A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
BANCOS DE LEITE HUMANO e LACTÁRIO HOSPITALAR

Pré-visualização | Página 1 de 2

TERAPIA NUTRICIONAL DA GESTAÇÃO À ADOLESCÊNCIA
BANCOS DE LEITE HUMANO e LACTÁRIO HOSPITALAR
Referências: 
ACCIOLY, Elizabeth; SAUNDERS, Cláudia; LACERDA, Elisa Maria de Aquino. Nutrição em obstetrícia e pediatria. 2. ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2009. P Capítulo 36: Planejamento físico-funcional de Banco de Leite Humano. Páginas 529 a 545. Índex: 7667. 
BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Banco de leite humano: funcionamento, prevenção e controle de riscos/ Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília : Anvisa, 2008. 160 p.
FEFERBAUM, R.; SILVA, A. P. A da; MARCO, D. Nutrição enteral em pediatria. São Paulo: Yendis, 2012. Capítulo: Lactário Hospitalar, pg 413 a 437. Índex: 7705.
Em determinadas situações, os recém nascidos são separados de suas mães para receber a assistência necessária e adequada à manutenção de suas funções vitais, podendo a amamentação sofrer prejuízos caso a instituição e os profissionais de saúde não estejam preparados para promover, proteger e apoiar o aleitamento materno (AM).
Em situações em que o aleitamento materno esteja contraindicado ou que sua prática seja dificultada, seja por motivos ligados à criança ou à mãe, o uso do leite humano ordenhado pode ser o diferencial no cuidado do recém-nascido. Outra opção a que recorrem os hospitais é o preparo de fórmulas lácteas nos lactários dentro das unidades hospitalares.
O Banco de Leite Humano (BLH) é um serviço especializado responsável por ações de promoção, proteção e apoio ao AM e execução de atividades de coleta da produção lática da nutriz, do seu processamento, controle de qualidade e distribuição.
O lactário é o local, dentro da unidade hospitalar, responsável pelo preparo, envase e distribuição das fórmulas lácteas e muitas vezes da nutrição enteral, além de hidratantes que serão utilizados por recém nascidos e lactentes.
Com base nos textos acima referidos, responda às questões a seguir:
Quais são as atividades realizadas em BLH no que se refere às atividades médico-assistenciais?
R: Atividades médico-assistenciais:
Desenvolver ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno;
Prestar assistência a gestante, puérpera (pós-parto), nutriz e lactente na prática do aleitamento materno, orientação à puérpera e à nutriz sobre o cuidado com a mama puerperal, cuidados sobre a pega, posição e sucção ao amamentar e, ainda, orientações sobre ordenha, coleta, armazenamento e utilização do leite ordenhado no domicílio;
Executar as operações de controle clínico da doadora;
Seleção de doadoras.
Com relação ao controle de qualidade e processamento do leite humano (LH), quais são as atividades desenvolvidas?
R: O controle de qualidade deve ser realizado conforme parâmetros de conformidades. Ocorrem análises físico-químicas, organolépticas e microbiológicas. Além de que todo BLH deve incorporar em seu controle de qualidade documentação de Boas Práticas de Manipulação do LH e Programa de controle interno de qualidade, documentação e monitorado. 
Diferencie BLH e Posto de Coleta de leite humano
R: O Posto de coleta de leite humano (PCLH) é uma unidade fixa ou móvel, dentro ou fora do hospital, vinculada tecnicamente ao Banco de Leite Humano (BLH) e administrativamente a um serviço de saúde ou ao próprio BLH, não realizam atividades de processamento do LH. O Banco de Leite Humano foi implantando com proposito de funcionar como “pronto socorro dietético” realizam atividades médico-assistencias e atividades de tecnologia de alimentos, aquelas inerentes ao processamento do LH e controle de qualidade. Ambos responsáveis por ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e execução de atividades de coleta da produção lática da nutriz e sua estocagem.
O BLH necessita de determinados ambientes para seu adequado funcionamento: 
- sala para recepção, registro e triagem de doadoras, área para recepção de coleta externa;
- vestiário de barreira: 
- sala para ordenha;
- área para estocagem de leite cru coletado; 
- sala para processamento; 
- sala de porcionamento;
- laboratório para análise microbiológica;
- sala para lactentes e acompanhantes. 
Além disso, também precisa ter um fluxo de modo a evitar cruzamentos e facilitar a higienização para não comprometer a qualidade do leite processado. Faça um esquema apresentando a composição das áreas, o seu fluxo e principais característica
4- Registro e Triagem das Doadoras
Vestiário de Barreira
Sala da ordenha 
Sala de Armazenamento do LHOC
Descongelamento
Seleção
Classificação
Reenvase
Pasteurização
Sala de Processamento
Sala de Porcionamento
Distribuição
Avaliação da embalagem, cor, off-flavor
Análise microbiológica
Teste de acidez e de crematócrito
Como o leite humano deve ser armazenado e processado no BLH (como é realizada a pasteurização e o controle de qualidade microbiológico)?
R: O LHO que ainda não foi submetido ao processo de pasteurização é armazenado em câmara negativa ou freezer (o LHO congelado a uma temperatura máxima de -3ºC pode ser estocado por um período máximo de 15 dias). Na sala de processamento ocorre alguns procedimentos que incluem as etapas de descongelamento, seleção, classificação, reenvase e pasteurização. A pasteurização deve ser realizada a 62,5º C durante 30 min após o tempo de pré-aquecimento (tempo necessário para o LHO a ser pasteurizado atinja 62,5ºC), a temperatura deve ser monitorada a cada 5 minutos, com registro em planilhas especificas. O ambiente deve estar limpo e desinfetado antes do início do procedimento, ao término e sempre que necessário. Para o controle de qualidade microbiológica, amostras de LHO pasteurizados são submetidos a análises microbiológicas para determinação da presença de micro-organismos.
Todo leite humano recebido pelo BLH deverá ser submetido aos procedimentos de seleção e classificação. Uma vez concluídas essas etapas, o banco de leite poderá optar por estocar o produto, ainda cru, para futuro processamento ou iniciar imediatamente o processamento e o controle de qualidade. A seleção compreende: condições da embalagem, presença de sujidades, cor, off-flavor e acidez Dornic. A classificação compreende a verificação de: período de lactação, acidez Dornic e conteúdo energético – crematócrito. O que representam esses processos na garantia da qualidade do leite que é oferecido pelo BLH?
R: São procedimento importantes para que sejam selecionados leites com características físicas, químicas e sensoriais ideias para garantir a qualidade higiênico-sanitária e serem distribuídos de acordo com a necessidade de cada um após a classificação.
Sobre o lactário hospitalar, leia o texto de Feferbaum e colaboradores e sublinhe os pontos-chave dos seguintes itens:
Objetivos do Lactário - Atividades da nutrição - Breve descrição sobre área física / critérios para seleção de pessoal / treinamento.
OK.
Faça um diagrama do fluxo do preparo de fórmulas a partir das rotinas desenvolvidas no lactário e solicitação das fórmulas. 
Área para higienização de Insumos.
Área para Higienização de Mamadeiras.
Área para Paramentação ou Antessala.
Centralizada: Fórmulas após o resfriamento são aquecidas em banho-maria momento antes de serem distribuídas ao paciente.
Descentralizada: São aquecidas nas copas nas áreas de internação, e são distribuídas no horário estabelecido.
Distribuição Centralizada ou descentralizada
Mamadeira e fórmula são resfriado para prevenir proliferação bacteriana. A fórmula pronta ao atingir 55ºC deve ser resfriada em 22ºC em 2h, e dos 22ºC a 4ºC em 6h
Armazenamento e Distribuição de Fórmulas
Fórmulas não autoclavadas são envasadas em mamadeiras autoclavadas em temperatura de 120ºC por 10 minutos.
Fórmulas autoclavadas são envasadas em frascos previamente higienizados com água e sabão, passam por autoclavagem terminal na temp. de 100ºC /min.
Envase e Autoclavagem