Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
resumo anatomia vegetal

Pré-visualização | Página 1 de 10

ESTRUTURA E FUNÇÃO DO CORPO VEGETAL 
 
Órgãos vegetais -> raiz, caule e folha -> caule + folhas = ramo (uma unidade morfológica e funcional) 
Embrião cresce e forma uma plântula, quando chega a maturidade entra no estágio reprodutivo 
formando inflorescência e flores -> a flor = um conjunto de órgãos homólogos aos ramos. 
Partes florais -> os férteis ( estames e carpelos) e os estéreis ( sépalas e pétalas)-> homólogas as folhas. 
 
Organização de um corpo vegetal 
Tecidos simples ->parênquima, colênquima e esclerênquima 
Tecidos complexos ->epiderme, periderme, xilema e floema 
 
O corpo de uma planta vascular é composto por três sistemas de tecidos: 
O sistema de revestimento -> epiderme e periderme 
O sistema vascular 
 - xilema -> condutor de água 
 - floema -> condutor de alimento e sistema fundamental 
 
O sistema fundamental -> todos os tecidos simples 
 - Parênquima- células vivas, capazes de crescimento e divisão 
 -Colênquima- células vivas com paredes espessas e sem lignina 
 - Esclerênquima- células mortas na maturidades->lignificadas -> fibras 
 
Estruturalmente, raiz, caule e folha diferem primariamente na distribuição relativa dos tecidos vascular 
e fundamental. 
 
DESENVOLVIMENTO DO CORPO VEGETAL 
 
EMBRIOGENESE : Padrão apical-basal – eixo principal 
 Padrão radial – arranjo concêntrico dos sistemas de tecidos; 
 
 
ZIGOTO-> EMBRIÃO-> POLARIDADE(polo superior e polo inferior)-> MERISTEMAS EMBRIONÁRIOS-
>ORGÃOS E TECIDOS->CORPO PRIMÁRIO-> CRESCIMENTO SECUNDÁRIO 
 
A germinação implica grande absorção de água e ruptura do tegumento da semente, permitindo assim 
o crescimento da plântula, representada por uma radícula, um caulículo e uma gêmula, que originarão, 
respectivamente, a raiz, o caule e as folhas. 
 
 
Luana P. de Souza – Biologia UFRGS – 2015/01 
CÉLULA VEGETAL 
 
-PAREDE CELULAR 
-CONTEÚDO VACUOLAR: vacúolos, plastídios e subst. Ergásticas 
 
PAREDE CELULAR 
Envolve externamente a membrana plasmática e o conteúdo celular. 
Células sem parede são raras – ex. endosperma de algumas monocotiledôneas, 
parte da oosfera e célula-média. 
 
 Matriz (contendo polissacarídeos não celulósicos) 
• Hemicelulose 
• Pectinas 
• Proteínas 
• Compostos fenólicos 
 
Estrutura ->Microfibrilas de Celulose -> função : força tensora e rigidez 
 
Pectinas: 
→São polissacarídeos. – Contém açúcares ácidos como o ácido galacturônico e açúcares neutros como 
Ramnose, Galactose e Arabinose. → Hidrofílica – matriz hidratada tridimensional → Encontrada na 
parede primária (raramente na secundária – menores proporções) → 
co-extensivo com a matriz celulose-hemicelulose. → São multifuncionais → Componente principal da 
lamela mediana entre as células vegetais – ADESÃO CELULAR. → 3 componentes principais: 
homogalacturonano (ácido poligalacturônico),ramnogalacturonanoI e ramnogalacturonano-II 
•Homogalacturonano- componente principal de pectinas na parede primárias. Envolvida em calcio. 
Formação de Gel e adesão celular 
•Ramnogalacturonano - governa a regulação de polissacarídeos 
•Ramnogalacturonano II – conserva estruturalmente polissacarideos em todas as celulas primárias 
 
 A macromolecula da pectina se ramifica atraves da matriz da parece celular 
 
Hemicelulose: 
São polímeros (série de glucanos e xilanos com cadeias laterais curtas) que interligam as microfibrilas de 
celulose. Em certas regiões da hemicelulose são formadas pontes de hidrogênio com a superfície das 
microfibrilas; em outras se forma ligações entre microfibrilas. 
Xiloglicanos : compõem a maioria das hemiceluloses das dicotiledôneas, com baixos níveis de 
arabinoxilanos. 
Arabinoxilanos: dominam nas hemiceluloses de gramíneas e cereais, com baixos níveis de xiloglucanos. 
 
Xiloglicano - Ramo principal de β(1→4)glucano – com cadeias laterais simples de xilose ou Xil-Gal or Xil-Gal-Fuc 
- uma estrutura altamente organizada. 
 
Xilano - Ramo principal de β(1→4)xilano com resíduos simples de Ara ou GlcA. 
Função da matriz 
Espaçamento e ligação das microfibrilas, porosidade, 
propriedade mecânica e adesão celular 
Celulose: 
•Cadeias lineares de D-glicose unidas por ligações β (1→4) glucano = estrutura micelar. 
•Possui propriedades cristalinas = birrefringência. 
•microfibrilas são estabilizadas por pontes de hidrogênio, intra- e intermoleculares = exclusão da água e 
estado parcialmente cristalino. 
 
 PAREDE DAS CÉLULAS VEGETAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
Parede Primária 
-Presente em todascélulas 
-Parede pode expandir 
-Microfibrila de celulose 
-Matriz: Hemicelulose e pectinas 
-Resiste a forças de tensão, e previne o rompimento 
-Envolvida na adesão celular 
Parede Secundária 
-Apenas certas células. Ex. vasos do xilema e esclerênquima 
-Parede não pode expandir 
-Microfibrila de celulose 
-Matriz: Hemicelulose e ligninas 
-Resiste a forças de compressão, previne colapso celular 
-Não envolvida na adesão celuçar 
PAREDE PRIMARIA 
→ Presente em todas as células. → necessária para divisão e expansão celular → principal força mecanica a 
suportar força tensora → a presença da parede primaria resulta na presão do turgor e impede a explosão 
da célula. 
 
PAREDE SECUNDÁRIA 
→ Mais espessa que a parede primária → depositada na parte interna da parede primaria → principal 
propriedade mecanica de resistir a compressão e colapso celular → não pode se estender (depositada após 
completar o crescimento) → geralmente morrem na maturidade. 
 
Proteínas: 
 
•Estruturais - componentes da arquitetura da parede celular. 
•Enzimas - modificando os componentes da parede celular. 
 
Proteínas estruturais: 
•Glicoproteína rica em hidroxiprolina (HRGPs) → Freq. associada ao câmbio, parênquima do floema e 
 vários tipos de esclerênquima. 
•Proteína rica em proline (PRPs) 
•Proteína rica em glycine (GRPs) 
 
•Proteína arabinogalactano (AGPs) → relacionadas com o crescimento, nutrição e orientação do tubo 
polínico através do tecido estigmático, assim como em outros processos de desenvolvimento 
 
 São hidrosolúveis e altamente glicosiladas. 
 90% de sua massa são resíduos de açúcares (galactose e arabinose). 
 Múltiplas formas são encontradas nas paredes ou associada a membrana plasmática.
 Expressam padrões tecido - ou célula - específicos. 
 
Essas proteínas variam quanto a sua expressão dependendo do tipo celular, grau de maturação e estímulo 
externo. . 
 
 
Pigmentos → Antocianinas 
 
 
muitas vezes presente nos vasos do xilema e fibras - são mais 
características de paredes celulares diferenciadas. 
Pontoações e campo de pontoações primárias 
 
→Durante a formação da parede celular, em algumas das suas porções ocorre MENOR deposição de microfibrilas de 
celulose – formação de pequenas depressões = campos primários de pontoação. 
→ Em MET os campos primários de pontoação geralmente são visualizados como uma reunião de canalículos que 
atravessam as paredes primárias e a lamela média → os plasmodesmos.Os plasmodesmos podem também ocorrer 
de forma esparsa, SEM se reunirem em campos primários de pontoação. 
→ geralmente, onde está presente o campo primário de pontoação, nenhum material de parede secundária é 
depositado durante a formação da parede secundária, originando as PONTOAÇOES, que se formam sobre os 
campos de pontoação primários. 
 
Diferentes tipos de pontoação podem ser formados em consequência da deposição 
diferencial da parede secundária sobre a primária: 
 
• Pontoação SIMPLES – interrupção da parede secundária. 
• Pontoação AREOLADA – parede secundária se arqueia sobre a primária. 
• Pontoação SEMI-AREOLADA – um lado areolada e do outro simples 
 
A CÉLULA VEGETAL 
 
→ Parede celular 
→ Conteúdo
Página12345678910