Síndromes hipertensivas na gestação: eclâmpsia e síndrome Hellp - Questões resolvidas
3 pág.

Síndromes hipertensivas na gestação: eclâmpsia e síndrome Hellp - Questões resolvidas


DisciplinaObstetrícia1.498 materiais10.981 seguidores
Pré-visualização3 páginas
QUESTÕES
2017 - FMUSP
1. Uma paciente de 32 anos, primigesta, com Idade Gestacional (IG) de 35 semanas
(compatível com a ultrassonografia), procura o pronto-socorro com queixa de diminuição
da movimentação fetal há 1 dia. Seguem as anotações de pré-natal:
IG
Peso (kg)
PA (mmHg)
BCF
AU (cm)
Edema
11 sem
69,6
140x90
+
-
-
15 sem
69,6
140x80
+
-
-
17 sem
71,0
110x70
+
16
-
23 sem
75,5
110x80
+
22
-
27 sem
78,8
120x80
+
25
-
31 sem
79,2
130x80
+
27
-
33 sem
82,0
130x90
+
29
1+/4+
Ao exame clínico, encontra-se em bom estado geral, corada, hidratada e eupneica, com PA =
160x100mmHg, FC = 84bpm, BRNF 2T, sopro sistólico em foco aórtico (2+/6+), além de abdome
gravídico, altura uterina de 29cm, batimento cardíaco fetal presente de dinâmica uterina
ausente. Também se observam edema de mãos e face (2+/4+) e edema simétrico de membros
inferiores (2+/4+), sem sinais de T rombose Venosa Profunda (T VP). Apresenta os seguintes
exames realizados no dia anterior: proteinúria de 24 horas = 1,54g/volume e ácido úrico =
7,5mg/dL. Neste momento, o diagnóstico dessa gestante é:
a) descompensação de hipertensão arterial crônica
b) hipertensão arterial secundária a nefropatia crônica
c) cardiopatia gestacional com hipertensão secundária
d) pré-eclâmpsia superajuntada a hipertensão arterial crônica
2017 - UERJ
2. Uma gestante de 20 anos, primigesta, é atendida em consulta pré-natal com 35 semanas de
gestação, assintomática, apresentando PA = 150x90mmHg. Exames laboratoriais de rotina
realizados na véspera indicam hematócrito = 37%, hemoglobina = 11g/dL, plaquetometria =
152.000, TGO = 12, TGP = 14, LDH = 754, bilirrubina total = 0,5, creatinina = 0,8 e proteinúria
de 24 horas = 550mg. Ultrassonografia realizada no mesmo dia indica feto único, cefáli co,
normodrâmnio, peso estimado = 2.800g, placenta corpórea anterior grau III, biometria de
35/36 semanas e dopplerfluxometria com relação umbilicocerebral <1. A conduta que deve
ser adotada inicialmente, para esse caso, é:
a) avaliação materno-fetal e acompanhamento pré-natal semanal em caso de condições estáveis
b) indicação de internação para início de sulfato de magnésio e hidralazina venosa
c) indicação de indução imediata do parto
d) início de metildopa
2017 - UFT
3. Uma gestante de 32 semanas procura a maternidade referindo cefaleia e “mal-estar”. Ao
exame físico, encontra-se BCF = 1 48bpm e PA = 160x110mmHg persistente. Exames
laboratoriais: plaquetas = 78.000/mL, DHL = 780UI/L e TGO = 82UI/L. Qual é a principal
hipótese diagnóstica?
a) pré-eclâmpsia leve
b) síndrome HELLP
c) hipertensão arterial crônica
d) diabetes mellitus
e) hipertensão gestacional (sem proteinúria)
2017 - SUS-RR
4. Qual das alternativas a seguir é a mais indicada para uma primigesta, com 28 semanas de
gestação, 18 anos, PA = 160x110mmHg, transaminases elevadas e plaquetas = 60.000µL?
a) terapia anti-hipertensiva oral
b) transfusão de plaquetas
c) terapia com sulfato de magnésio e parto pela via mais rápida
d) terapia com imunoglobulina IV
e) conduta expectante
2016 - SUS-SP
5. Uma paciente de 32 anos, nuligesta, vem para consulta ginecológica pré-concepcional para
orientações. Nega alergias, é hipertensa há 1 ano, em uso de captopril 25mg a cada 12 horas,
com bom controle, e, sem outras comorbidades, nega vícios. Além disso, apresenta exame
físico sem alterações e PA = 130x70mmHg. Deve-se orientar a essa paciente o uso de ácido
fólico e:
a) modificação de medicação anti-hipertensiva para alfametildopa
b) suspensão de medicação anti-hipertensiva sem necessidade de nova droga
c) modificação de medicação anti-hipertensiva para losartana
d) modificação de medicação anti-hipertensiva para enalapril
e) manutenção de medicação anti-hipertensiva devido ao bom controle pressórico
RESPOSTAS
Questão 1. Analisando as alternativas:
a) Incorreta e d) Correta. A paciente desenvolveu aumento da pressão arterial associada a
edema no 3º trimestre de gestação, o que caracteriza quadro de pré-eclâmpsia superajuntada
à hipertensão arterial crônica que já tinha.
b) Incorreta. Não há indícios de que a paciente tivesse nefropatia prévia.
c) Incorreta. Não há indícios de que a paciente apresentasse cardiopatia prévia.
Gabarito = D
Questão 2. Analisando as alternativas:
a) Correta. Pode-se fazer o diagnóstico de pré-eclâmpsia por aumento da pressão associado a
proteinúria (acima de 300mg em 24 horas), porém sem sinais de alerta, pois exames normais
(exceto pelo DHL levemente elevado). A partir desse diagnóstico, o pré-natal deve ser mais
intenso, com consultas semanais e atenção para sinais de alerta (sintomas de iminência de
eclâmpsia, piora clínica da pressão ou do edema, alterações laboratoriais).
b) Incorreta. Não há indicação de sulfatação e de uso de hidralazina, pois a paciente não está
em emergência hipertensiva.
c) Incorreta. Em gestante com pré-eclâmpsia não complicada e com 35 semanas de gestação,
não há indicação de interrupção da gestação.
d) Incorreta. Inicialmente o tratamento é feito com dieta hipossódica e medidas
comportamentais.
Gabarito = A
Questão 3. Analisando as alternativas:
a) Incorreta. As alterações de PA (≥160x110mmHg) e a plaquetopenia <100.000 já definem pré-
eclâmpsia grave.
b) Correta. A síndrome HELLP é uma complicação da eclâmpsia/pré-eclâmpsia e se caracteriza
por hemólise (na questão representada pela elevação do DHL), elevação de transaminases
hepáticas e plaquetopenia.
c) Incorreta. A questão menciona um quadro agudo e não fornece dados para imaginar um
quadro antecedente de hipertensão superajuntada.
d) Incorreta. O enunciado não faz qualquer menção à glicemia da paciente, muito menos ao
diagnóstico de diabetes.
e) Incorreta. A doença hipertensiva específica da gravidez, mesmo em sua forma leve, tem por
definição proteinúria (≥300mg/24 horas na forma leve e ≥5g/24 horas na forma grave).
Gabarito = B
Questão 4. A questão retrata uma paciente com pré -eclâmpsia evoluindo com síndrome HELLP
(elevação de enzimas hepáticas, plaquetopenia e hemólise, entretanto este último componente
da síndrome não foi relatado na questão). Essa síndrome é uma emergência obstétrica e está
associada a alta mo rtalidade materna e fetal se não tratada corretamente. A resolução da
gestação está formalmente indicada, visando preservar a vida da mãe e, se possível, do bebê.
Analisando as alternativas:
a) Incorreta. A paciente tem indicação de resolução da gestação pela via mais rápida.
b) Incorreta. A transfusão de plaquetas sem resolução da gestação vai piorar o quadro, já que
se trata de uma plaquetopenia de consumo, que po de inclusive evoluir com coagulação
intravascular disseminada (CIVD).
c) Correta. O uso de sulfato de magnésio (sulfatação) está indicado para proteção neurológica e
prevenção de convulsão. A resolução da gestação deve ser imediata pela via mais rápida, devido
aos riscos anteriormente expostos.
d) Incorreta. A imunoglobulina não tem nenhuma indicação na síndrome HELLP.
e) Incorreta. Conforme exposto, trata -se de um quadro com alta mortalidade se não tratado
rapidamente.
Gabarito = C
Questão 5. Os inibidores da enzima de conversão da angiotensina e os antagonistas dos
receptores da angiotensina estão contraindicados durante a gestação. Sendo assim, captopril,
enalapril e losartana não podem ser utilizados nesse período. A melhor conduta, desse modo, é
a substituição de captopril por alfametildopa.
Gabarito = A