Aula Anemia falciforme
36 pág.

Aula Anemia falciforme


DisciplinaGenética Médica237 materiais3.678 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Hemoglobinopatias 
Hereditárias 
Disciplina Genética Médica 
João Farias Guerreiro 
Estrutura e função da 
hemoglobina 
Tetrâmero onde cada unidade é constituída por uma cadeia 
polipeptídica (globina) e um grupo prostético (heme), um 
pigmento que se combina com oxigênio e confere à molécula a 
capacidade de transportar oxigênio. 
 
Os genes de globinas 
e Gg Ag yb d b 
z yz 
 
ya a2 a1 
Hemoglobinas 
Ontogenia 
 
z2e2 
Gower I 
z2 Gg2 
z2 Ag2 
Portland 
a2e2 
Gower II 
a2 Gg2 
a2 Ag2 
Fetal 
a2d2 a2b2 
A2 A1 
Cromossomo 11 
e Gg Ag d b 
z 
a2 
Cromossomo 16 
a1 
Embrionário Fetal Adulto Período 
Hemoglobinopatias Hereditárias 
\uf06e As hemoglobinopatias mais comuns são: 
 A) Talassemias a e b, nas quais há uma deficiência na síntese 
das cadeias globínicas, 
 B) três alterações estruturais da globina-b: 
 hemoglobina S (HbS) (b6 Glu\uf0e0Val), causa anemia falciforme; 
 hemoglobina C (HbC) (b6 Glu\uf0e0Lys); 
 hemoglobina E (HbE) (b26 Glu\uf0e0Lys). 
\uf06e De modo geral, essas patologias se caracterizam por quadros de 
anemia hemolítica crônica, de intensidade variável, e acredita-se 
que todas elas conferem proteção contra malária, de tal modo 
que em regiões malarígenas a seleção natural é responsável pelo 
aumento e pela manutenção das freqüências gênicas. 
Anemia Falciforme 
Considerações Gerais 
\uf06e Doença hereditária monogênica mais comum do 
Brasil. 
\uf06e É uma anemia hemolítica de herança 
autossômica recessiva, decorrente de uma 
mutação de sentido trocado no sexto códon do 
primeiro exon no gene HBB*S, na qual a 
seqüência GAG é mudada para GTG; 
\uf06e Esta mutação promove a substituição do 
aminoácido ácido glutâmico por valina, 
induzindo a produção de uma HbS anômala 
Anemia Falciforme 
 Gene da Hemoglobina Humana 
5´ 3´ 
Início da Transcrição 
Códon iniciador 
Códon 
finalizador 
Sinal de 
poliadenilação 
AUG 
ccaat 
ataaaa 
ACA 
UAA 
gu ag 
gt ag 
AAUAAA 
caccc caccc Estimulador 
histoespecífico 
IVS-1 IVS-2 
Éxon-1 Éxon-2 Éxon-3 
gu ag 
ATG 
3´ 
5´ 
AAAAAA CAP 
AAAAAA 
AUG UAA 
Anemia Falciforme 
 Considerações Gerais 
Gene da globina bA: 
ATG GTG CAC CTG ACT CCT GAG GAG ... 
 Val His Leu Tre Pro Glu Glu ... 
 
Gene da globina bS: 
ATG GTG CAC CTG ACT CCT GTG GAG ... 
 Val His Leu Tre Pro Val Glu ... 
Anemia Falciforme 
Considerações Gerais 
\uf06e A doença originou-se na África e foi trazida às Américas 
pela imigração forçada dos escravos. 
\uf06e No Brasil, distribui-se heterogeneamente, sendo mais 
freqüente onde a proporção de antepassados negros da 
população é maior (nordeste). 
\uf06e Além da África e Américas, é hoje encontrada em toda a 
Europa e em grandes regiões da Ásia. Por isso, no 
Brasil, a doença é predominante entre negros e pardos, 
mas também ocorre entre brancos. 
Anemia Falciforme 
Considerações Gerais 
\uf06e No sudeste do Brasil, a prevalência média de 
heterozigotos (portadores) é de 2%, valor que sobe a 
cerca de 6-10% entre negros. 
\uf06e Estimativas, com base na prevalência, permitem estimar 
a existência de mais de 2 milhões de portadores do 
gene da HbS, no Brasil, mais de 8.000 afetados com a 
forma homozigótica (HbSS). 
\uf06e Estima-se o nascimento de 700 a 1.000 novos casos 
anuais de doenças falciformes no país. 
\uf06e A anemia falciforme é um problema de saúde pública no 
Brasil. 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
\uf06e A substituição do aminoácido ácido glutâmico por valina é 
responsável por profundas alterações nas propriedades físico-
químicas da molécula da hemoglobina no estado desoxigenado, 
que culminam com um evento conhecido como falcização, que é a 
mudança da forma normal da hemácia para a forma de foice, 
resultando em alterações dos glóbulos vermelhos e da membrana 
eritrocitária. 
\uf06e As moléculas de hemoglobina tendem a agregar-se em fileiras em 
vez de permanecerem solúveis, deformando as hemácias 
\uf06e Após repetidos cíclos de oxigenação e desoxigenação algumas 
hemácias se tornam irreversivelmente afoiçadas, formando 
agregados que podem levar à obstrução de vasos de pequeno 
calibre 
 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
\uf06e Representação esquemática 
 Glu 
GAG 
b6 
Mutação 
oxi desoxi falcização 
Oclusão vascular 
Aglutinação 
intravascular 
GAG 
 Val 
Isquemia e 
necrose 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
\uf06e Representação esquemática 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
Vários fatores influenciam o grau de polimerização da 
desoxiHbS nas células vermelhas: 
\uf06e porcentual de HbS intracelular, 
\uf06e grau de desidratação celular, 
\uf06e concentração de hemoglobina corpuscular média 
(CHCM), 
\uf06e tempo de trânsito dos glóbulos vermelhos na 
microcirculação, 
\uf06e pH, etc. 
Em geral, quanto maior a quantidade de HbS, mais grave é 
a doença. 
Anemia Falciforme 
Fisiopatogenia 
As manifestações clínicas decorrem basicamente da vaso-
oclusão e da anemia. 
\uf06e crise vaso-oclusiva: resulta da obstrução de vasos de 
pequeno calibre pelas hemácias falcizadas, causando 
isquemia e infartos em diferentes órgãos. 
\uf06e anemia hemolítica crônica: resultante da destruição das 
hemácias falciformes (hemólise), pois em conseqüência da 
polimerização da HbS, do aumento da CHCM e das 
alterações de membrana, os eritrócitos são seqüestrados e 
prematuramente destruídos pelo sistema monocítico 
fagocitário. 
 
Anemia Falciforme 
Manifestações Clínicas 
Necrose 
Isquemia 
Trombose Aglutinação 
intravascular 
Osteoalgias e alterações radiológicas 
Artralgias e artroses 
Hepatomegalia 
Mialgias 
Gangrena das extremidades 
Hematúria, síndrome nefrótica 
Dores abdominais, atrofia do 
baço ou autoesplenectomia 
Úlceras de membros inferiores 
Hemiplegias, convulsões, rigidez da 
nuca, paralisia facial, anestesia, 
analgesia, parestesia de extremidades, 
perturbações da visão 
Necroses assépticas da 
cabeça do fêmur e áreas 
justa-articulares 
Lesões do fígado 
Lesões musculares 
Necrose do ossos tubulares 
e das extremidades 
Lesões renais 
Congestão e hemorragia 
do baço 
Lesões cutâneas 
Lesões do SNC 
Infartos da medula óssea 
Hemoglobina S 
Hemácias 
Falciformes 
Anemia Falciforme 
Manifestações Clínicas 
Aglutinação 
intravascular 
Hemólise Icterícia 
Anemia 
Hipercelularização da medula 
óssea dos ossos longos e 
ossos 
pequenos 
Alterações ósseas 
Hipodesenvolvimento físico e mental 
Fraqueza 
Cardiopatias (principalmente 
cardiomegalia) 
Aumento da vascularização pulmonar 
Esplenomegalia nos pacientes jovens 
Hemoglobina S 
Hemácias 
falciformes 
Anemia Falciforme 
Manifestações Clínicas 
Manifestações clínicas mais comuns: 
 
EPISÓDIOS VASO-OCLUSIVOS (DOLOROSOS) 
\uf06e Quando os pequenos vasos sangüíneos são obstruídos (vaso-
oclusão) pelos glóbulos falcizados as áreas adjacentes se tornam 
privadas de oxigênio e o tecido fica lesado (enfarte). 
\uf06e A dor é resultante da lesão ao tecido provocado pela falta de 
oxigênio. 
\uf06e A doença se manifesta por ataques episódicos de dor, com crises 
dolorosas. 
\uf06e Atinge mais freqüentemente os ossos e as articulações das mãos e 
dos pés (especialmente em crianças mais novas), braços e pernas, 
costas e tórax (especialmente em crianças maiores), ou no abdome. 
Anemia Falciforme 
Manifestações Clínicas 
Priapismo 
\uf06e Priapismo pode ser definido como uma falha na 
detumescência do pênis acompanhada de dor. 
\uf06e A falha na detumescência