A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
187 pág.
DIREITO PENAL CONSTITUCIONAL  CRIMES EM ESPÉCIE

Pré-visualização | Página 13 de 40

o crime de lesão corporal previsto no Código de Trânsito 
Brasileiro (Lei nº 9.503/1997). 
b) Praticou o crime de lesão corporal grave pela debilidade permanente de 
membro, previsto no Artigo 129, § 1º, III, do CP. 
c) Praticou o crime de lesão corporal grave pela perda de membro, previsto 
no Artigo 129, § 2º, III, do CP. 
d) Praticou o crime de lesão corporal culposa previsto no Artigo 129, § 6º, 
do CP. 
e) Não praticou crime. 
 
Questão 6 
(TJ-CE – Juiz – 2014) Se praticado no contexto de violência doméstica, a ação 
será pública incondicionada no caso de crime de: 
a) Lesão corporal contra a mulher, mas apenas se grave. 
b) Ameaça, independentemente da condição da vítima. 
c) Lesão corporal leve contra pai. 
d) Ameaça contra mulher. 
e) Lesão corporal contra mulher, independentemente da extensão. 
 
 
 
 
 
Questão 7 
Segundo o entendimento jurisprudencial hoje preponderante, a lesão corporal 
respectivamente simples e qualificada ocorrida no Brasil (Cód. Penal, Artigo 129 
e seus parágrafos) é um crime de ação penal: 
a) Pública incondicionada e de ação penal privada. 
b) Pública condicionada à representação e de ação penal privada. 
c) Pública condicionada à representação e incondicionada. 
d) Privada e de ação penal pública condicionada à representação. 
e) Pública e exclusivamente condicionada à representação. 
 
Questão 8 
(Delegado de Polícia - ES – 2013) Joseval, no calor de uma discussão com 
Marinalda, sua namorada, por divergências esportivas, pois torcem para times 
distintos, desferiu um soco no rosto dela, que resultou em lesão; após isso, 
Marinalda passou a não sentir mais paladar. Assim, Joseval: 
a) Deve responder pelo crime de lesão corporal simples. 
b) Deve responder pelo crime de lesão corporal grave. 
c) Deve responder pelo crime de lesão corporal gravíssima. 
d) Deve responder pelo crime de violência doméstica. 
e) Não deve responder por crime algum, pois a imputabilidade fica excluída 
pela emoção ou pela paixão. 
 
Questão 9 
(TJ-GO – Juiz – 2012) No crime de lesão corporal leve praticado no âmbito de 
violência doméstica (Artigo 129, § 9º, do Código Penal), a ação penal é: 
 
 
a) Pública incondicionada, se a agressão se der do marido contra a mulher. 
b) Pública incondicionada, em qualquer hipótese, segundo entendimento 
sumulado do STF. 
c) Privada, se a agressão se der de irmão contra irmão. 
d) Privada, se a agressão se der do filho maior contra o pai. 
e) Pública condicionada, em qualquer hipótese. 
 
Questão 10 
(TJ-PE – JUIZ – 2011) No crime de lesão corporal praticado no contexto de 
violência doméstica (Artigo 129, § 9º, do Código Penal): 
a) O sujeito passivo é sempre a mulher. 
b) É necessário que a vítima conviva com o agente. 
c) Não incide a agravante de o crime ser cometido contra cônjuge, se a 
ofendida é casada com o autor. 
d) A pena é aumentada de 1/6 (um sexto), se o crime for cometido contra 
pessoa portadora de deficiência. 
e) Não basta que se prevaleça o agente de relação de hospitalidade. 
 
Questão 1 - C 
Justificativa: O crime de lesão corporal qualificado pelo aborto é crime 
preterdoloso, pois, se houver dolo em ambas as condutas, não há que se falar 
em consunção, mas em concurso de crimes. 
 
Questão 2 - B 
 
 
Justificativa: Não há previsão no Artigo 303 da Lei nº 9.503/1997 de que o 
crime tenha sido praticado em via pública. 
 
Questão 3 - A 
Justificativa: O motorista, por ter causado o resultado, responde pelo aumento 
de pena. Já o passageiro, por não estar na direção do veículo, está no dever de 
solidariedade previsto no Artigo 135 do CP. 
 
Questão 4 - D 
Justificativa: Conforme dispõe o § 7º do Artigo 129, aplica-se o aumento de 
pena para os casos previstos no Artigo 121, § 4º, do Código Penal. 
 
Questão 5 - D 
Justificativa: Houve crime culposo, não importando a extensão das lesões. 
 
Questão 6 - E 
Justificativa: A Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.424 decidiu a favor da 
possibilidade de o Ministério Público dar início a ação penal sem necessidade de 
representação da vítima. 
 
Questão 7 - C 
Justificativa: O crime de lesão corporal leve é de ação penal pública 
condicionada à representação, por força do Artigo 88 da Lei nº 9.099/1995. 
 
Questão 8 - C 
Justificativa: De acordo com Fernando Capez, "a modificação da Lei nº 
10.886/2004 acabou sendo tímida, visto que a conduta continua a configurar 
infração de menor potencial ofensivo e a ação penal condicionada à 
representação do ofendido. Na hipótese de lesões de natureza grave, 
gravíssima e de lesão seguida de morte (CP, Artigo 129, §§ 1º, 2º e 3º), não 
incide a qualificadora do mencionado § 9º, até por uma razão óbvia: a pena 
nele cominada é bastante inferior, de maneira que seria extremamente 
 
 
vantajoso agredir um parente, um cônjuge ou a companheira de modo grave 
ou gravíssimo. Evidentemente, não é o caso. A qualificadora incide mesmo 
apenas em relação às lesões dolosas leves". 
 
Questão 9 - A 
Justificativa: Não se aplica a regra do Artigo 88 da Lei nº 9.099/1995, sendo a 
ação penal pública incondicionada. 
 
Questão 10 - C 
Justificativa: A incidência de agravante genérica caracterizaria bis in idem. 
 
Introdução 
Neste material, será realizado o estudo da honra como fator de criminalização, 
bem como a compatibilidade dos tipos vigentes com a Carta Republicana e as 
consectárias questões de direito constitucional. 
 
Também será objeto de estudo a particularidade da iniciativa da ação penal que 
afeta os delitos contra a honra, bem como os institutos do pedido de 
explicações em juízo, retratação e exceção da verdade. 
 
Para tanto, serão utilizados casos concretos e narrativas como elementos 
disparadores para os debates e enfrentamento das questões controvertidas e 
recentes discussões doutrinário-jurisprudenciais sobre o tema. 
 
Objetivo: 
1. Diferenciar honra objetiva e honra subjetiva para fins de tipificação das 
condutas; 
 
 
 
2. Identificar os aspectos gerais dos delitos contra a honra e a possibilidade de 
exclusão de responsabilidade jurídico-penal. 
Conteúdo 
Conceito de honra 
A honra integra o direito fundamental de personalidade, previsto no Artigo 5º, 
X, da Constituição da República Federativa do Brasil (CRFB) e pode ser 
compreendida como o “conjunto de predicados da pessoa que lhe confere 
condição social e estima própria”. (NORONHA, 1972, p. 111). 
 
Para que possamos identificar a qual tipo penal a conduta poderá ser incursa, é 
importante diferenciar honra objetiva e subjetiva. 
 
Honra objetiva 
A honra objetiva “relaciona-se à reputação e à boa fama que o indivíduo 
desfruta no meio social em que vive”. (CUNHA, 2009, p. 80-81). 
 
Honra subjetiva 
A honra subjetiva refere-se “à dignidade e ao decoro pessoal da vítima, isto é, 
o juízo que cada indivíduo tem de si – estima própria”. (CUNHA, 2009, p. 80-
81). 
 
Disponibilidade do bem jurídico-penal 
No âmbito jurídico-penal, o direito à honra apresenta-se como disponível e, 
portanto, passível de validade do consentimento do ofendido para fins de 
exclusão de responsabilidade. Para que o consentimento do ofendido seja 
válido, é necessário que: o bem jurídico tutelado seja disponível, o ofendido 
tenha capacidade para consentir e que o consentimento seja válido. 
 
Dessa forma, necessário identificar o momento no qual o ofendido consente 
com a prática da ofensa para, então, analisar suas consequências. Ou seja, 
 
 
caso o consentimento do ofendido seja prévio à ofensa, a conduta será atípica. 
Por outro

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.