Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Contribuições das intervenções pedagógicos de Mini atletismo para a formação de Bacharéis em Educação Física

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTRIBUIÇÕES DAS INTERVENÇÕES PEDAGÓGICOS DE ATLETISMO PARA A FORMAÇÃO DE BACHARÉIS EM EDUCAÇÃO FÍSICA.
CLAUDIA ELIZANDRA LEMKE
ROBERTO PINHEIRO MACHADO
RESUMO: O presente artigo visa relatar as contribuições da inserção de intervenções de mini atletismo com crianças de 08 a 11 anos para a formação profissional de acadêmicos bacharelando em educação física. O ensino do atletismo foi realizado através da metodologia do mini atletismo da IAF (Federação Internacional de Atletismo) para 30 crianças de uma escola Estadual do Município de Santo Ângelo.
PALAVRAS CHAVES: Atletismo; Mini Atletismo; Formação Profissional.
INTRODUÇÃO 
O papel do professor na formação de um aluno é fundamental, pois como afirma Cunha (1996) ele além de ensinar seus conhecimentos específicos, ele ainda é responsável por transmitir valores, maneiras de pensar e padrões de comportamento, porém o contrário também é principal, o aluno na formação de um professor. O aluno ajuda a construir a identidade do professor, ele auxilia no planejamento e serve como “cobaia” algumas vezes desse planejamento.
Para auxiliar na formação profissional dos acadêmicos do curso de Educação Física-Bacharelado da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões(URI) campus Santo Ângelo propôs na disciplina de Aprofundamento de Esportes-Atletismo intervenções em escolas do Município de Santo Ângelo. Foram realizadas 03 intervenções com duração de (uma) 01 hora aula, onde procurou-se desenvolver nas crianças as habilidades motoras básicas exercícios coordenativos utilizados no atletismo. Essas aulas proporcionaram como afirma Darido e Rangel (2005) a busca do futuro docente refletir sobre seus atos, aprendendo sobre as suas ações práticas.
EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO
Ao longo do 4º semestre do curso foram realizados estudos aprofundados sobre o atletismo, suas metodologias, e seu treinamento, foi descoberto também o mini atletismo e seus objetivos e suas metodologias. Com busca de novas experiências a professora regente da disciplina propôs aos acadêmicos (três) 03 intervenções com crianças na faixa dos 08 aos 11 anos de idade em escolas da rede de ensino de Santo Ângelo. Esta experiência relata sobre as 9(três) 03 aulas ministradas a um grupo de 30 crianças heterogenias com oito anos de idade estudantes de uma escola do Município de Santo Ângelo.
O foco principal nessa atividade é o acadêmico vivenciar como professor o que aprendera como aluno. Muitas vezes o aluno tem contato com o desportivo na faculdade, vivencia famosas sequências pedagógicas, e, no termino do semestre ou ano letivo, muitas vezes, as esqueceu ou as guardou em seu baú de conhecimentos adquiridos durante a graduação (ZAIM-DE MELO e FILGUEIRAS,2008).
	Ela vem de encontro com Darido e Rangel (2005) relatando que a ligação dos saberes profissionais mais a experiência é o ponto principal da docência. Portanto, ela deve ter continuidade, assim como o festival pois é certo que contribui para a formação de um profissional mais apto a trabalhar nas escolas e alguém com mais experiências e conhecimentos, além do “manejo” adequado com as crianças, o que faz toda a diferença. As aulas aconteceram no período da tarde no horário de Educação Física da turma.
Na primeira aula as atividades realizadas forma pequenos jogos para aquecimento; logo após pequenas estafetas propiciando diferentes tipos de deslocamento conforme o manual de min atletismo da IAF, as demais aulas aconteceram também com auxílios da mesma metodologia e com pequenos jogos motores. As aulas buscaram sempre enfatizar o movimento das crianças em todos os sentidos provocando o maior número possível de experiências.
CONCLUSÃO
No término das intervenções verificou-se que todos os objetivos foram alcançados mediante as atividades apresentadas, além do estudo realizado a respeito do ensino do atletismo para a iniciação. Ao considerar o atletismo como componente da iniciação voltada para o alcance de objetivos que não visem somente a técnica, o rendimento físico e o aperfeiçoamento de habilidades, desconsiderando esses fatores e considerando as habilidades motoras básicas, observando o ser humano (criança) em sua totalidade, trouxe algumas dificuldades.
Por isso são necessárias novas intervenções sobre diferentes perspectivas, não somente na prática de atletismo. Verificou-se também a importância da dedicação dos professores da formação acadêmica, do incentivo para os alunos trabalharem diferentes formas de intervenções, seja em clubes, escolinhas ou ambientes escolares. As evidências apontam sucesso quando há envolvimento da comunidade, resultando na melhoria da qualidade de ensino.
As formas e a conduta nos ambientes escolares no enfrentamento da realidade é bastante gratificante, o planejamento no atletismo contém vários objetivos fundamentais, porém, o foco ao desenvolvimento das capacidades e habilidades motoras.
Considerando que a criança não é um adulto em miniatura, o jogo e a ludicidade utilizados foram ampliando de forma divertida e prazerosa, além de participativa o desenvolvimento do atletismo.
Assim, o atletismo proporciona as crianças que participaram das intervenções não apenas conhecimentos isolados, mas importantes vivências fundamentais, bem como para os professores (acadêmicos) na sua formação profissional.
REFERENCIAS
CUNHA,M.I. O bom professor e sua prática.6ed. Campinas:Papirus,1996.nf.
DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação Física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 
FERREIRA, L. A. ; REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues . Reflexões sobre a fase inicial de um programa de iniciação à docência. In: XII Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, 2004, Curitiba. Anais do XII Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, 2004.
ZAIM-DE-MELO, R. ; FILGUEIRAS JUNIOR, N. . A utilização do mini-handebol como instrumento pedagógico na formação de acadêmicos de Educação Física. In: VII Encontro Nacional de Professores de Handebol das Instituições de Ensino Superior Brasileiras, 2008. VII Encontro Nacional de Professores de Handebol das IES Brasileiras. Aracaju, 2008. v. 01. p. 15-27.