A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
109 pág.
Cirurgia PlásticaPeriodontal

Pré-visualização | Página 20 de 42

de São Paulo, compreendendo um grupo de 
seis voluntários com idade entre 23 e 54 anos. Os critérios para 
inclusão foram: ausência de doenças sistêmicas ou quaisquer 
outras condições que contraindicassem as cirurgias mucogen-
givais, a não realização prévia de cirurgias periodontais nos 
sítios selecionados, não serem fumantes e apresentarem re-
trações gengivais Classe I ou II de Miller, maxilares ou mandibu-
lares em três hemiarcos distintos, sendo estas largas e medin-
do pelo menos 3 mm de altura. Para confi rmar a classifi cação 
das retrações e avaliar a altura da crista óssea proximal foram 
feitas radiografi as das áreas envolvidas. Elementos dentais 
com perda de papila interproximal, girovertidos ou extruídos 
não foram incluídos no estudo. O total de 18 retrações gengi-
vais foi tratado após o consentimento voluntário de cada um 
dos participantes.
Inicialmente, todos os pacientes passaram por um pro-
grama de controle de placa bacteriana, que incluiu instrução 
de higiene oral, visando eliminar hábitos relacionados à etio-
logia das retrações gengivais, raspagem e alisamento radicular 
quando indicados, profi laxia e polimento dentário.
Anteriormente a realização das cirurgias, foram sortea-
dos os lados a serem tratados com cada enxerto específi co. 
Esta randomização foi feita para cada paciente que teve uma 
retração gengival tratada com o enxerto autógeno de tecido 
conjuntivo, outra tratada com o enxerto alógeno de matriz 
dérmica acelular (AlloDerm, LifeCell, The Woodlands, TX, USA) 
185Revista PerioNews 2011;5(2):183-9
 Periodontia
e uma terceira tratada com enxerto heterógeno de pericárdio 
bovino acelular (TechGraft, Biotech, São Carlos, SP, Brasil).
Medidas clínicas
Os parâmetros clínicos avaliados foram: retração gengival 
(RG), profundidade de bolsa a sondagem (PBS), nível clínico de 
inserção (NCI) e quantidade de mucosa queratinizada (MQ). As 
medidas foram feitas por um único periodontista experiente 
no sítio central da superfície vestibular dos dentes seleciona-
dos para tratamento e seus adjacentes, uma semana antes dos 
procedimentos cirúrgicos e após seis meses. Uma placa acrílica 
foi confeccionada com marcas de referência nos sítios de me-
dida para que os parâmetros fossem avaliados exatamente no 
mesmo sítio nos diferentes momentos de investigação. A RG, 
a PBS e o NCI foram mensurados com uma sonda periodontal 
computadorizada (Florida Probe, Gainesville, FL, USA), a qual 
possui uma força constante de sondagem de 25 g, precisão 
eletrônica de 0,1 mm de mensuração e armazenamento com-
putadorizado dos dados. A MQ ou distância entre a margem 
gengival e a linha mucogengival foi acessada com um compas-
so de ponta seca e as medidas lidas por um paquímetro digital 
(0,05 mm de resolução).
Procedimentos cirúrgicos
As cirurgias foram realizadas somente após a obtenção de 
índices de placa bacteriana satisfatórios, ou seja, inferiores a 
10% do total de superfícies dentárias.
Cada retração gengival de cada paciente foi tratada indi-
vidualmente pelo mesmo operador (Figura 1). Após anestesia 
local, os retalhos estendidos foram delineados para acomodar 
subepitelialmente cada um dos enxertos utilizados. Incisões 
intrassulculares foram realizadas acompanhando o dente a ser 
tratado e seus adjacentes; nestes foram traçadas as incisões 
relaxantes e a partir destas o retalho parcial foi sendo disse-
cado, incluindo as papilas interproximais (Figura 2). Esta dis-
secção foi realizada o mais próxima do periósteo possível, até 
ultrapassar o limite da linha mucogengival, permitindo o des-
locamento coronal do retalho sem tensões. Neste momento, 
as superfícies radiculares expostas foram alisadas com curetas 
do tipo Gracey (Hu-Friedy, Chicago, IL, USA) e condicionadas 
com gel de EDTA a 24% por dois minutos, imediatamente após 
foram irrigadas abundantemente com solução salina fi sioló-
gica. A matriz dérmica acelular e o pericárdio bovino acelular 
foram hidratados através de imersão em solução salina fi sio-
lógica, enquanto que o enxerto de conjuntivo foi obtido para 
cada paciente da região do palato referente aos pré-molares. 
Figura 1 – Foto inicial de uma das retrações gengivais (primeiro 
pré-molar inferior direito) selecionadas para tratamento.
Figura 2 – Com o objetivo de constituir o retalho estendido, as 
incisões relaxantes foram realizadas partindo da face mesial e 
distal dos dentes adjacentes àquele selecionado para tratamen-
to, assim, as papilas foram totalmente dissecadas e incluídas no 
retalho parcial.
Os enxertos foram recortados para cobrir toda a retração dos 
dentes selecionados para tratamento, com extensão lateral 
de 2 mm sobre o periósteo, foram posicionados de forma a 
coincidir sua porção coronal com a linha cemento-esmalte e 
suturados com fi o absorvível 5.0 (Figura 3). Finalmente, os re-
talhos foram tracionados sobre os enxertos e reposicionados 
coronalmente, inclusive sobre as possíveis retrações gengivais 
dos dentes adjacentes (Figura 4). Não foi utilizado cimento ci-
rúrgico.
Cuidados pós-operatórios
Todos os pacientes foram orientados a evitar qualquer 
tipo de trauma na região, até mesmo com a interrupção mo-
mentânea dos métodos de higienização nas áreas tratadas. 
Foram instruídos a fazer bochechos com digluconato de clore-
xidina a 0,12% duas vezes ao dia. Amoxicilina 500 mg foi pres-
186 Revista PerioNews 2011;5(2):183-9
de Barros RRM  Macedo GO  Novaes Jr. AB
crita por sete dias de oito em oito horas e nimesulida 100 mg 
foi prescrita por três dias de 12 em 12 horas para controle an-
ti-infl amatório e analgésico. As suturas foram removidas após 
15 dias e neste momento os bochechos foram substituídos 
pela limpeza das áreas, com cotonete embebido na solução 
de digluconato de clorexidina a 0,12% duas vezes ao dia por 
30 dias. A partir de então, os métodos de higienização conven-
cionais foram retomados. Os pacientes foram chamados para 
controle de placa bacteriana semanalmente no primeiro mês 
e mensalmente até completar seis meses. Com seis meses, os 
parâmetros clínicos foram reavaliados com o intuito de com-
parar os resultados alcançados (Figura 5).
Análise estatística
A média e o desvio-padrão de cada parâmetro clínico para 
cada grupo de tratamento foram calculados. O teste não pa-
ramétrico de Wilcoxon foi utilizado para determinar se os de-
feitos eram similares no pré-operatório e também para avaliar 
se algum grupo foi superior em relação aos demais após seis 
meses das cirurgias. Já o teste de Friedman foi aplicado para 
avaliar a efi cácia de cada tipo de tratamento, individualmente, 
entre o período pré e pós-operatório. O nível de signifi cância 
de 5% foi adotado para todas as avaliações.
RESULTADOS
Um total de 18 retrações gengivais foi tratado com enxer-
to de pericárdio bovino acelular, matriz dérmica acelular ou te-
cido conjuntivo, utilizando a técnica de retalho estendido des-
crita10 (seis retrações gengivais em cada grupo de tratamento).
Os grupos experimentais apresentaram defeitos iniciais 
de tamanhos similares, sem diferenças estatisticamente signi-
fi cantes quanto aos parâmetros avaliados (retração gengival, 
quantidade de mucosa queratinizada, profundidade de sonda-
gem e nível clínico de inserção), Tabela 1.
Houve uma redução nos índices de retração gengival, 
Figura 5 – Após seis meses, as 
áreas tratadas foram reavaliadas 
com intuito de comparar os 
resultados obtidos com cada 
diferente enxerto.
Figura 3 – Enxerto de pericárdio bovino acelular recortado e 
suturado (sutura em alça) sobre o defeito selecionado para trata-
mento com fi o absorvível 5,0.
Figura 4 – Finalmente, o retalho foi tracionado sobre