Malformação congenita
41 pág.

Malformação congenita


DisciplinaSaúde da Criança2.558 materiais6.945 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
Prof.ª Luciana Barros de Lima
*
DEFINIÇÃO
Defeitos congênitos, malformações congênitas e anomalias congênitas, são termos usados para descrever defeitos do desenvolvimento presentes na ocasião do nascimento.
Congênitos vem do latim e significa nascido com.
*
DEFINIÇÃO
São defeitos na forma, na estrutura e na função, presentes antes do nascimento em órgãos ou células ou componentes celulares, surgidos em qualquer fase do desenvolvimento, identificáveis logo ao nascer ou mesmo muito tempo depois e que levam a dano persistente e irreversível de funcionamento ou da aceitação social.
*
TIPOS DE MALFORMAÇÕES
Existem várias classificações, a maioria baseando-se na morfologia dos órgãos comprometidos:
Estruturais;
Funcionais;
Metabólicas;
Comportamentais;
Hereditárias.
*
TIPOS DE MALFORMAÇÕES
Maiores: as que resultam em grave defeito anatômico e podem levar até a morte.
Anencefalia, microcefalia, hidrocefalia, meningomielocele, espinha bífida, atresia de esôfago, hérnia diafragmática, glaucoma congênito, atresia de coanas, pé torto congênito e outros.
*
TIPOS DE MALFORMAÇÕES
Menores: as que não tem tanta importância cirúrgica, médica ou cosmética.
Ptose palpebral, estrabismo, úvula bífida, anomalias dentárias, baixa implantação de orelhas, hálux longo, hidrocele, pênis curto e curvo, artéria umbilical única, e outras.
*
ETIOLOGIA 
Dentre as causas conhecidas temos as que estão ligadas a fatores hereditários (genéticos) e as que estão ligadas as condições ambientais.
50% das causas ainda são desconhecidas. 
Dos outros 50%, aproximadamente 25% tem defeitos cromossomiais com base genética. 
Menos de 10% são atribuídos a fatores ambientais teratógenos, físicos ou químicos.
*
ETIOLOGIA 
Alterações cromossômicas :
Monossomias: Síndrome de Turner.
Trissomias: Síndromes (Down, Edwards, Patau,Klinefelter).
Deleções: Síndrome do \u201ccri du chat\u201d.
Genes mutantes: dominante e recessivo. 
*
ETIOLOGIA 
Causas Ambientais:
Infecções do feto;
Doenças maternas;
Irradiações;
Produtos químicos;
Medicamentos;
Causas físicas ou mecânicas.
*
ESTIMATIVA DA INCIDÊNCIA DAS CAUSAS DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS GRAVES
 CAUSAS INCIDÊNCIA %
Aberrações cromossômicas 6-7
Genes mutantes 7-8
Fatores ambientais 7-10
Herança multifatorial 20-25
Etiologia desconhecida 50-60 
__________________________________________
Baseado em dados de Connor e Ferguson-Smith (1987)
*
SÍNDROME DE TURNER
Monossomia, cujas principais características são infantilismo sexual, em conseqüência da formação de ovários vestigiais, baixa estatura e pregas pterigonucais, que conferem aos portadores da doença o chamado pescoço de esfinge ou pescoço alado. A inteligência é, regra geral, normal.
*
SÍNDROME DE TURNER
*
SÍNDROME DE DOWN
Primeira condição patológica que serviu para demonstrar que as aberrações cromossômicas podem determinar anomalias na espécie humana.
*
CARACTERÍSTICAS:
Dorso do nariz achatado, língua saliente, orelhas com pequenas dobras salientes, dedos curtos;
Hipotonia muscular; mãos largas e curtas com dedos curtos e grossos e sulco palmar transverso; pés largos, curtos e grossos com espaço largo entre o halux e o segundo pododactilo;
Quociente intelectual baixo;
Demonstram bastante ritmo e são muito alegres e afetuosos;
*
CARACTERÍSTICAS:
Baixa estatura e a frouxidão dos ligamentos (essa última deficiência é responsável pela marcha insegura, característica de numerosos portadores da doença);
Esperança de vida dos indivíduos afetados por essa anomalia é menor do que a de indivíduos normais;
Até o presente, não se tem notícia de que um homem com Síndrome de Down tenha se reproduzido. O mesmo não ocorre em mulheres com essa anomalia.
*
INCIDÊNCIA DA SÍNDROME DE DOWN EM RECÉM-NASCIDOS
Idade Materna (anos) Incidência
 20-24 1:1400
 25-29 1:1100
 30-34 1:700
 35 1:350
 37 1:225
 39 1:140
 41 1:85
 43 1:50
 45+ 1:25
____________________________________________________
Baseado em dados de Hook e Cols (1983-1988), os números foram arredondados e são aproximações. 
*
ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUTURAIS
Durante a prófase da primeira divisão meiótica, as quebras cromossômicas ocorrem com freqüência, e é normal que as partes cromossômicas fraturadas se tornem a soldar nos locais de fratura, ou que os cromossomos realizem permutas, isto é, troquem segmentos homólogos. 
Às vezes, porém, isso não acontece, e os segmentos resultantes das quebras cromossômicas se soldam em posição errada, ou se perdem, o que provoca alterações estruturais, que são denominadas aberrações cromossômicas estruturais.
*
SÍNDROME DO CRI DU CHAT
Anomalia determinada por uma deficiência parcial do braço superior do cromossomo número 5.
Recebe esse nome em virtude do choro típico dos pacientes afetados, o qual lembra o miado dos gatos durante o cio.
Manifestações: choro típico, fraco, semelhante ao miar de gato, cabeça pequena, atraso de desenvolvimento, apresentam retardamento mental e neuromotor grave.
*
SÍNDROME DO MIADO DO GATO
*
MALFORMAÇÕES CAUSADAS POR GENES MUTANTES
Uma mutação envolve a perda ou mudança na função de um gene e é qualquer alteração permanente e hereditário na sequência do DNA.
Pode ser provocada por fatores ambientais (doses de radiação, produtos químicos \u2013 carcinogênicos).
Exemplo: Acondroplasia
*
ACONDROPLASIA 
Características:
Baixa estatura;
Membros e dedos curtos;
Comprimento anormal do tronco;
Pernas arqueadas;
Cabeça relativamente grande;
Testa proeminente;
Sela nasal funda.
*
MALFORMAÇÕES CAUSADAS POR FATORES AMBIENTAIS
Apesar do embrião humano estar bem protegido no útero, certos agentes ambientais, chamados teratógenos, podem causar interrupções no desenvolvimento quando a mãe é exposta a eles.
Teratógeno é qualquer agente capaz de produzir malformação congênita ou de aumentar a incidência de uma malformação em determinada população.
*
TERATOLOGIA
É o ramo da ciência que trata de todos os aspectos do desenvolvimento pré-natal anormal, incluindo o estudo das causas e da patogênese dos defeitos congênitos.
*
TIPOS DE TERATÓGENOS
DROGAS
1) Álcool 
Retardo do crescimento intra-uterino; 
Retardamento mental,
Microcefalia;
Anomalias oculares;
Anormalidades das articulações;
Fissuras palpebrais pequenas.
*
TIPOS DE TERATÓGENOS
2) Andrógenos e altas doses de progestógenos
Graus variados da masculinização de fetos femininos;
Genitália externa ambígua, resultando em fusão labial e hipertrofia do clitóris.
3) Cocaína
Retardo do crescimento intra-uterino;
Microcefalia;
Infarto cerebral;
Anomalias urogenitais;
Distúrbios neurocomportamentais.
*
TIPOS DE TERATÓGENOS
4) Fenitoína 
Microcefalia;
Retardamento mental;
Ptose palpebral;
Dorso do nariz largo e deprimido.
PRODUTOS QUÍMICOS
Metilmercúrio:
Atrofia cerebral;
Espasticidade;
Retardamento mental.
*
TIPOS DE TERATÓGENOS
INFECÇÕES