Antipsicotico

Antipsicotico


DisciplinaFarmacologia para Enfermagem613 materiais20.984 seguidores
Pré-visualização1 página
*
*
ANTIPSICÓTICOS
*
*
FÁRMACOS ANTIPSICÓTICOS
Os fármacos antipsicóticos referem-se àqueles utilizados para controlar sintomas psicóticos (delírios, alucinações e transtornos do pensamento) que podem ocorrer na esquizofrenia, na mania e em outras psicoses. 
Agonistas de 5-HT causa psicose, LSD.
Farmacologicamente, caracterizam-se como antagonistas dos receptores da dopamina D2 e antagonistas dos receptores 5 HT.
A esquizofrenia afeta cerca de 1% da população. É uma das formas mais importantes de doença psiquiátrica porque afeta jovens, costuma ser crônica e altamente incapacitante.
As características clínicas da doença dividem-se em:
Sintomas positivos: delírios, alucinações, distúrbios do pensamento e comportamentos anormais, como movimentos estereotipados e, algumas vezes agressivos.
Sintomas negativos: retraimento dos contatos sociais e nivelamento das respostas emocionais.
*
*
FÁRMACOS ANTIPSICÓTICOS
Etiologia e Patogênese da esquizofrenia
- Teoria da dopamina \u2013 Anfetamina aumenta os niveis de dopamina.
FÁRMACOS ANTIPSICÓTICOS 
Classificação dos fármacos antipsicóticos
As principais categorias são:
- Antipsicóticos de primeira geração \u201ctípicos\u201d (clorpromazina-Amplictil, haloperidol, flufenazina, flupentixol, clopentixol) \u2013 Antagonistas dopaminérgicos. Reduzindo Alucinações e ilusões.(Sintomas positivos)
- Antipsicóticos de segunda geração \u201catípicos\u201d (clozapina, risperidona, sertindol, quetiapina, amissulprida). Antagonistas 5 \u2013HT. Reduzindo isolamento social, apatia (Sintomas negativos e positivos). 
Mecanismo de ação
Todos os fármacos antipsicóticos são antagonistas nos receptores D2 de dopamina, porém a maioria tambem bloqueia outros receptores de monoaminas principalmente 5-HT.
*
*
DROGAS ANSIOLÍTICAS E HIPNÓTICAS
Efeitos adversos
Distúrbios motores induzidos por antipsicóticos
Ocorrem dois tipos principais de distúrbios:
Distonias agudas reversíveis e sintomas semelhantes aos da doença de Parkinson.
Discinesia tardia com desenvolvimento lento, muitas vezes irreversível.
Sintomas agudos compreendem movimentos involuntários, tremor e rigidez consequencia do bloqueio dos receptores dopaminérgicos. 
Distúrbios endócrinos \u2013 Hiperglicemia, ganho de peso, aumento da produção de Prolactina, impotência,perda de libido.
Secundários: Sedação, hipotensão e ganho de peso também são comuns.
Boca seca, visão embaçada, hipotensão (devido bloqueio dos receptores adrenérgicos alfa e colinérgicos muscarínicos).
Icterícia obstrutiva com os fenotiazínicos.
*
*
DROGAS ANTIPSICÓTICAS
Farmacocinética
A clorpromazina, em comum com muitos outros fenotiazínicos são absorvidos por via oral.
A relação entre dose e efeito é altamente variável.
A meia-vida plasmática da maioria dos antipsicóticos é de 15-30 horas.
As vias de administração são oral e intramuscular.
Usos clínicos dos antipsicóticos
EMERGÊNCIAS COMPORTAMENTAIS 
- Pacientes violentos, com mania, delírio tóxico, esquizofrenia e outras.
- Antipsicóticos clássicos: clorpromazina e haloperidol (para controlar pacientes hiperativos)
ESQUIZOFRENIA
- Muitos esquizofrênicos crônicos são tratados com antipsicóticos de primeira geração.
*
*
CARBONATO DE LÍTIO
LÍTIO
O carbonato de lítio e o citrato de lítio são estabilizadores do humor usados na prevenção ou no tratamento da mania. 
FARMACOCINÉTICA
Quando tomado por via oral, o lítio é absorvido rápida e completamente sendo distribuído aos tecidos corporais. O lítio não é metabolizado sendo excretado de forma inalterada.
FARMACODINÂMICA 
Na mania, uma teoria é de que o paciente apresenta uma estimulação excessiva pelas catecolaminas. Acredita-se que o lítio aumenta a captação de NA e serotonina reduzindo a mania, além de regular sua liberação na depressão.
Apresenta estreita margem de segurança. 
Efeitos adversos: Sede, poliúria. Na toxicidade: letargia e confusão mental.
*
*
FÁRMACOS ANTIEPILÉPTICOS
A epilepsia é um distúrbio muito comum, caracterizado por crises , que assumem várias formas e decorrem de descargas neuronais episódicas; o tipo da crise depende da parte do cérebro afetada.
Muitas vezes, não há causa reconhecível, embora ela possa se desenvolver de dano cerebral, como trauma, infecção ou crescimento tumoral. 
É tratada com fármacos, porém em alguns casos necessita de tratamento cirúrgico.
Os antiepilépticos atuais são eficazes em controlar as crises em cerca de 70% dos casos , seu uso é limitado devido seus efeitos adversos. Também é utilizado para tratar convulsões.
MECANISMO DE AÇÃO DOS ANTIEPILÉPTICOS
Três mecanismos principais parecem ser importantes na ação dos antiepiléticos:
Potencialização da ação do GABA;
Inibição da função dos canais de sódio;
Inibição da função dos canais de cálcio;
*
*
*
*
FARMACOS ANTIEPILEPTICOS	
Potencialização da ação do GABA;
- Vários antiepilépticos potencializam a ativação dos receptores GABAa, facilitando a abertura dos canais de cloreto.
Inibição da função dos canais de sódio
- Fenitoína, carbamazepina, valproato, lamotrigina atuam bloqueando a excitação das células que estão disparando repetitivamente reduzindo a crise convulsiva.
Inibição dos canais de cálcio
- Etossuximida atua bloqueando os canais de cálcio reduzindo as crises epilépticas.
ANTIEPILÉPTICOS
- FENITOÍNA (Hidantal) \u2013 Atua principalmente por bloqueio uso-dependente nos canais de sódio. São comuns nas interações medicamentosas, amplamente usada no tratamento de epilepsia.
- CARBAMAZEPINA (tegretol)\u2013 Derivada dos antidepressivos tricíclicos, perfil semelhante ao da fenitoína, mas com menos efeitos adversos.
*
*
FARMACOS ANTIEPILEPTICOS	
Tipos de antiepilépticos
- VALPROATO - Mecanismo de ação obscuro; inibição fraca da GABA transaminase , algum efeito sobre os canais de sódio. Poucos efeito adversos: calvície, lesão hepática e teratogenicidade.
- ETOSSUXIMIDA \u2013 O principal farmaco para tratar crise de ausência. Atua bloqueando os canais de cálcio. Poucos efeitos adversos nauseas e anorexia.
- Farmacos secundários incluem: fenobarbital (altamente sedativo) e vários benzodiazepínicos (clonazepan, enquanto o diazepan é utilizado no tratamento do mal apiléptico).
Antieplépticos mais modernos \u2013 VIGABATRINA, FELBAMATO, LAMOTRIGINA
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*