência aplicada aos benefícios da previdência social - Em face 
da natureza alimentar do benefício previdenciário, tem-se, em regra, que os mesmos 
são imprescritíveis, uma vez que se inserem no patrimônio jurídico de seu titular, 
tornando-se indisponível. Ocorre, porém, que as parcelas vencidas anteriores aos 
cinco anos de sua postulação serão alcançadas pela prescrição, em razão da inércia 
de seu titular, ressalvado o direito dos menores, ausentes e incapazes.
O artigo 103 da Lei nº 8.213/91 previa em sua redação original o prazo prescricional 
de dez anos: 
 “Art. 103. É de dez anos o prazo de decadência de todo e qualquer direito ou ação do 
segurado ou beneficiário para a revisão do ato de concessão de benefício, a contar do 
dia primeiro do mês seguinte ao do recebimento da primeira prestação ou, quando for 
o caso, do dia em que tomar conhecimento da decisão indeferitória definitiva no 
âmbito administrativo. 
Parágrafo único. Prescreve em cinco anos, a contar da data em que deveriam ter sido 
pagas, toda e qualquer ação para haver prestações vencidas ou quaisquer restituições 
ou diferenças devidas pela Previdência Social, salvo o direito dos menores, incapazes 
e ausentes, na forma do Código Civil. 
Recursos Administrativos - Das decisões do Instituto Nacional do Seguro Social nos 
processos de interesse dos beneficiários, caberá recurso para o Conselho de 
Recursos da Previdência Social (CRPS), e nos processos de interesse dos 
contribuintes da seguridade social, caberá recurso para o Conselho de Contribuintes 
do Ministério da Fazenda. É de trinta dias o prazo para interposição de recursos e para 
o oferecimento de contrarrazões, contados da ciência da decisão e da interposição do 
recurso, respectivamente.
41
Em se tratando de processo que tenha por objeto a discussão de crédito 
previdenciário, o recurso somente terá seguimento se o recorrente pessoa jurídica ou 
sócio desta instruí-lo com prova de depósito, de valor correspondente a trinta por 
cento da exigência fiscal definida na decisão. Sendo o recorrente for pessoa física, 
independe de garantia de instância, facultada a realização de depósito.
A propositura, pelo beneficiário ou contribuinte, de ação que tenha por objeto idêntico 
pedido sobre o qual versa o processo administrativo importa renúncia ao direito de 
recorrer na esfera administrativa e desistência do recurso interposto.
Os recursos tempestivos contra decisões das Juntas de Recursos do Conselho de 
Recursos da Previdência Social têm efeito suspensivo e devolutivo.
	Receitas de outras fontes – Constituem outras receitas da seguridade social: