A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
CEL0066-WL-AV2-Educação Ambiental-Prova-07

Pré-visualização | Página 2 de 2

socialmente. 
 
A razão de ser dessa política demandava uma intervenção maciça por parte do Estado, que não podia 
mais se apoiar simplesmente na disputa em tribunais, caso a caso (esfera do Direito Civil), sendo 
necessário dispor de instrumentos vinculados ao Direito Administrativo. 
 
Mesmo antes do início do século XX, o campo político e institucional brasileiro tinha extrema preocupação 
com os problemas ambientais, graças principalmente à abundância de terras férteis e de outros recursos 
naturais, enaltecida desde a Carta de Caminha ao rei de Portugal. 
 
Os países desenvolvidos ainda encontram-se hoje em dia na primeira etapa da política ambiental e que, 
à falta de melhor nome, poderíamos chamar de política ¿mista¿ de comando e controle. 
 
 
 
 8a Questão (Ref.: 201201833385) Pontos: 0,0 / 0,5 
NÃO diz respeito a um princípio da PNMA: 
 
 
Racionalização do uso de material urbano, do tratamento de esgoto rural , da atmosfera e do ar 
 
Controle e zoneamento das atividades potencialmente ou efetivamente poluidoras 
 
Proteção dos ecossistemas; 
 
Planejamento e fiscalização do uso dos recursos naturais 
 
Equilíbrio ecológico, considerando o meio ambiente como patrimônio público 
 
 
 
 9a Questão (Ref.: 201202006161) Pontos: 1,0 / 1,0 
Após o anúncio pela mídia de uma grande tragédia que ocorreu no verão da cidade de Nova Friburgo, RJ, em 
2011, na qual várias vítimas tiveram suas casas soterradas, um professor de Biologia levou para sala de aula: 
um tapete de grama natural (usado na plantação dos gramados); um quilo de argila; duas bacias retangulares; 
e dois litros de água. Em uma das bacias, colocou o tapete de grama, e na outra espalhou a argila, de tal forma 
que estes dois substratos ocupassem metade da área da bacia. Ele inclinou cada uma delas, deixando a argila e 
o tapete de grama na parte mais elevada. Em seguida, distribuiu a água para dois alunos e pediu para que estes 
a derramassem delicadamente sobre cada um dos dois substratos. Na bacia com o tapete de grama, a água 
escorreu límpida e o gramado permaneceu íntegro. Por outro lado, na bacia que continha o substrato argiloso 
formou-se uma poça de lama. Depois deste experimento o professor anotou no quadro o tema da aula: Erosão e 
desastres naturais e várias perguntas para discussão. Esta metodologia de aula se encaixa em qual teoria? 
 
 
Na teoria Crítica, já que o experimento foi realizado após um grande desastre ambiental que havia sido 
amplamente divulgado pela mídia e os discentes tiveram a oportunidade de discutir o tema. 
 
Na Teoria Crítica, uma vez que o professor permitiu que o aluno construísse sozinho seu conhecimento a 
respeito do processo de erosão, de maneira desvinculada da realidade social. 
 
Na Teoria Bancária, pois podemos observar claramente o caráter autoritário do professor, ao querer 
controlar todos os momentos da aula, realizando um experimento meramente expositivo. 
 
Na Teoria Clássica, já que o experimento está sendo usado para confirmar aquilo que os alunos já 
conheciam a respeito da erosão e sua relação com os desastres naturais. 
 
Na Teoria Tradicional, uma vez que o objetivo do professor foi depositar no aluno a informação de que a 
erosão é provocada pelo desmatamento das encostas. 
 
 
 
 10a Questão (Ref.: 201201848313) Pontos: 1,0 / 1,0 
Mucci (2005, p. 15-16) apresenta um breve histórico antropológico onde ressalta a incrível capacidade humana 
para modificar os ambientes onde habita. A partir das conjecturas do autor devemos afirmar que 
Fonte: MUCCI, José Luiz Negrão. Introdução às ciências ambientais. In: PHILIPPI JR, Arlindo; PELICIONI, Maria Cecília Focesi (edts). Educação 
ambiental e sustentabilidade, São Paulo: MAnolo, 2005, p. 15-37. 
 
 
A capacidade de suporte de um ecossistema pode ser mantida integralmente, mesmo com a perda de 
boa parte dos elemetos que o constituem. 
 
O futuro exigirá, cada vez mais, a utilização de recursos do meio ambiente. 
 
Apesar do uso intensivo praticado pelo homem, os ecossistemas não sofreram danos significativos em 
seus processos dinâmicos. 
 
Os ecossistemas posssuem meios de recuperar as perdas já ocorridas porque sua regeneração é muito 
rápida 
 
Os aspectos culturais não precisam ser considerados nos processos de exploração ambiental