A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Avaliando de jurisdição

Pré-visualização | Página 1 de 3

1a Questão (Ref.: 201401809026)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	De acordo com entendimento jurisprudencial e doutrinário do controle de constitucionalidade, assinale aquele que não realiza o controle preventivo:
		
	 
	Tribunal de Contas
	
	Parlamentar
	
	Governador de Estado
	
	Poder judiciário
	
	Poder legislativo
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201401918074)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	A sustação dos atos normativos que exorbitem o poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa, consiste em hipótese de:
		
	 
	Controle repressivo pelo legislativo
	
	Controle repressivo pelo executivo
	
	Controle preventivo pelo legislativo
	
	Controle preventivo pelo executivo
	
	Nenhuma das alternativas acima
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201401488057)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	A respeito do controle de constitucionalidade das leis e dos atos normativos, assinale a alternativa correta:
		
	 
	A decisão que julga procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade declara a nulidade da lei ou ato normativo, sendo possível a modulação para produção de efeitos futuros tendo em vista razões de segurança jurídica ou de excepcional interesse social.
	
	Em nosso sistema somente se admite a forma repressiva realizada pelo Poder Judiciário através controle difuso e do controle concentrado.
	
	É possível o controle preventivo de constitucionalidade pelo Poder Judiciário através da impetração de Mandado de Segurança impetrado por qualquer cidadão que entenda que eventual projeto de lei se opõe ao Texto Constitucional.
	
	A decisão que julga procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade é de natureza constitutiva, tendo em vista que anula a lei ou o ato normativo, produzindo efeitos ex nunc.
	
	Uma lei será considerada materialmente inconstitucional quando não tiverem sido obedecidos os ritos próprios para a sua elaboração.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201401386385)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Com relação ao STF e ao controle de constitucionalidade das leis, assinale a opção correta.
		
	
	No sistema constitucional brasileiro, não cabe ao juiz a declaração de inconstitucionalidade de lei, que é da competência exclusiva dos tribunais.
	
	O controle incidental é a prerrogativa do STF de declarar, em abstrato e com efeito erga omnes, a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo
	 
	O STF poderá, depois de reiteradas decisões sobre matéria constitucional, aprovar súmula que, a partir de sua publicação na imprensa oficial, terá efeito vinculante em relação aos demais órgãos do Poder Judiciário e à administração pública.
	
	Ao julgar apelação interposta com fundamento na inconstitucionalidade de lei, a turma do tribunal pode declarar a inconstitucionalidade desta e afastar a sua incidência no caso concreto.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201401821878)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	(OAB/107.º) Quando da promulgação de uma nova Constituição, diz-se que a legislação ordinária compatível perde o suporte de validade da Constituição antiga, mas continua válida pela teoria:
		
	 
	c) da recepção;
	
	a) da repristinação;
	
	d) do poder constituinte subordinado.
	
	b) da desconstitucionalização;
		
	
	1a Questão (Ref.: 201401386390)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Relativamente à organização e às competências do Poder Judiciário, assinale a opção correta.
		
	 
	O Conselho Nacional de Justiça, órgão interno de controle administrativo, financeiro e disciplinar do Poder Judiciário, é composto por membros do Poder Judiciário, do MP, da advocacia e da sociedade civil.
	
	O Conselho Nacional de Justiça, não é órgão interno de controle administrativo, financeiro e disciplinar do Poder Judiciário, é composto por membros do Poder Judiciário, do MP, da advocacia e da sociedade civil.
	
	Cabe reclamação constitucional dirigida ao STF contra decisão judicial que contrarie súmula vinculante ou que indevidamente a aplique. O modelo adotado na CF não admite reclamação contra ato que, provindo da administração, esteja em desconformidade com a referida súmula.
	
	A edição de súmula vinculante pelo STF somente poderá ocorrer de ofício.
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201401976529)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Declarando o Supremo Tribunal Federal, incidentalmente, a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal em face da Constituição do Brasil, caberá
		
	
	ao Advogado-Geral da União interpor o recurso cabível para impedir que a União seja compelida a cumprir a referida decisão.
	
	ao Presidente da República editar decreto para tornar inválida a lei no âmbito da administração pública.
	
	ao Procurador-Geral da República, como chefe do Ministério Público da União, expedir atos para o cumprimento da decisão pelos membros do Ministério Público Federal e dos Estados.
	 
	ao Senado Federal suspender a execução da lei, total ou parcialmente, conforme o caso, desde que a decisão do Supremo Tribunal Federal seja definitiva.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201401897005)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	11) As decisões dos juízes ou tribunais que contrariarem a súmula vinculante serão passíveis de:
		
	
	Agravo retido ao STF;
	
	Apelação ao STF;
	 
	Reclamação ao STF;
	
	Apelação ao Tribunal de Justiça.
	
	Agravo de instrumento ao STF;
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201401369288)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Dentre as atribuições constitucionalmente previstas para o Supremo Tribunal Federal destaca-se:
		
	
	processar e julgar, originariamente, ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal, estadual e municipal;
	
	julgar, em recurso especial, as causas cuja decisão de última instância tenha contrariado tratado ou lei federal;
	
	julgar, em recurso especial, as ações rescisórias de seus julgados;
	 
	processar e julgar, originariamente, ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal;
	
	processar e julgar, originariamente, todas as causas em que a União, entidade autárquica ou empresa pública federal forem interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou oponentes.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201401386383)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Declarando o Supremo Tribunal Federal, incidentalmente, a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal em face da Constituição do Brasil, caberá
		
	 
	ao Senado Federal suspender a execução da lei, total ou parcialmente, conforme o caso, desde que a decisão do Supremo Tribunal Federal seja definitiva.
	
	ao Presidente da República editar decreto para tornar inválida a lei no âmbito da administração pública.
	
	ao Procurador-Geral da República, como chefe do Ministério Público da União, expedir atos para o cumprimento da decisão pelos membros do Ministério Público Federal e dos Estados.
	
	ao Advogado-Geral da União interpor o recurso cabível para impedir que a União seja compelida a cumprir a referida decisão.
		
	
	 1a Questão (Ref.: 201401809050)
	Pontos: 0,0  / 0,1
	No controle incidental, o pronunciamento do plenário ou do órgão especial do tribunal irá se restringir à análise da inconstitucionalidade da lei, sendo o julgamento do caso concreto feito pelo órgão fracionário competente para o julgamento do mérito do recurso. Ocorre na hipótese, o que a doutrina convencionou denominar:
		
	
	modulação temporal dos efeitos da decisão
	
	abstrativização do controle difuso
	 
	cláusula de reserva de plenário
	
	súmula vinculante
	 
	cisão funcional da competência
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201401386383)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Declarando o Supremo Tribunal Federal, incidentalmente, a inconstitucionalidade