Estudo dirigido "desenvolvimento humano na vida adulta e  envelhecimento"
4 pág.

Estudo dirigido "desenvolvimento humano na vida adulta e envelhecimento"

Disciplina:Psicologia do Desenvolvimento do Adulto11 materiais32 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Estudo dirigido desenvolvimento do adulto:
Quais fatores influenciam os caminhos individuais para a vida adulta?
O que contribui para adiar a saída do jovem adulto da casa dos pais?
Segundo Erikson, em qual estágio da vida, gastamos mais energia para desenvolver nossa identidade?
Qual nome dado a mudança para a identidade adulta?E quais os seus estágios?
O que seria a moratória contemporânea?
Existe diferença na exploração da identidade do jovem, a partir de aspectos como raça e ou etnia? Explique.
O que contribui para o desenvolvimento saudável de filho adultos e pais?
Como chama-se o sexto estágio do desenvolvimento psicossocial de Erikson? A que período ele corresponde?
Quando o adulto jovem está trabalhando para resolver demandas conflitantes de intimidade, competitividade e distância, o que ele desenvolve?
Para muitas pessoas hoje o processo de formação de identidade se estende até a idade adulta, e, portanto, de acordo com Erikson, o que acaba por ser adiado também?
No que resulta a resolução positiva do estágio da intimidade?
O que requer os relacionamentos íntimos?
Segundo a teoria da triangulação do amor, quais os elementos que compõe o amor?
Que fatores contribuem para o sucesso do casamento?
Por que não devemos definir idade cronológica para a marcação da transição da vida adulto jovem para o adulto intermediário?
Quais aspectos interferem na qualidade de vida, na fase adulta intermediária?
Qual perda sensorial é mais comum em homens do que em mulheres, no período intermediário da meia-idade?
Qual a problemática da diminuição da sensibilidade a dor, após os 50 anos?
Ocorre perda de resistência no adulto de meia-idade? Explique.
Quais fatores tem impacto direto no estado de saúde na meia-idade?
Devido aos homem buscarem menos os serviços de saúde, que consequências são mais comuns, nestes casos?
Que impacto pode ocorrer ao idoso, quando na meia-idade, este apresenta um declínio cognitivo substâncial?
Explique a inteligência fluida e cristalizada:
Qual a ligação entre trabalho e desenvolvimento cognitivo?
Para Erikson, qual a virtude maior da meia-idade?
Como surge a generatividade, segundo Erikson?
O que podemos entender por equilíbrio da identidade?
Qual o entendimento da psicologia narrativa, sobre identidade?
Quais características influenciam na formação do “comboio social” ? E quais seus benefícios, na meia-idade?
A coabitação gera a mesma satisfação para homens e mulheres? Qual seu impacto?

Respostas
fatores como gênero, capacidade acadêmica, primeiras atitudes em relação à educação, raça e etnia, expectativas do final da adolescência e classe social.

Cada vez mais, adultos emergentes de ambos os sexos prolongam a educação escolar e adiam a paternidade/maternidade, e estas decisões geralmente são fundamentais para o sucesso futuro no trabalho bem como para o bem-estar atual.

Erikson considerava a busca por identidade uma tarefa para a vida toda, focalizada, em grande parte, na adolescência.

Recentralização. . É a tarefa primária no início da vida adulta. É um processo de três estágios no qual poder, responsabilidade e tomada de decisão gradualmente passam da família de origem para o adulto jovem independente.
Nossa sociedade oferece a muitos adultos emergentes pouca orientação e menos pressão para crescer. Eles devem construir seu curso de vida a partir das oportunidades e restrições que encontram à sua volta. Apenas um terço dos jovens acidentais passam pela moratória, uma crise autoconsciente que leva à resolução. Alguns chegam a regredir durante este período, e cerca de metade não apresenta qualquer mudança.
A exploração da identidade é um pouco diferente para os grupos minoritários raciais/étnicos do que para a maioria da população branca. Muitos jovens dos grupos minoritários, com frequência por questões econômicas, precisam assumir responsabilidades de adultos mais cedo do que seus pares. Ao mesmo tempo, eles tendem a valorizar as relações familiares íntimas e podem sentir-se obrigados a ajudar suas famílias financeiramente. Eles podem sofrer pressão para casar e ter filhos em uma idade precoce, ou a entrar no mercado de trabalho imediatamente em vez de ir para a universidade.
Quando os jovens saem de casa, eles precisam concluir a negociação de autonomia iniciada na adolescência e redefinir seu relacionamento com seus pais como um relacionamento entre adultos. Pais que são incapazes de reconhecer esta mudança podem retardar o desenvolvimento de seus filhos.
intimidade x isolamento, adulto jovem.
eles desenvolvem um sentido ético, que o autor considerava a marca do adulto.
conquista de intimidade também deve ser adiada.
A resolução deste estágio resulta na virtude do amor: a devoção mútua entre parceiros que escolheram compartilhar suas vidas, ter filhos e ajudá-los a alcançar seu próprio desenvolvimento saudável.
Os relacionamentos íntimos requerem autoconsciência; empatia; capacidade de comunicar emoções, resolver conflitos e manter compromissos; e, se o relacionamento é potencialmente sexual, tomar decisões sobre sexo.
Os três elementos, ou componentes, do amor são: intimidade, paixão e compromisso.
Casais que receberam aconselhamento pré-matrimonial tendem a ser mais satisfeitos e comprometidos com seus casamentos do que casais que não tiveram tal aconselhamento, e seus casamentos são menos propensos a terminar em divórcio.
Porque os aspectos culturais e sociais interferem de modo intensivo nesta transição, e cada cultura e sociedade terá suas variações, assim como o momento histórico.
Entretanto, a experiência da meia-idade varia de acordo com a saúde, o gênero, a raça/etnia, o nível socioeconômico, a coorte e a cultura, bem como com a personalidade, a situação conjugal e parental e o emprego. Além disso, as experiências, os papéis e os problemas do início da meia-idade diferem daqueles do final da meia-idade.
Perda auditiva.
Os adultos começam a perder a sensibilidade ao tato após os 45 anos, e, em níveis leves, à dor após os 50. Entretanto, a função protetora da dor permanece, e, consequentemente, adultos mais velhos ainda são sensíveis a níveis mais altos de dor e também tendem a relatar alívio inadequado da dor. Isto é problemático visto que a dor é uma consequência de muitas doenças crônicas como artrite ou câncer, que são sentidas em níveis mais altos à medida que os adultos envelhecem.
A resistência costuma manter-se muito melhor do que a força física. Sua perda resulta de uma diminuição gradativa na taxa de metabolismo basal (o uso de energia para manter as funções vitais) após os 40 anos. Habilidades usadas com frequência são mais resistentes aos efeitos da idade do que aquelas que são menos usadas; desse modo, os atletas apresentam uma perda de resistência menor do que a média.
Nível socioeconômico e raça/etnia tem ligação direta com o estado de saúde das pessoas.
. Os homens são menos propensos a buscar ajuda profissional para problemas de saúde, têm internações hospitalares mais longas e seus problemas de saúde tendem mais a ser crônicos e potencialmente fatais.
Dado o forte desempenho cognitivo da maioria das pessoas de meia-idade, a evidência de declínio cognitivo substancial em pessoas com menos de 60 anos pode indicar um problema neurológico. Particularmente, o declínio na meia-idade em memória de evocação e fluência verbal, uma medida do funcionamento executivo(as funções executivas são as habilidades cognitivas necessárias para controlar nossos pensamentos, nossas emoções e nossas ações), pode prever prejuízo cognitivo na velhice.
Inteligência fluida é a capacidade de resolver problemas novos que exigem pouco ou nenhum conhecimento prévio, como descobrir o padrão em uma sequência de figuras. Ela envolve perceber relações, formar conceitos e fazer inferências, capacidades largamente determinadas pela condição neurológica. Inteligência cristalizada é a capacidade de lembrar e utilizar a informação adquirida