A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Prova AV3 Penal II   concluido

Pré-visualização | Página 1 de 2

Prova av3 processo penal II - concluido
1.sobre o tema citação e intimação, marque a opção correta:
 RESPOSTA: no rito sumaríssimo, não é cabível por edital.
2.(FGV – 2014 –TJ/RJ – Técnico de atividade Judiciária). Foi oferecida e recebida denúncia em desfavor de Leonardo pela prática do crime de roubo. O Oficial de Justiça, Carlos compare- ceu em três oportunidades ao endereço do réu em busca de realizar sua citação, não o encon trando, porém. Constatando que Leonardo buscava na verdade, se ocultar, certificou tal fa- to. Diante disso, procederá o oficial a citação:
 RESPOSTA: por hora certa.
3.O CPP brasileiro, ao tratar da competência jurisdicional por conexão ou continência, deter- mina a observância da seguinte regra:
 RESPOSTA: pena mais grave, exceto no caso de crimes conexos de competência fede- ral e estadual, em que a competência será sempre da Justiça Federal.
4. (FCC – 2009 – TJ/AP– Analista Judiciário - área judiciária – execução de Mandados). O pro- cedimento previsto no CPP para apuração de infrações penais será:
 RESPOSTA: sumário, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada se- ja inferior a quatro anos de pena privativa de liberdade.
5. (FCC – 2014 – TJ/AP – Juiz). Nos procedimentos ordinário e sumário, oferecida a denúncia ou queixa, o Juiz, se não a rejeitar liminarmente, recebe-la-á e ordenará a citação do acusado para responder à acusação. Apresentada a resposta, NÃO é causa expressa de absolvição du- maria, de acordo com o CPP.
 RESPOSTA: a inépcia manifesta da denúncia.
6. (FEC – 2012 – PC/RJ – Inspetor de Polícia). De acordo com o CPP, nos crimes de responsabi- lidade de funcionários públicos, quando afiançáveis, o prazo de resposta do acusado, antes do recebimento da denúncia ou queixa, é de:
 RESPOSTA: 15 (quinze) dias. 
7. Laura foi vítima do crime de roubo, tipificado no Art. 157 – CP, uma vez que Júnior, medi- ante o emprego de violência, subtraiu sua bolsa quando Laura estava saindo de uma loja no centro de Recife. O promotor de justiça competente ofereceu denúncia contra Júnior, entre- tanto, o Juiz da 1ª Vara Criminal do Recife, capital do Estado de Pernambuco, rejeitou a de- núncia sob alegação de falta de condição para o exercício da ação penal, uma vez que Júnior sofrera um acidente de trânsito dias depois do crime e estava inconsciente temporariamen- te, razão pela qual não existia interesse processual, nos termos do Art. 395, II do CPP. Em fa- 
a) qual o recurso cabível para atacar a decisão do Juiz?
 RESPOSTA: recurso em sentido estrito – Art. 581 – CPP
b) qual o prazo para a interposição do recurso?
 RESPOSTA: 5 (cinco) dias – Art. 587, § único – CPP.
c) de quem será a competência para julgar o referido recurso?
 RESPOSTA: Tribunais de Apelação 
 TJ - Tribunal de Justiça ou 
 TRF – Tribunal Regional Federal, quando da competência Federal.
8. (V EXAME DE ORDEM UNIFICADO). João e Maria iniciaram uma paquera no Bar X na noite de 17/01/2011. No dia 19 de janeiro do corrente ano, o casal teve uma séria discussão, e Ma- ria, nitidamente enciumada, investiu contra o carro de João, que já não se encontrava em bom estado de conservação, com três exercícios de IPVA inadimplentes, a saber: 2008, 2009 e 2010. Além disso, Maria proferiu diversos insultos contra João no dia de sua festa de for- matura, perante seu amigo Paulo, afirmando ser ele “covarde”, “corno” e “frouxo”. A reque- rimento de João, os fatos foram registrados perante a delegacia policial, onde a testemunha foi ouvida. João comparece ao seu escritório e contrata seus serviços profissionais, a fim de serem tomadas as medidas legais cabíveis. Você, como profissional diligente, após verificar não passado o prazo decadencial, interpõe queixa-crime ao juízo competente no dia 18/7 /11. O Magistrado ao qual foi distribuída a peça processual profere decisão rejeitando-a, a- firmando tratar-se de clara decadência, confundindo-se com relação com relação á contagem do prazo legal. A decisão foi publicada dia 25/07/2011. Com base somente nas informações acima, responda:
a) qual é o recurso cabível contra essa decisão?
 RESPOSTA: inicialmente, convém fixar que no caso retratado na questão, tem-se a tipificação dos delitos de dano simples (Art. 163 – CP) e injúria (Art. 140 – CP), cujas penas máximas, somadas, não ultrapassam o limite de dois anos, o que atrai a competência do Juiza- do Especial Criminal. 
 No rito dos Juizados, o Recurso cabível da decisão que rejeita a quei- xa crime é a APELAÇÃO – LEI 9.099/95, Art. 82.
b) qual o prazo para a interposição do Recurso?
 RESPOSTA: 10 (dez) dias – Art. 82, §1º - Lei 9.099/95.
c) a quem deve ser endereçado o Recurso?
 RESPOSTA: A Turma Recursal – Lei 9.099/95 – Art. 82.
d) qual a tese defendida?
 RESPOSTA: na Apelação, deve-se argumentar que o prazo para propositura da queixa-crime é de 06 (seis) meses, a contar do dia em que a vítima soube quem era o autor do fato (Art. 39 –CPP). Tal prazo tem natureza decadencial, ou seja, é de direito material e deve ser contado nos moldes do Art. 10 – CP. “Incluindo o 1º dia e excluindo o último”, a queixa- cri- me proposta por João é tempestiva, porque, foi proposta no último dia do prazo: 18/07/2011.
9. Descobriu-se que integrou o Conselho de Sentença o Jurado Marcelo, que havia participa- do do Julgamento de Pedro, có-réu no mesmo processo, condenado por crime de roubo cone xo ao delito pelo qual Antônio do condenado. Pergunta-se: qual a defesa que poderá ser a- presentada pelo Defensor de Antônio em eventual Recurso interposto?
 RESPOSTA: poderá alegar a nulidade do julgamento, com base na Súmula 206 -STF. Ainda que seja relativa, no caso apresentado a nulidade será absoluta, porque o réu foi condenado e o prejuízo ficou evidente. Desta forma, não pode servir no conselho quem tiver tomado parte como jurado em julgamento anterior, inclusive de có-réu, Art. 449, I – CPP.
10. Herculino foi condenado a 20 anos de reclusão pela prática de latrocínio. Na sentença condenatória, o Juiz demonstra clara contradição entre as razões de sua fundamentação com a sua decisão, principalmente ao acolher os depoimentos favoráveis das testemunhas de de- fesa bem como ao considerar boa a tese de desclassificação apresentada em alegações finais orais sob o argumento de violação de princípio constitucional (prova obtida por meio ilícito). Sabendo que a decisão foi prolatada em AIJ no dia 16 de junho, pergunta-se: 
a) qual o instrumento cabível, no caso em tela, para obter o esclarecimento da contradição?
 RESPOSTA: Embargos de declaração – Art. 619 – CPP, uma vez que existe expli- citamente contradição entre a fundamentação exposta pelo Magistrado e o que fora registra- do na parte dispositiva.
b) qual o último dia para interposição do instrumento citado na questão anterior?
 RESPOSTA: no caso em tela, como a sentença fora prolatada em 16/06, conta-se a partir de sua publicação em diário oficial, sendo, assim entendido que ocorrerá em 17/06, portanto, conta-se dois dias após este último ato, então o dia final é 19 de junho.
c) levando em consideração que a decisão dos embargos se deu no dia 16 de junho (quinta-feira) qual a data máxima para a interposição do recurso cabível contra a sentença condena- tória?
 RESPOSTA: caberá apelação no prazo de 5 dias, tendo início após a efetiva ci-ência por intimação a decisão que julgou os embargos, isto é, como título de exemplo, se a ci- ência ocorrer no dia 17 de junho. Assim, como é 6ª feira, conta-se