Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
RELATÓRIO DE INTERVENÇÕES

Pré-visualização | Página 1 de 1

INTERVENÇÕES
acadêmicas: Cláudia Elizandra lemke; daniele GASPARIN; lúcia diello e niriane barcelos;
Departamento das ciências da saúde
Curso de educação física- bacharelado
Seminário de aprofundamento em atletismo
INTERVENÇÕES COM CRIANÇAS
REALIDADE
-Local: CRAS- CSU;
-Turma: Manhã;
-Nº de alunos: 14 alunos em média;
-Idades: 5- 11;
DIAGNÓSTICO DA TURMA
- População de considerada de risco;
- Bom espaço físico no local;
- Crianças bem ativas;
- Faixa etária diferenciada;
-Alunos coordenados que apresentam bastante vivências;
OBJETIVO GERAL
Aprimorar as habilidades básicas e as capacidades coordenativas, coordenação de multimembros, tempo de reação, equilíbrio, velocidade de membros inferiores, velocidade, resistência e ritmo a fim de auxiliar os alunos da Educação Básica no domínio de suas possibilidades motoras utilizadas no mini atletismo;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
-Vivenciar atividades que auxiliem os alunos nas habilidades básicas das corridas de velocidade a fim de aprimorar estas habilidades;
-Realizar atividades que auxiliem na habilidade básica do saltar, além dos elementos da psicomotricidade a fim de que os alunos adquiram domínio de suas habilidades motoras;
-Experimentar atividades que auxiliem no conhecimento das habilidades do corpo e no desenvolvimento das habilidades básicas do saltar e correr;
ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS
Individualmente;
Em pequenos grupos;
No grande grupo;
Circuitos psicomotores, circuitos de agilidade e velocidade e de habilidades motoras básicas.;
PLANEJAMENTO
-Estafetas;
-Corridas com Skipping alto;
-Corridas com skipping baixo;
-Corridas laterais;
-Corridas com retorno de costas;
-Deslocamentos até os cones e realização de um polichinelo;
-Deslocamentos até os cones com a realização de flexões de tronco;
*Corrida sobre os discos determinados por um espaço com elevação do joelho frontalmente;
 *Corrida sobre os discos com saltos alternando os pés;
*Deslocamentos em zigue- zague por entre os discos, em espaços delimitados;
 *Realizar a elevação lateral do joelho com pequenos saltitos (como transposição de barreiras);
 *Saltos com os pés alternados;
 * Corrida entres os cones com sequência de toques nos cones alternando as mãos, quando a corrida fosse frontal seria o toque com a mão direita e no retorno com a mão esquerda;
*Corrida em suicídio: tocando os cones e retornando por espaços delimitados;
* Corrida de coordenação entre os cones;
* Circuito de bambolês com arremesso entre os cones;
PONTOS POSITIVOS
Turma ativa e disposta;
Vivência acadêmica proporcionada;
O aprendizado em relação a aplicação das habilidades e de como ensiná-las;
PONTOS NEGATIVOS
- Pouco tempo proposto;
-Intervenções não acumulativas;
- Poucas vivências dos acadêmicos sobre as intervenções de atletismo;
INTERVENÇÃO COM OS ACADÊMICOS
REALIDADE
-Capacidade de força de membros inferiores baixa;
-Pequena resistência muscular;
- Não apresentaram corrida ritmada;
-Pouca elevação de membros inferiores na corrida evitando o movimento de grife;
OBJETIVO GERAL
Aprimorar as capacidades físicas e técnicas utilizadas nas corridas em velocidade, salto em distância, corridas de resistência a fim de auxiliar os acadêmicos na melhoria de seu desempenho nessas modalidades de atletismo;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Aprimorar o gesto técnico das corridas de velocidade além de coordenar os movimentos da mesma;
-Melhorar a técnica de saída baixa, conhecendo e desenvolvendo ações motoras para a realização da mesma a fim de auxiliar os alunos na execução da mesma;
-Melhorar a força de membros inferiores das acadêmicas para melhor posicionamento na corrida, melhor ritmo e resistência;
ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS
-Treinamento individualizado com planejamento em grupo onde cada indivíduo desenvolvia a sua habilidade a partir de suas vivências, de seu nível e de sua velocidade e/ou resistência. Os exercícios trabalhados foram os mesmos para todas as acadêmicas, porém todos executados no nível, respeitando sempre a individualidade biológica;
PONTOS POSITIVOS
- Planejamento das intervenções;
- Construção das aulas;
PONTOS NEGATIVOS
- Falta de continuidade para o trabalho;
- Falta de organização dos procedimentos;