A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Principais componentes químicos das células

Pré-visualização | Página 1 de 1

Principais componentes químicos das células
As células são formadas por biomoléculas, ou seja, macromoléculas distintas, como as proteínas, os ácidos nucleicos, os lipídios e os carboidratos.
Essas macromoléculas são compostas basicamente de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio.
 
Água e os eletrólitos formam os componentes inorgânicos da célula, assim como as vitaminas ( compostos orgânicos), que desempenham papéis importantes na manutenção de suas funções.
Proteínas
As proteínas são macromoléculas compostas por aminoácidos entre si formando cadeias polipeptídica. São as biomoléculas mais abundantes nas células, constituindo 50% ou mais de seu peso seco.
Os aminoácidos presentes na proteínas possuem:
 ●grupo NH2 (amino) – ligado ao carbono alfa;
 ●grupo COOH (carboxila) – ligado ao carbono alfa.
	Ambos caracterizam as cargas elétricas do composto. São grupamentos ionizáveis e dependem do pH do meio.
 
Nas células, as proteínas podem ser:
● simples – presentam somente aminoácidos em sua estrutura;
● conjugada – apresentam uma parte proteica e uma não proteica, chamada de grupo prostético.
Proteínas Compostas
GrupoProstético
Nucleoproteínas
Ácidos nucléicos
Glicoproteínas
Polissacarídeos
Lipoproteínas
Lipídios
Fosfoproteínas
Fósforo
Papel biológico das proteínas
As proteínas são encontradas em todas as partes das células, uma vez que são peças importantes na estrutura e função celular. 
Cada tipo de molécula proteica possui sua função biológica específica, como, por exemplo, as estruturais na membrana, as transportadoras, os fatores de crescimento e diferenciação, os hormônios e as enzimas.
As enzimas são proteínas especiais com ação catalisadora (biocatalisadores orgânicos), participando na aceleração das reações químicas, as quais dificilmente se realizariam sem elas.
São produzidas pela própria célula e podem estar na forma ativa ou inativa, dependendo do processo bioquímico do qual façam parte. 
As enzimas participam as reações químicas sem serem consumidas no processo, porém, podem ser inibidas ou induzidas, o que altera uma função biológica específica.
Ácidos Nucleicos 
Os ácidos nucleicos estão sempre associados a proteínas e corresponde à base química da herança genética.
São de dois tipos: ácido desoxirribonucleico (DNA) e o ácido ribonucleico (RNA). 
A base para a estrutura dos ácidos nucleicos são: 
1 molécula de ácido fosfórico (fosfato);
1 pentose;
1 base púrica∕pirimídica.
 Pentose 
O
Base púrica ou pirimídica 
Fosfato
A bases púricas são adenina (A) e a guanina (G), já as bases pirimídicas são timina (T), a citosina (C) e a uracila (U).
● DNA – é formado pela desoxirribose +adenina/guanina/citosina/timina. Possui duas cadeias de nucleotídeos em forma de hélice.
As bases púricas estão localizadas no interior da hélice e dispostas paralelamente.
adenina-timina – formam duas pontes de hidrogênio.
guanina – citosina – formam três pontes de hidrogênio.
●RNA – é formado pela ribose e pelas bases nitrogenadas + uracila (substitui a timina). Molécula de filamento único. Tipos: RNA de transferência, mensageiro e ribossômico. 
Lipídios
Os lipídios celulares são compostos à base de carbono; na célula, podem tanto constituir sua estrutura como estar na forma de reserva nutritiva.
São moléculas de cadeias carbônicas longas e possuem uma extremidade polar e um apolar.
Os principais lipídios encontrados nas células são os ácidos graxos, que fazem parte das moléculas de triglicerídeos e fosfolipídios, além do colesterol, que faz parte da membrana e é a base para a formação de hormônios.
Lipídios estruturais
Componentes estruturais de todas as membranas celulares;
● Membrana plasmática;
● Envoltório nuclear;
● Envoltório de organelas;
● Moléculas longas com extremidade polar e cadeia apolar.
Ácidos graxos:
Saturados: possuem apenas ligações simples entre os átomos de carbono, o que significa que não têm disponibilidade para receber mais átomos de hidrogênio.
Insaturados: possuem uma ou mais ligações duplas entre os átomos de carbono, o que lhes permite receber átomos de hidrogênio na molécula.
Colesterol:
● abundante na membrana plasmática de células animais;
● esterol;
● reduz a fluidez das membranas;
● não está presente nos vegetais.
	Os lipídios são compostos energéticos. Na falta de glicose, a célula muda seu metabolismo, promovendo a oxidação dos lipídios para liberação de energia. 
	Uma molécula lipídica fornece o dobro das calorias quando comparada uma molécula de glicose, porém o processo para sua utilização é lento e a célula tem preferência por metabolizar carboidratos.
Carboidratos
Os carboidratos são cadeias carbônicas ricas em hidrogênio e oxigênio, sendo a relação entre hidrogênio e oxigênio igual a 2 para 1.
Os carboidratos constituem a principal fonte de energia para a célula e participam estruturalmente da composição do DNA e do RNA, bem como de estruturas como o glicocálix da membrana. Durante os processos metabólicos, podem ser convertidos em lipídios.
Os principais tipos de carboidratos são:
Monossacarídeos – correspondem à menor porção dos carboidratos com valor biológico. São as hexoses, que recebem este nome por possuírem seis carbonos (C6H12O6): glicose, frutose e galactose), e as pentoses, que possuem cinco carbonos: ribose (C5H10O5) e desoxirribose (C5H10O4)
Dissacarídeos – formados pela combinação de dois monossacarídeos. Os principais são:
Maltose (glicose+glicose) – é produto da hidrólise do amido.
Sacarose (glicose+frutose) – é o açúcar a cana e da beterraba.
Lactose ( glicose + galactose) – é o açúcar do leite.
Polissacarídeos : são formados por várias moléculas de glicose ligadas entre si formando as estruturas de reserva energética da células (glicogênio na célula animal e amido na célula vegetal).
	com relação à água, esta é considerada solvente universal e sua qualidade nas células corresponde ao grau de atividade por ela executada. Assim, quando maior atividade celular, maior será o conteúdo de água.
	As células musculares e nervosas, por exemplo, possuem aproximadamente 70%de água em sua constituição, enquanto as células ósseas possuem apenas 25%.
	A relação entre a água e os eletrólitos é fundamental para o equilíbrio osmótico da célula e também da manutenção de seu conteúdo intracelular, processos metabólicos, reações enzimáticas, transporte, respiração celular, movimento celular e síntese de energia.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.