A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
ARTIGO Pedagogia 2018

Pré-visualização | Página 1 de 4

15
 
A IMPORTANCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL
DA SILVA GARCIA, Jéssica1
765958
FREITAG DOS SANTOS, Neli Maria2
RESUMO
Este Artigo pretende ressaltar a importância do brincar no desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil. Destaca-se que a criança está em uma constante fase de crescimento, agindo, interagindo e transformando o mundo. A infância é grande aliada para que aprenda a brincar, pois é através do brincar que a criança desenvolve, constrói pensamentos e seu próprio jeito de ver o mundo, aprendendo a interagir e se socializar. Esse artigo tem como objetivo conhecer o real significado do brincar, conceituar o ato de brincar, compreender a ludicidade, onde a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, estabelece relações sociais, constrói conhecimentos, desenvolvendo-se integralmente, e também, os benefícios que o brincar proporciona no ensino e aprendizagem na educação infantil. Ainda esse estudo traz algumas considerações sobre os jogos, brinquedos e brincadeiras como influenciam na socialização das crianças. Portanto, para melhor elaboração desse artigo foi realizado pesquisas bibliográficas, leituras de livros, artigos e sites, bem como pesquisa de grandes autores referente a este tema. Desta forma, acredita-se que os objetivos foram alcançados, pois percebeu que é no ato de brincar que nos tornamos um ser humano melhor.
Palavras-chave: brincar, crianças, educação infantil.
1 INTRODUÇÃO
Este trabalho vai ao encontro de ressaltar a importância do Brincar como uma ferramenta importantíssima na comunicação das crianças, pois é através dele que ela reproduzir o seu cotidiano. O ato de brincar desenvolve a aprendizagem da criança, estimulando a socialização, a partilhar, cooperação, comunicação, a noção de respeito por si e pelo outro, bem como sua autoimagem e autoestima.
Maluf (2005, p.01) diz que as atividades lúdicas possibilitam que crianças e adolescentes desenvolvam capacidades físicas, verbais e intelectuais, tornando-se capazes de se comunicar e de se encontrar tanto seu “caminho” no mundo quanto a si mesmos.
É possível dizer que o lúdico é uma ferramenta pedagógica que os professores podem utilizar em sala de aula para enriquecer suas aulas. O lúdico é um método que contribui para que a criança se desenvolva, pois, é através do brincar que a criança descobre, inventa, aprende regras, experimenta, relaxa e desenvolve habilidades. Com esta pesquisa irá também reafirmar ao educador a respeito da importância do lúdico no processo de ensino-aprendizagem.
Através dos jogos lúdicos, do brinquedo e da brincadeira, a criança desenvolve a criatividade, a capacidade de tomar decisões e ajuda no desenvolvimento motor e cognitivo, dessa forma se faz necessário conscientizar os pais e sociedade em geral sobre a importância da ludicidade, que o brincar faz parte de uma aprendizagem prazerosa não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem que precisamos vivenciar na infância. 
Neste sentido, o objetivo central deste artigo é analisar a importância do brincar na Educação Infantil, pois, segundo os autores pesquisados, essa é uma fase importantíssima para a criança a respeito do seu desenvolvimento e aprendizagem.
2. A IMPORTANCIA DO BRINCAR
2.1 Brincar na Educação Infantil
O Brincar é divertir-se, recrear-se, entreter-se, distrair-se, ou seja, brincar é algo natural e muito presente nas nossas vidas, pois no verdadeiro brincar, acordam, despertam e vivem forças de fantasias que ajudam na formação e estruturação do pensamento da criança. 
	Dallabona e Mendes ressaltam em seu artigo O lúdico na educação infantil: jogar, brincar, uma forma de educar:
“O lúdico permite um desenvolvimento global e uma visão de mundo mais real. Por meio das descobertas e da criatividade, a criança pode se expressar, analisar, criticar e transformar a realidade. Se bem aplicada e compreendida, a educação lúdica poderá contribuir para melhoria do ensino, quer na qualificação ou formação crítica do educando, quer para valores e para melhorar o relacionamento das pessoas na sociedade” (DALLABONA, MENDES).
	
Assim o brincar acrescenta na percepção infantil, direcionando seu pensar de maneira cada vez mais equilibrada, favorecendo aprendizagem em seu crescimento, desenvolvendo também suas potencialidades, interagindo, enfrentando suas dificuldades tomando decisões nas situações de conflitos. 
Zanluchi (2005, p. 89) reafirma que “Quando brinca, a criança prepara-se a vida, pois é através de sua atividade lúdica que ela vai tendo contato com o mundo físico e social, bem como vai compreendendo como são e como funcionam as coisas. ”
Por causas econômicas as crianças estão ingressando cada vez mais cedo no ambiente escolar, tendo pouco conviveu com seus pais, fato que rouba uma boa parte da infância, as brincadeiras em família que também é essencial.
A criança é um adulto que ainda não cresceu. Ela tem características próprias e para se tornar um adulto, precisa percorrer todas as etapas de seu desenvolvimento físico, cognitivo, social e emocional. Seu primeiro apoio nesse desenvolvimento é a família, posteriormente, esse grupo se amplia com os colegas de brincadeiras e a escola. (FERREIRA, 2008).
O brincar é coisa séria não só para as crianças, pois é através das brincadeiras que ela absorve estímulos do mundo e constrói seu próprio pensamento. No entanto a maioria dos professores desconhece os verdadeiros benefícios da utilização das brincadeiras para o desenvolvimento dos alunos no ambiente escolar. 
As brincadeiras fazem parte da cultura da infância, porém está ficando cada dia mais distante da realidade. As escolas de educação infantil cobram muito dos seus alunos visando apenas à formação escolar e pais colocam cargas de responsabilidade sobre seus filhos, preparando para a vida adulta e o futuro mercado de trabalho, onde crianças se tornaram vítimas das transformações econômicas, sociais, tornando-se adultos em miniatura, perdendo sua infância.
A criança ao brincar, desenvolve-se, aceita regras e cumpre com prazer as situações propostas, como nos diz Vygotsky:
 ... a criação de uma situação imaginária não é algo fortuito na vida da criança; pelo contrário, é a primeira manifestação da emancipação da criança pré-escolar em relação as restrições situcionais. O primeiro paradoxo contido no brinquedo é que a criança opera com um significado alienado numa situação real. O segundo é que no brinquedo, a criança segue o caminho do menor esforço – ela faz o que mais gosta de fazer, porque o brinquedo está unindo o prazer e, ao mesmo tempo, ela aprende a seguir os caminhos mais difíceis, subordinando-se às regras e, por conseguinte, renunciando ao que ela quer, uma vez que a sujeição a regra e a renúncia à ação impulsiva constitui o caminho para o prazer no brinquedo. Enfim, no jogo ela age de maneira contrária à que gostaria de agir, o maior ato da criança acontece na situação do brinquedo. (1984, p. 55)
A maioria dos pais também desconhecem os benefícios das brincadeiras, principalmente nos dias atuais onde a correria do dia a dia faz abandonar velhos costumes, não tendo mais tempo para brincar com seus filhos, ficando a escola responsável pelo brincar e cuidar.
Para Piaget (apud KISHIMOTO, 1998), a brincadeira é um elemento crucial do desenvolvimento moral para criança, pois por intermédio dela a mesma consegue internalizar as regras solicitadas pelo jogo. 
2.2. Jogos, brincadeiras e brinquedos
O ato de brincar é a própria essência da infância, é uma das principais atividades que ajudam no desenvolvimento da criança. A liberdade para brincar, a naturalidade de divertir-se em atividades a serem aprendidas e desenvolvidas ajudando na sua formação da identidade, da autonomia, da memória e imaginação, que é um dos elementos fundamentais para a

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.