A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Percepção   Filme À primeira vista

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE DE FRANCA
PSICOLOGIA (BACHARELADO) - 2ºO NOTURNO
Disciplina – Processos Psicológicos Básicos Profª Arali Helena Stort
PERCEPÇÃO
Stéfany Coutinho Tiburcio RGM 17848971
Franca
06 de setembro de 2017
O filme "À primeira vista", a Percepção e as sensações
A percepção trata-se da seleção, organização e interpretação de impulsos sensoriais captados através dos nossos sentidos, envolve processos mentais, a memória e outros aspectos que podem influenciar na interpretação dos dados percebidos. Pessoas cegas, são em geral as que mais convivem com a percepção, pois precisam decorar lugares através de formas criadas a partir de um conceito próprio advindo de sua mente, e também do tato. O personagem de Virgil, no filme "À primeira vista", ilustra bem o uso da percepção de uma pessoa cega nos primeiros 20 minutos, não somente a noção espacial, ou o uso do tato, mas também a identificação da realidade do mundo através da percepção em sua forma natural, através das transformações, utilizando os órgãos dos sentidos, percebendo vibrações, sons e odores.
Nota-se que a percepção em alguns casos, como o de indivíduos cegos, pode ser aguçada, trabalhada e sensível, ao ponto de perceber detalhes que uma pessoa sem qualquer tipo de doença, provavelmente, deixaria passar com certa irrelevância como nos foi apresentado na cena da chuva, em que Virgil faz com que Amy fique em silêncio e atenta para que possa ouvir todos os sons possíveis do ambiente e absorver todas as informações que pudesse, assim como ele o fez, quando pressentiu a chuva que se aproximava. Porém, assim como a percepção pode ser extremamente sensível, ela também pode apresentar distúrbios, que afetam e muito condição de vida do indivíduo.
No filme em questão, Virgil volta a enxergar devido a uma cirurgia que até então era o que havia de mais novo na área, porém como a perda da sua visão foi quando muito pequeno, ele não possuia memórias visuais, então toda sua percepção estava relacionada aos outros sentidos, pois sua visão era apenas uma tela negra. Aprendendo tudo do começo, Virgil encontra inúmeras dificuldades, pois para ele é como se seus olhos lhe pregassem peças, entender que a fotografia de um objeto não era o objeto em si, só era possível depois de tocar as duas coisas, ou seja, era necessário utilizar os outros sentidos, aos quais já estava habituado, para que pudesse ter certeza da informação que a visão estava lhe trazendo. A esta confusão da percepção visual e dificuldade de associação de suas áreas é dada o nome de Agnosia.
Infelizmente, a doença que atingiu Virgil no início de sua infância, retorna algumas semanas após a cirurgia e ele volta a ficar cego, mas por ter vivido a maior parte da vida cego, seu instinto é apenas continuar vivendo naturalmente como antes. Ainda utilizando o exemplo do filme, vemos que o turbilhão de informações visuais que Virgil recebeu logo que os tampões foram retirados e ao longo dos próximos dias também afetaram sua qualidade de vida e os outros sentidos, causando tonturas, confusões, perdas de equilíbrio, etc. O processo de sensação e percepção são explícitos no filme, a sensação é puro instinto, enquanto a percepção é aprendida aos poucos; Virgil tinha a sensação intacta, mas a percepção foi um período sofrido enquanto enxergou.