A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Resumo: Anomalias Congênitas Humanas

Pré-visualização | Página 1 de 3

Classificação das anomalias
Alterações do desenvolvimento presentes ao nascimento
Estruturais, funcionais, metabólicas, comportamentais ou hereditárias
Classificação pela International Classification of Diseases
Considera momento de início, possível etiologia e patogênese
Teratologia
Área que estuda causas, mecanismos e padrões do desenvolvimento anormal
Determinados estágios mais vulneráveis
Até 1940 considerava-se bebê protegido
Após 1940: Descobre-se que vírus da rubéola e Talidomida podem alterar desenvolvimento
Causas de anomalias freq. divididas em:
Fatores genéticos: anormalidades cromossômicas
Presentes em cerca de 50-60% dos embriões abortados○
•
Fatores ambientais: fármacos, drogas, vírus•
Herança multifatorial: Genético + ambiental•
Etiologias
50-60% da etiologia é desconhecida
20-25% é multifatorial
6-7% Aberrações cromossômicas
7-8% genes mutantes
7-10% agentes ambientais
Anomalias causadas por fatores genéticos
Numericamente são a causa mais importante
Estima-se que até um terço de todos os casos
Embriões com anormalidades precoces quase nunca sofrem clivagem normal e não se tornam blastocistos
Zigotos com menos de 5 dias revelam alta incidência de anormalidades
Mais de 60% dos zig. de 2 dias são anormais
Embriões que são abortados até 3 semanas apresentam frequência de anormalidades de ao menos 
50%
Anormalidades podem ser nos autossomos ou cromossomos sexuais
Bem como numéricas ou estruturais
An. Cromossômicas Numéricas
Nos EUA, um em cada 120 nascimentos
Resultam principalmente de não-disjunção
Síndrome de Turner
Aproximadamente 99% abortados
Anormalidade mais frequente nos fetos abortados
Incidênica de um a cada 800
Metade com 45, X0
Demais com outros cariótipos
Fenótipo feminino
Características sexuais secundárias não se desenvolvem em 90% (necessária reposição hormonal)
Geralmente é o X paterno que está ausente (75%)
Trissomia dos Autossomos
Mais comuns
Trissomia do 21 (Down), 18 (Edwards), 13 (Patau)
Geralmente por não disjunção meiótica
Mais da metade dos trissômicos sofrem aborto espontâneo
Incidência aumenta com idade materna
Trissomia dos Cromossomso sexuais
Transtorno mais comum
Indetectável até a puberdade
Mulheres com duas massas cromossômicas (XXX)
Homens com uma (XXY - Klinefelter)
An. Cromossômicas Estruturais
Maior parte: Quebra dos cromossomos
Seguida por reconstituição com combinação anormal
Induzida por fatores ambientais: radiação, infecção, fármacos, químicos.
Inversão e translocação únicas duas aberrações prováveis de serem passados pelo pai
Um a cada 375 neonatos
Translocações
Transferência de um pedaço para um não-homólogo
Transl. recíproca = dois não-homólogos trocam pedaços
Não necessariamente causa desenvolvimento anormal
Portadores de translocação balanceada
Ex: troca entre um pedaço do 21 com o 14
Mas tendem a passar para as germinativas
3-4% da síndromes de down possuem o 21 extra ligado a outro cromsosomo
Deleção
Síndrome de Cri-du-chat
Deleção de parte do braço curto do cromossomo 5
Microcefalia, doença cardíaca congênita e mental grave
Cromossomo em anel
Ambas as extremidades perdidas e cromossomos se unem
Raro, mas pode ocorrer com todos os pares
Descritas em pessoas com síndrome de Turner e Edwards
Anomalias Congênitas causadas por genes mutantes
7-8% das anomalias letais
Mutação = alteração da sequência do DNA genômico permanente e hereditária
Maioria deletéria 
Anomalia dominante:
Acondroplasia
G → A no 1138 nuc. do cDNA do gene do receptor do fator de crescimento de fibroblastos 3 no 
cromossomo 4p
An. recessiva:
Hiperplasia congênita da suprarrenal
Ligado ao X:
Síndrome do X frágil
Glossário de Termos Teratológicos
Nem todas as variações do desenvolvimento são anomalias
ex: variações anatômicas nos ossos
Anomalias clinicamente significativas:
Malformação:
Defeito morfológico de sistema, órgão ou parte dele;○
Geralmente é intrínseca (desde o início)○
•
Perturbação:
Defeito morf. de sistema, órgão ou parte dele○
Geralmente extrínseca pela exposição à agentes teratogênicos
Não é herdada, mas alguns fatores podem predispor▪
○
•
Deformação:
Forma ou posição anormal resultante de forças mecânicas○
Ex: Compressão intrauterina ou defeitos do tubo neural (meningomielocele)○
•
Displasia:
Organização anormal de células em tecidos consequência da disistogênese○
Causa inespecífica e geralmente afeta diversos órgãos○
•
Outros termos descritivos incluem: anomalia do campo politópico (perturbações de um 
único campo de desenvolv.); sequência (derivações de um defeito estrutural); síndrome 
(múltiplos defeitos patogenicamente relacionados); associação (ocorrência não aleatória 
de anomalias múltiplas).
Síndrome geralmente tem causa única (ex: trissomia do 21)
Sequência é um conceito patogenético e não-causal
Associação é reconhecida estatisticamente, não patogenético ou causal
Dismorfologia é a área da genética clínica que diz respeito ao diagnóstico e interpretação 
de padrões de defeitos estruturais
Inativação de Genes
Um dos dois cromossomos X é aleatoriamente inativado
Inativação do X significa que cada célula portadora de uma doença ligada ao X 
possui um gene mutante causando a doença
OU no X ativo, ou no Inativo
Inativação desigual explica diferenças em gêmeos monozigóticos 
Um deles expressa o X materno, outro o X paterno
Aneuploidias e Poliploidia
Aneuploidia: Desvio do número diploide humano de 46 cromossomos
Número de crom. não múltiplo de 23
Hipodiploides: 45, X0 na sínd. de Turner
Hiperdiploides: 47 - como na síndrome de down
Pliploide: Indivíduo com número de cromossomos múltiplo de 23 diferente do número 
de diploides normais
Triploides (69), tetraploides (92)
Tetrassomia e Pentassomia
4 ou 5 cromossomos sexuais
Cromossomos sexuais extras não acentuam características sexuais
Mas quanto masi cromossomos, maior a gravidade da deficiência mental e física
Mosaicismo
Geralmente resulta da não-disjunção durante o início da clivagem do zigoto
Também pela perda de um cromossomo do retardo da anáfase
Um dos cromossomos atrasa sua migração e se perde
Em geral, defeitos menos sérios que pessoas com monossomia ou trissomia
Triploidia
Retardo do crescimento intrauterino
Desproporção cabeça-corpo
Freq. fecundação de um óvulo por dois espermatozóides
Dispermia
Não sobrevivem por muito tempo
Correspondem à 20% dos abortos espontâneos
Tetraploidia
Provavelmente durante primeira divisão do zigoto
Aborto precoce
Recupera-se apenas o saco coriônico vazio
embrião inviável
Microdeleções e micromultiplicações
Síndromes de genes contíguos
Síndrome de Prader-Willi:
Baixa estatura, def. mental leve, obesidade, hiperfagia e hipogonadismo○
•
Síndrome de Angelman:
Def. mental grave, microcefalia e braquicefalia (cabeça curta)○
Crises epilépticas e movimentos atáxicos (andar c/ base alargada e instável)○
•
Geralmente deleção banda q12 do cromossomos 15
Determinado pela origem parental
SA: da mãe
SPW: do pai
Fenômeno do Imprinting genético
Ou seja, depende do sexo do genitor que passou a mutação
Citogenética Molecular
Hibridização in situ fluorescente (FISH)
Sondas de DNA específicas podem aderir às regiões complementares dos 
cromossomos
Identificação da localização nos cromossomos + número de cromossomos 
em esfregaços 
Deleções cromossômicas submicroscópicas são identificadas em 5-10% de 
indivíduos com deficiência mental de etiologia desconhecida
Resumo: Anomalias Congênitas Humanas
 Página 1 de Medicina 
cromossomo 4p
An. recessiva:
Hiperplasia congênita da suprarrenal
Ligado ao X:
Síndrome do X frágil
Ligado à deficiência mental
Um a cada 1500 masc
Expansão de trinucleotídeos
Distrofia miotônica, coreia de Huntington, atrofia espinobulbar (s de Kennedy), ataxia de Friedreich...
Recessivos ligados ao X: se expressam em homens hemizigotos e mulheres portadoras (hetero)
Genoma humano = 20 a 25 mil genes
Genes de manutenção = Envolvidos em funções metabólicas básicas da célula
Síntese de ac. nuc; ptnas; citoesq; organelas
housekeeping genes → Presentes na maioria das células

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.